Mineiros têm cinco times em Brasileiro de Equipes de Futebol de Mesa

Minas Gerais se mostrou presente também no Campeonato Brasileiro de Futebol de Mesa – modalidade Dadinho. Em ônibus fretado com destino ao Rio de Janeiro, na AABB da Tijuca, 42 pessoas, incluindo atletas e parentes prestigiaram o evento. Participantes de Juiz de Fora, Barbacena e Rio Novo integraram as equipes do Tupi/Gravina, A. Portuguesa/Futrica, E.C. São Carlos/Futrica, Prainha/Rio Novo e Olympic/Barbacena.

Veja galeria de fotos do Campeonato Brasileiro de futebol de Mesa, de Sidney Vieira

O Tupi/Gravina foi o melhor mineiro colocado, terminando o torneio na 12ª posição, seguido da A. Portuguesa/Futrica, em 13º. O Olympic/Barbacena ocupou o 16º lugar, o E.C. São Carlos foi o 18º e o Prainha/Rio Novo, o 19º. Ao todo, 20 equipes participaram da competição, com o Tijuca T.C., do Rio de Janeiro, se sagrando campeão. Veja alguns resultados e a classificação geral do torneio.

1 – 6 Campeonato Brasileiro Interclubes

Equipe do Tupi/Gravina foi a melhor colocada entre os mineiros
Equipe do Tupi/Gravina foi a melhor colocada entre os mineiros

Campanhas mineiras

O diretor técnico da Federação de Futebol de Mesa de Minas Gerais (Fefumemge), Luiz Henrique Colla, analisou as participações das equipes mineiras.

TUPI/GRAVINA:

Resultado Final: 12º lugar

Campanha: Sete vitórias (NFFC/RJ, Vasco/RJ, Operário/MS, Prainha/Rio Novo/MG, Clube Curitibano/PR, Iguaba/RJ e Olympic/Barbacena/MG).

Cinco empates (Tijuca/RJ, Clube dos 500/RJ, River/RJ, ADDP Cabo Frio/RJ, e Maria Zélia/SP).

Sete derrotas (Fluminense/RJ, EC São Carlos/Futrica/MG, Piedade/RJ, Flamengo/RJ, Bola Quadrada/DF, A. Portuguesa – Futrica/MG, América/RJ).

Análise de Luiz Colla: Formação com apenas quatro integrantes, o que comprometeu o rendimento da equipe. No primeiro dia, apesar de conquistar quatro vitórias e um empate nos cinco primeiros jogos, a equipe sofreu cinco derrotas e um empate nas seis rodadas seguintes, perdendo para o Fluminense (confronto direto) e sofrendo duas derrotas regionais para EC São Carlos/Futrica/MG e A. Portuguesa-Futrica/MG. Cabe ressaltar que a possibilidade de classificação era provável, mas o planejamento da equipe comprometeu todo o trabalho.

A. PORTUGUESA-FUTRICA:

Resultado Final: 13º lugar

Campanha: Oito vitórias (Iguaba/RJ, River/RJ, Maria Zélia/SP, Tupi/Gravina/MG, Prainha/Rio Novo/MG, NFFC/RJ, Operário/MS e EC São Carlos/Futrica/MG).

Um empate (Piedade/RJ).

Dez derrotas (ADDP Cabo Frio/RJ, Olympic/Barbacena/MG, Flamengo/RJ, Clube dos 500/RJ, Clube Curitibano/PR, Bola Quadrada/DF, Tijuca/RJ, Vasco/RJ, Fluminense/RJ e América/RJ).

Análise de Luiz Colla: Formação com seis integrantes (número ideal para formação de uma equipe). Excelentes resultados, principalmente a vitória sobre o River (vice-campeão) e o empate com o Piedade. Apresentou evolução com referência à participação em 2013, quando ficou na última colocação. Equipe consistente e com um excelente comando do Júlio. Faltou experiência para alguns jogos, principalmente contra Vasco, Olympic, Clube dos 500 e Fluminense. Havia também possibilidades de classificação. Para o próximo ano se espera uma equipe mais madura que, com certeza, apresentará melhores resultados.

OLYMPIC/BARBACENA:

Resultado Final: 16º lugar

Campanha: Cinco vitórias (A. Portuguesa/Futrica/MG, Maria Zélia/MG, Operário/MS, EC São Carlos/Futrica/MG, Painha/Rio Novo/MG).

Um empate (River).

Treze derrotas (Flamengo/RJ, Vasco/RJ, Fluminense/RJ, ADDP Cabo Frio/RJ, Piedade/RJ, América/RJ, Clube Curitibano/PR, Tupi/Gravina/MG, Iguaba/RJ, NFFC/RJ, Bola Quadrada/DF, Tijuca/RJ e Clube dos 500/RJ).

Análise de Luiz Colla: Formação com nove atletas. Equipe em crescimento, mas que precisa ter atletas participando das competições individuais a nível nacional. Faz um excelente trabalho em Barbacena através do Cristiano e Paulinho. Tem tudo para evoluir cada vez mais.

EC SÃO CARLOS/FUTRICA:

Resultado Final: 18º lugar

Campanha: Duas vitórias (Tupi/Gravina/MG e Maria Zélia/SP).

Um empate (Clube dos 500/RJ).

Dezesseis derrotas (Flamengo/RJ, Vasco/RJ, Fluminense/RJ, ADDP Cabo Frio/RJ, Piedade/RJ, América/RJ, Clube Curitibano/PR, Iguaba/RJ, NFFC/RJ, Bola Quadrada/DF, Tijuca/RJ, A. Portuguesa/Futrica/MG, Prainha/Rio Novo/MG, River/RJ, Olympic/Barbacena/MG e Operário/MS).

Análise de Luiz Colla: Formação com seis atletas, mas com dois garotos de oito e dez anos (Nycolas e Felipe, consecutivamente), jogando de igual com atletas muito conceituados. Destaque para o empate individual de Felipe com o jogador do Vasco, Renato, pelo placar de 3 x 3. Equipe que eliminou o Tupi/Gravina de disputar a fase de play-offs. Resultado expressivo para um time recém formado e que através de seu grande mentor, Sidney Vieira, segue em ritmo de crescente constante, projetando ainda incomodar muito seus adversários nas próximas edições.

PRAINHA/RIO NOVO:

Resultado Final: 19º lugar

Campanha: Uma vitórias (EC São Carlos/Futrica/MG).

Dois empates (Operário/MS e Iguaba/RJ).

Dezesseis derrotas (Flamengo/RJ, Vasco/RJ, Fluminense/RJ, ADDP Cabo Frio/RJ, Piedade/RJ, América/RJ, Clube Curitibano/PR, NFFC/RJ, Bola Quadrada/DF, Tijuca/RJ, A. Portuguesa/Futrica/MG, Prainha/Rio Novo/MG, River/RJ, Olympic/Barbacena/MG, Clube dos 500/RJ e Maria Zélia/SP).

Análise de Luiz Colla:  Formação no primeiro dia com cinco atletas, mas jogando com apenas quatro no segundo dia. Desempenho abaixo da média, se levar em consideração o nível dos atletas. Mas a questão de haver somente quatro atletas no segundo dia, também atrapalhou o desempenho da equipe. Para as próximas edições será necessária a inclusão de, no mínimo, dois jogadores reservas.

Texto de Bruno Kaehler com informações do diretor técnico da Fefumemge, Luiz Henrique Colla.

Fotos enviadas por Sidney Vieira

Deixe seu comentário