Revitalização do gramado do Estádio Municipal realiza pregão. Clubes buscam alternativas

Gramado do Estádio Municipal vai ser revitalizado

Alvo de reclamação de atletas e comissões técnicas dos clubes da cidade, além de críticas de torcedores nas redes sociais, o gramado do Estádio Municipal Radialista Mário Helênio vai passar por uma revitalização.

Como os representantes da Secretaria de Esporte e Lazer (SEL) da Prefeitura de Juiz de Fora haviam adiantado ainda em agosto ao Portal Toque de Bola, o procedimento será realizado neste fim de ano. O processo de chamada pública está aberto desde o dia 21 de outubro, e o pregão eletrônico ocorre nesta quinta, dia 4, às 9h.

Sem jogos

A reportagem do Toque apurou que a intenção é que os trabalhos se iniciem o mais rápido possível, tendo em vista o período de chuvas que impossibilitaria a execução das etapas. De acordo com o edital, os prazos legais, se cumpridos à risca, terminam na segunda quinzena de novembro. Desta maneira, já seria possível iniciar os procedimentos no Estádio Municipal ainda este mês.

Mas, para revitalizar o gramado da principal arena juiz-forana, é necessário que não ocorram jogos no local durante a realização dos trabalhos, que têm prazo de execução de 30 dias, além de um período de consolidação e correção que deve durar entre 15 e 20 dias. Desta maneira, a paralisação pode entrar em conflito com as agendas do Manchester e do Uberabinha, duas únicas equipes de Juiz de Fora que disputam competições oficiais no momento.

Cientes

Uberabinha manda jogos no Estádio Municipal

O Toque foi informado que tanto a direção do Uberabinha, que está na disputa da Segunda Divisão do Campeonato Mineiro Sub-17, quanto a do Manchester, equipe recém-criada na cidade e que participa da Segunda Divisão do Estadual de profissionais, começaram sua participação nos torneios cientes que a revitalização ocorreria. Assim, quando solicitaram o Estádio Municipal Radialista Mário Helênio para mandarem seus jogos, foram informados dos procedimentos.

Ambos os times têm chance de avançarem à segunda fase de suas competições. Os jogos destas etapas dos torneios serão realizados basicamente durante o mês de novembro e o início de dezembro, o que pode provocar o conflito de datas com os trabalhos no gramado do Estádio Municipal.

Alternativas

Segundo o coordenador e técnico do Uberabinha, Sérgio Eduardo, o Dudu do Cerâmica, a agremiação estuda possibilidades de outros locais para seus jogos. “Estamos fazendo contato com alguns campos de Juiz de Fora. Ainda não fechamos”, disse o dirigente e treinador.

Manchester também joga na arena local

O Manchester, através de sua assessoria, informou que “existem diversas alternativas”. Mas a torcida dos Capivaras é para que “a Prefeitura se sensibilize e, caso o clube passe de fase, adie o início das obras no gramado.”

O que será feito?

No edital, estão descritos e explicados os procedimentos pelos quais vai passar o gramado do Estádio Municipal Radialista Mário Helênio, a serem realizados pela empresa vencedora do pregão desta quinta:

1) Corte horizontal rente ao chão e limpeza mecanizada: Deverá ser utilizada máquina de lâminas com cortes horizontais, devendo as lâminas estarem amoladas. Inicialmente prevê-se a realização de um corte drástico no gramado, seguido de limpeza mecanizada, para remover o excesso de matéria orgânica e rebaixar a altura do gramado, otimizando assim o resultado das operações sequentes.

2) Corte vertical e limpeza mecanizada: Serviço de corte vertical profundo para eliminação do thatch (cochão)e eliminação de palha. A função básica do corte vertical é renovar a grama e aumentar a proporção de folhas do gramado. Nesse processo, lâminas afiadas rasgam os estolões (ramificações) da grama e desfazem o colchão (tatch), trazendo à superfície o excesso do material orgânico para posterior recolhimento. O recolhimento deverá ser realizado com equipamento específico para gramados esportivos.

3) Descompactação mecânica: Operação realizada por intermédio de maquinário especializado equipado com hastes sólidas, que adentram ao gramado e realiza a quebra da camada compactada impermeabilizante do solo, permitindo uma maior oxigenação das raízes, melhoria na infiltração de água e proporcionando condições favoráveis para o desenvolvimento da espécie.

Local não poderá receber jogos durante trabalhos

4) Aeração mecânica e retirada do material excedente: Operação semelhante à descompactação, realizada por intermédio de maquinário importado especializado, equipado agora com hastes vazadas, que adentram ao gramado e ao saírem realizam a retirada de tubetes de material argiloso prejudicial à qualidade do gramado. Em seguida é realizada a retirada do material excedente da operação de aeração mecânica com equipamento específico para gramados esportivos, que varre e recolhe os tubetes, permitindo assim acesso de novos nutrientes, maior oxigenação e espaço para crescimento das raízes do gramado.

5) Controle Fitossanitário (combate de pragas e doenças): Aplicação de produtos de combate a pragas e doenças, realizada através de pulverizador com tanque de polietileno, provido de bomba elétrica e barra de aplicação.

6) Combate a infestação por ervas daninhas: Pulverização para controle de pragas, doenças e ervas daninhas (no mínimo 02 aplicações e no máximo 04).

7) Top Dressing: Após a operação de aeração mecânica e a retirada dos tubetes de material argiloso, o gramado fica cheio de orifícios que são preenchidos através dessa operação. O Top Dressing a distribuição com 25m³de areia, adubação granular de calcário, por intermédio de equipamento especializado para gramados, o qual irá preencher esses orifícios e realizar a troca do material argiloso por areia, para proteção da semente e correção de micro-desnivelamentos, facilitando assim o desenvolvimento das raízes e auxiliando na infiltração de água, fazendo a nutrição para a grama ter um crescimento sadio e vigoroso.

Texto: Toque de Bola – Wallace Mattos

Fotos: Toque de Bola; Facebook/Uberabinha; e Daniel Braga/Manchester

Deixe um comentário