Essa imagem do estádio do Sport cheio…

A boa presença de público chamou a atenção na final da Copa Regional Zona da Mata 2022

É impressionante!

Só eu experimentei essa sensação? Imagino que não.

Ver fotos das arquibancadas do estádio José Procópio Teixeira, recebendo um grande público na manhã de domingo, 26 de junho, na final da Copa Regional Zona da Mata, entre o Villa Real e o Trintões, de Belmiro Braga, é viajar.

Nos remete aos tempos em que o clube alviverde manteve o futebol profissional. Ou à outra época, mais recente, em que jogos de futebol na cidade atraíam mais de 10 mil pessoas – como nas fases finais da Série D, conquistada pelo Tupi em 2011, no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio. Mas também registramos públicos de 10 mil ou mais, como estes, no Campeonato Mineiro do final da década de 80 –  jogos do Tupi no campo do Sport.

Lembra, também, os antigos regionais. Que reuniam dezenas de cidades.

Saudosistas, otimistas, utópicos, difícil definir em qual ou quais categorias nos encaixamos. Mas vimos nestas imagens pelo menos 1.400 pessoas (público divulgado pelo Villa Real)  que foram ao estádio de um clube centenário em busca de esporte e lazer. Ver um jogo, bater um papo, tomar uma cerveja, com a família ou amigos.

Naturalmente há os torcedores do novo clube local, que já vieram acompanhando a equipe em outras fases da competição. E, claro,  também há aqueles que, independente do jogo em si, transformam a ida ao estádio no primeiro ou segundo programa de um domingo.

Foi o caso, por exemplo, dos amigos Geraldo Batata e Alfredo Coimbra, com quem tomamos um café na manhã da véspera do jogo, na rua Santo Antônio, e ali eles combinaram como iam se encontrar no dia seguinte. Ou do Raphael de Sá, árbitro e companheiro do Panathlon Club Juiz de Fora., que fez as postagens no grupo de whatsapp dos associados.

Transformar a ida a um estádio – ou outra praça esportiva – em programa de domingo deveria ser regra, e não exceção, numa cidade de campeões olímpicos e paralímpícos e com tantos profissionais que formam atletas nas mais diversas modalidades. Os motivos pelos quais ainda estamos distantes desta realidade são extensos demais.

Que tenhamos domingos de muita gente vendo e vivendo o nosso esporte. Os jogos do Módulo 2, aos sábados e alguns até vespertinos em meios de semana, não dão uma sensação até de a gente estar ”fazendo coisa errada” quando vai ao estádio, mesmo para fazer a cobertura?

Vou pedir licença a vocês para ficar mais um tempo vendo esta imagem do campo do Sport cheio. E que esta “viagem” na imagem não seja só um sonho distante de outono-inverno.

Texto: Ivan Elias

Foto: assessoria do Esporte Clube Villa Real

 

Ivan Elias

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Este post tem 2 comentários

  1. Ivan Elias

    Que bom receber um comentário de alguém que sempre nos ensinou muito, professor Rolf. Não só ensinou a nós como a diferentes gerações de pessoas. Um forte abraço!

  2. rolf pery curt benda

    é isso aí, ivam elias, quantas vezes eu ia aos campos – nos domingos, ou noites durante a semana, seja nos campos do tupi, tupinambas, sport e o mário helênio, assistir às partidas lá realizadas, com a família, desde os tempos de namoro e depois com os filhos. realmente tem alguma coisa diferente(ou errada) acontecendo. vamos ver se algum dia melhora…

Deixe seu comentário