Do atletismo ao mountain bike: fisioterapeuta dá detalhes da “troca” de Pedro Henrique

Pedro e Luciana

Em entrevista concedida ao Spotify do Toque de Bola, o atual praticante do ciclismo de montanha Pedro Henrique de Oliveira, conta como ocorreu a troca, que a princípio poderia ser considerada inusitada de modalidade. Afinal, Pedro era do projeto Cria – Centro Regional de Iniciação ao Atletismo – da UFJF e chegou a ser campeão sul-americano.

OUÇA AQUI A ÍNTEGRA DA ENTREVISTA COM PEDRO HENRIQUE NO SPOTIFY DO TOQUE DE BOLA

Na conversa, ele cita a importância de uma fisioterapeuta e de uma atleta conhecida do bike nesta “descoberta” da nova vocação. A fisioterapeuta a que ele se referiu vamos apresentar aqui. Já a atleta é a campeoníssima e hoje também treinadora Roberta Stopa, que também conversou conosco no Spotify do Toque de Bola.

 CLIQUE AQUI E OUÇA A ENTREVISTA DE ROBERTA STOPA

Luciana atua na Marinha

A fisio Luciana Almeida Ottoni de de Luna Freire (“mas uso normalmente Luciana Luna”), 28 anos, trabalhou junto ao Cria, também esteve no profissional e na base do JF Vôlei e agora atua no Centro de Educação Física da Marinha, no Rio de Janeiro, e, como consequência, no futebol feminino do Flamengo. “As meninas do Flamengo treinam lá e como há uma parceria entre eles e o clube, as fisioterapeutas da Marinha atendem as jogadoras.” Em 2021, fez especialização em fisioterapia esportiva na UFMG.

Ela contou ao Toque de Bola como conheceu, primeiro, o então Pedrinho do atletismo. “Quando me formei, meu irmão tem uma clínica em Juiz de Fora, no bairro São Pedro, trabalhava com ele e fazíamos um apoio para os meninos do CRIA e para o projeto de futebol de base (também da UFJF) do Marcelo Matta (atual Secretário de Esporte e Lazer). Ali eu conheci o Pedrinho e os atletas do Cria”.

A mudança

Pedro Henrique na bike fit

Luciana diz que “durante a pandemia, fazíamos um trabalho de prevenção/manutenção no consultório. Nessa época ele começou a andar de bike nas trilhas com um amigos dele e percebeu que era bom nisso,  que ele tinha facilidade. Quando ele comprou a bicicleta, eu o levei para fazer o bike fit com a Roberta Stopa na ideia de evitar lesão por um mau ajuste da bike. A idéia do bikefit é ajustar a bicicleta ao corpo da pessoa, ela faz várias medidas e vai ajustando a bicicleta nessas medidas pra que se encaixe da melhor forma possível à biomecânica do atleta”.

Sobre a lesão que o atrapalhava no atletismo, ela comenta: “Ele nunca teve nenhuma dor. Uma das pernas dele estava dando a passada um pouco mais devagar que a outra. Na corrida, no nível que ele fazia, isso estava atrapalhando o desempenho dele. Lembro que ele chegou a fazer análise de corrida e deu para ver bem o que estava acontecendo. Mas não tinha uma justificativa para isso. Ele passou por várias avaliações na época, todo mundo achava alguma coisa, algum pequeno desequilíbrio mas nada que justificasse.”

Luciana Luna

A vontade de Pedro em não parar de praticar esportes, como ele revelou na entrevista ao Toque, o acompanhamento da fisioterapia e a consultoria inesperada de Roberta Stopa são três fatores que explicam como, em tão pouco tempo, um campeão sul-americano de atletismo já começa a escrever uma história promissora no ciclismo de montanha.

 

Texto: Toque de Bola

Fotos: Arquivo Pessoal

 

 

 

Ivan Elias

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Deixe seu comentário