Toque Notícia

FINAL DE TEMPORADA COM ATLETICO MINEIRO CAMPEÃO DA COPA DO BRASIL

O Atlético Mineiro venceu o Athletico Paranaense por 2 a 1, na Arena da Baixada, e conquistou o bicampeonato da Copa do Brasil. Os gols do título foram de Keno e Hulk, um em cada tempo e Jaderson diminuiu.

O Atlético chega à sua segunda conquista de Copa do Brasil, enquanto o Athletico continua com uma, de 2019. O Galo conseguiu um feito que não ocorria há 18 anos, desde o rival Cruzeiro, em 2003, um mesmo time não conquistava as duas principais competições nacionais. Com o título, o Atlético acumula agora 145 milhões em prêmios pelas conquistas da temporada.

Mesmo com o vice, o Athletico fecha outra grande temporada em sua história. O Furacão foi campeão da Copa Sul-Americana pela segunda vez, em final contra o Red Bull Bragantino, garantiu vaga na Libertadores do ano que vem e livrou-se do rebaixamento no Brasileirão.

O árbitro Anderson Daronco teve trabalho com discussões, faltas duras e reclamações dos dois lados. E, com auxílio do VAR, anulou gol de Pedro Rocha no primeiro tempo por um toque de mão. De acordo com o comentarista Paulo César de Oliveira, decisão correta, já que o desvio favoreceu o próprio jogador que tocou com a mão na bola mesmo sendo acidental.

O outro lance polêmico foi um possível pênalti de Junior Alonso em Cittadini, que Paulo César também não daria: “Foi um movimento de proteção”. No segundo tempo, novo gol anulado: Mingotti, impedido, finalizou e teve o lance paralisado já em campo e o VAR confirmou a marcação.

Torcedores do Athletico-PR foram flagrados praticando gestos racistas. Vídeos que circulam nas redes sociais mostram ao menos dois torcedores diferentes do Furacão na Arena da Baixada fazendo gestos em alusão a macacos e apontando para o tom da pele.

As ofensas eram voltadas tanto para o setor onde estava a torcida do Atlético-MG como até mesmo contra outros torcedores do Furacão, como foi o caso de uma torcedora que estava no camarote da Arena em outro registro que circula nas redes sociais. Até o momento, não há informações se prisões ou detenções foram feitas após a partida na Arena da Baixada. O Athletico ainda não se manifestou oficialmente sobre o caso.

========================================

Com o final da Copa do Brasil, o primeiro título nacional de 2022 já tem dia e candidatos definidos. Atlético-MG e Flamengo se enfrentarão em 20 de fevereiro pela Supercopa do Brasil em jogo único. O local do duelo ainda será anunciado pela CBF. Nas duas edições passadas, a partida foi no Mané Garrincha, em Brasília.

A Supercopa coloca frente a frente o campeão do Brasileirão e o vencedor da Copa do Brasil. Como o Atlético ergueu as duas taças, o regulamento prevê que o vice do Brasileirão, no caso o Flamengo, fique com a vaga.

O Flamengo conquistou as duas edições da Supercopa disputadas até hoje. Em 2020, derrotou o Athletico-PR. Em 2021, bateu o Palmeiras, embolsando 5 milhões pelo título.

========================================

A Mercedes decidiu não seguir adiante com seu apelo à decisão dos comissários de negar o protesto feito pela equipe em relação às decisões tomadas pelo diretor de prova da Fórmula 1, Michael Masi, durante as voltas finais do GP de Abu Dhabi. Na prova que decidiu o mundial, Masi adotou um procedimento inédito, que acabou colocando Max Verstappen em posição de atacar Lewis Hamilton, que liderou toda a corrida, na última volta da prova, com pneus novos. Verstappen passou o inglês e se sagrou campeão.

Com isso, o resultado está mantido. A Federação Internacional de Automobilismo vai analisar o que pode ser feito no regulamento para evitar uma situação similar no futuro. Em comunicado divulgado, a equipe se coloca à disposição a ajudar a federação neste sentido. Há um trecho que chama a atenção, dizendo que a equipe vai responsabilizar a FIA pelo ocorrido, sem explicar exatamente como.

Ivan Elias

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Deixe seu comentário