O “Garrincha de Juiz de Fora”

   Craques do presente e do passado, além de amigos e pessoas ligadas ao esporte da cidade se reuniram no Cemitério Parque da Saudade na tarde desta terça-feira, 18, para prestar a última homenagem ao ex-jogador João Pires, também ex-presidente do Carijó e que, na atual gestão, era vice-presidente do clube. Ex-companheiros não tiveram medo de afirmar: João Pires foi o Garrincha de Juiz de Fora. A expectativa era grande, mas, em razão de dificuldades na liberação em Petrópolis (RJ), o corpo só foi chegar a Juiz de Fora por volta de 18h. Com isso, o sepultamento acabou transferido para as 9h de quarta-feira, 19.

João Pires é o primeiro agachado
João Pires é o primeiro agachado

   Entre os que compareceram ao cemitério estava o presidente do Conselho Deliberativo do Tupi, Geraldo Magela Tavares, técnico de João Pires na equipe que ficou conhecida como “Fantasma do Mineirão” e seu amigo particular. Ele não conseguiu esconder a emoção. “Foi uma perda irreparável. O João Pires era uma figura cativante, responsável e dedicou a vida inteira ao Tupi, tanto dentro como fora de campo. Tinha o Tupi no coração. Sempre ajudou sem querer nada em troca. Esta é uma data muito difícil para nós carijós”, expôs.

Companheiro de ataque naquela equipe, Toledo disse que está sendo difícil conviver com a perda. “Foi um irmão que eu perdi. Falar dele é fácil. A gente fica pensando: Como que a vida pode acabar assim, de uma hora para a outra? Acho que não tenho condições de chegar perto do corpo. Nós dois sempre jogamos em dupla”, destacou Toledo.

Outro integrante do “Fantasma do Mineirão” que compareceu ao Parque da Saudade nesta terça-feira foi o ex-zagueiro Dário, que se deslocou de Volta Grande para se despedir. “O João Pires era show de bola. O drible dele era igual ao do Garrincha. Era ótimo jogador e um amigo inseparável. Recebi o convite para a homenagem que foi feita na partida entre Tupi e Cruzeiro, mas não pude estar presente. Talvez fosse a oportunidade para ter um último contato com ele”, lamentou Dário.

Opinião semelhante à de Dário é a do presidente da Câmara Municipal, Júlio Gasparette (PMDB), amigo particular de João Pires. “Ele era muito especial para mim. Era como se fôssemos irmãos. Como desportista é até difícil falar dele. Foi o Garrincha de Juiz de Fora”, destacou Gasparette.

Programação

Em razão do sepultamento, o treino físico marcado para a manhã de quarta-feira, 19, foi cancelado. Às 14h, o grupo sai de Santa Terezinha para atividade na Academia Higéia, com posterior complemento em no Estádio Salles Oliveira.

Imagens: Nas duas fotos João Pires é o primeiro agachado. Crédito: Toque de Bola.

Texto: Thiago Stephan – assessoria carijó

Este post tem 2 comentários

Deixe seu comentário