Exclusivo! Thiagus denuncia racismo e desabafa: “São coisas difíceis de falar”

O forte espírito de liderança acompanha o juiz-forano Thiagus Petrus desde o início de sua trajetória no esporte.

E desta vez ganha ainda mais importância o desabafo do capitão da seleção brasileira de handebol masculino, atleta do Barcelona, da Espanha, e considerado consecutivamente o melhor defensor da Europa na modalidade.

Depois da vitória da seleção brasileira em Buenos Aires sobre a Argentina por 28 a 26, no sábado, dia 20, que valeu o bicampeonato do Sul-Centro Americano e vaga no Mundial de 2025, o atleta desabafou nas redes sociais denunciando racismo, risco de lesões e problemas estruturais, desde as instalações até a alimentação.

Post de Thiagus Petrus após vitória sobre a Argentina

 

   Exclusivo

A reportagem do Toque de Bola conversou com Thiagus nesta terça-feira, dia 23, e ele contou com mais detalhes cada uma das situações vividas.  “São coisas difíceis de falar e que não podem passar no esporte”, definiu.

  Confira, abaixo, os trechos do depoimento de Thiagus Petrus ao Toque de Bola

  Risco de lesões

“Foram cinco jogos em cinco dias, uma competição bastante difícil. Hoje em dia o risco de lesão aumenta muito com uma quantidade de jogos num período tão curto de tempo, só que parece que a Federação não está muito interessada nisso e não pensa no atleta, pensa só no retorno financeiro ou político, é bem difícil”.

Alimentação não era a melhor

“As instalações estavam um pouco deterioradas, o hotel que a gente ficou e a comida talvez não tenha sido a melhor para um atleta. Alguma parte da comida estava boa e outra ficou um pouco a desejar”.

Bananas atiradas na quadra

“Durante o último jogo contra a Argentina, um jogo bem disputado, intenso pelos dois lados, jogadores que já jogaram juntos em clubes se respeitam bastante. No final do jogo aconteceram algumas situações bem chatas. Foram atiradas duas ou três bananas na quadra e os jogadores argentinos ajudaram a tirar as bananas sem que alguns jogadores nossos percebessem”.

Insultos da arquibancada

“A torcida deles também, alguns, uma minoria, claro, é sempre uma minoria, insultou alguns jogadores da nossa seleção e os jogadores ajudaram a acalmar”.

Insultos racistas via Instagram

Mensagens racistas nas redes sociais

“E mais tarde eu recebi pelo Instagram alguns insultos que são bem complicados. Mas que já denunciei. Fiz um desabafo e espero que tenham algumas medidas e que melhore um pouco a situação, mas são coisas que são difíceis de falar e que não podem passar no esporte”.

Importante manter o foco

“A gente está lá trabalhando e vem pessoas e te insultam, é bem complicado. Mas eu tento passar isso para os meninos mais novos, para fazer o nosso trabalho, e se está incomodando, as pessoas vão tentar atingir a gente de alguma forma, e é importante a gente estar focado o máximo possível no nosso trabalho”.

Seleção brasileira recebe a taça após conquista título do Sul-Centro Americano de handebol

 

“Valeu, Toque de Bola pela atenção, pela atenção, pelo interesse, e o que precisarem podem contar comigo”

 

Texto: Ivan Elias – Toque de Bola

Fotos: prints das redes sociais de Thiagus

Edição: Toque de Bola

Ivan Elias

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Participou de centenas de transmissões esportivas ao vivo (futebol, vôlei, etc). Apresentou diversos programas de esporte e de humor, incluindo a criação de personagens. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). Criou, em 2010, ao lado de Mônica Valentim, o então blog Toque de Bola que hoje é Portal, aplicativo, Spotify, Canal no Youtube e está no Twitter, Instagram e Facebook, formando a maior vitrine de exposição do esporte local É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Deixe seu comentário