Tupi 2×0 Brasiliense: ouça o segundo gol carijó. Vibração até na Armênia!

O Toque de Bola realizou uma cobertura muito especial de Tupi 2×0 Brasiliense ao vivo, em áudio, no sábado, 11, direto do Estádio Municipal Radialista Mário Helênio, com as participações de Thiago Stephan, Rodrigo Rocha e Igor Rodrigues. Coordenação de Mônica Valentim. Técnico: Webert Brito.

Leia também:  Silvio, Cassiano e Rodrigo: motivos diferentes para comemorar a vitória

Meio-campo carijó reforçado: Hugo e Bruno

  Allan em campo

A transmissão começou às 15h30. A confirmação da volta de Allan ao time titular do Tupi foi o destaque entre as informações trazidas dos vestiários das duas equipes.  O pequeno comparecimento de público também foi registrado, talvez em função da concorrência da final olímpica de vôlei feminino entre Brasil e Estados Unidos.

  Rodrigo 50

Antes de a bola rolar, Thiago Stephan apresentou entrevistas com o treinador carijó Felipe Surian e  lembrou que a partida diante do Brasiliense seria a de número 50 do goleiro Rodrigo, um dos ídolos da torcida e personagem destacado na conquista nacional da Série D em 2011 e no terceiro lugar do Estadual deste ano.

  Rui alivia Mano

Quando o Brasiliense entrava em campo, conversamos com o veterano Rui “Cabeção”, que atuou por muitos anos no Botafogo e também passou, sem sucesso, pelo Fluminense. Questionado sobre a derrota da seleção de futebol na final dos Jogos Olímpicos para o México (2 a 1), Rui “pegou leve”, dizendo que está sendo feito um trabalho corajoso de renovação da seleção, com vistas à próxima Copa do Mundo.

Rui chegou ao time há pouco mais de uma semana, e só atuou no segundo tempo. Outro apoiador, Andrade, que já vestiu a camisa do Vasco e do Sport Recife, foi o responsável por quase todas as faltas próximas a área ou da intermediária, mas não obteve sucesso.

  Rodrigo “na latinha”

Com bola rolando, a narração vibrante de Rodrigo Rocha, o plantão de Igor Rodrigues, alternando informações das Olimpíadas e da Série C, e os comentários de Thiago Stephan  pontuaram a vitória do Tupi, a primeira na competição, diante do Brasiliense.

  Luz, câmera, ação

Chamou a atenção, nos bastidores do estádio, a excelente estrutura de que dispõem os profissionais de comunicação do clube do Distrito Federal. O próprio site do Brasiliense, constantemente  atualizado com textos e fotos, é uma demonstração da seriedade dos dirigentes quanto às informações do dia-a-dia do time.

  Torcida até na Armênia!

No intervalo, a cabine 7 do Estádio Municipal Radialista Mário Helênio recebeu convidados ilustres, como os torcedores carijós Marcelo Rizzato e José Arbex. Também fizeram seus comentários Edson “Gordo” e o engenheiro César. Em comum entre os convidados, a paixão incondicional pelo Tupi ficou evidenciada.

O cirurgião dentista Marcelo Rizzato mostrou, em seu aparelho de telefone, fotos registrando momentos em que levou a bandeira do Tupi até pontos conhecidos mundialmente, como o Coliseu de Roma, na Itália, e a Torre Eiffel em Paris, na França, entre outros.

Recebemos, ainda, um e-mail do irmão de Marcelo, Fernando Rizzato, carijó que estava na Armênia acompanhando as emoções de Tupi x Brasiliense pelo Toque de Bola.

“Caro Ivan e Colaboradores do Toque de Bola, é um prazer enorme falar com vocês. Atualmente estou trabalhando na Armênia, mas não deixo de acompanhar, e sofrer naturalmente, com a campanha do nosso glorioso Galo Carijó. Acompanho os jogos do TUPY pelo Portal. Um grande abraço, FR”

  Enfim, a vitória

Os gols de Sílvio, aos 14 minutos do primeiro tempo, num belo chute da marca do pênalti, e de Cassiano, já aos 42 da etapa final, após escanteio cobrado por Alex Travassos, deixaram o torcedor do Tupi um pouco mais aliviado, e esperançoso de dias melhores na competição nacional.

  Pra vocês, papais

Apito final do trio de arbitragem baiano, o vice-presidente de futebol alvinegro Cloves Santos, lembrou que a vitória também era uma homenagem a todos os pais alvinegros, em função do Dia dos Pais ser comemorado no dia seguinte. Jogadores e Comissão Técnica saíram juntos do campo de jogo, numa demonstração de que os problemas internos começam a ser deixados para trás.

  Allan em paz

O próprio Allan, veterano atacante que sequer havia sido relacionado para o banco na rodada anterior, garantiu que, depois da conversa com o técnico Felipe Surian, é tudo “página virada”.

 Alex “Bolt” Travassos

Muito saudado pela torcida, por seu fôlego incrível até os minutos finais, o lateral Alex Travassos “Bolt” (o homem corre até o último instante!) lembrou que a entrada de Assis foi fundamental para sua subida de rendimento, e consequentemente a participação no lance do gol de Cassiano.

“O treinador deles, Ney da Matta, trabalhou comigo no Ipatinga e no primeiro tempo não consegui subir ao ataque como gostaria, porque ele posicionou sempre alguém para explorar os meus avanços. Com o Assis no time, fiquei mais liberado. Se tivesse mais um tempo, correria tudo de novo”, garantiu.

  A emoção do gol  

Clique no ícone abaixo para ouvir o segundo gol do Tupi, marcado por Cassiano, narração de Rodrigo Rocha:

 

Deixe seu comentário