Gramado em reforma! Se avançar, Manchester decidirá acesso longe de JF

Trabalhos de revitalização já começaram

Como a rádio web Nas Ondas do Toque adiantou na última terça, dia 23, a reforma do gramado do Estádio Municipal Radialista Mário Helênio já começou.

Desta maneira, a arena juiz-forana ficará um período de, no mínimo, 40 dias sem poder abrigar partidas. Isto pode afetar diretamente a única equipe profissional de futebol em atividade na cidade, o Manchester.

Envolvido na disputa as quartas de final da Segunda Divisão do Campeonato Mineiro, o clube juiz-forano decide a vaga nas semifinais da competição no próximo domingo, dia 28, às 10h, contra o Santarritense, fora de casa. Um empate classifica os Capivaras, que venceram o primeiro jogo por 1 a 0, no último sábado, dia 20, em Juiz de Fora.

Fora de casa

Caso se classifique, o Manchester não poderá atuar no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio até o fim de 2021. Isso porque o prazo de entrega dos trabalhos de revitalização, iniciada na terça, é de dez dias. Mas a grama precisa de mais cerca de 30 dias para se recuperar e consolidar. Tudo isso ainda depende das condições climáticas, segundo informações da assessoria da Prefeitura.

Assim, os Capivaras terão que procurar outra casa justamente para disputar o acesso, caso avancem na Terceirinha cujos dois finalistas sobem para o Módulo 2 em 2022. No clube, segundo o Toque apurou, a ordem é não pensar nisso até o início da tarde do próximo domingo. A informou a assessoria do Manchester, o foco é total no jogo de volta contra o Santarritense.

Possibilidades

O secretário de Esporte e Lazer da Prefeitura de Juiz de Fora, Marcelo Matta, informou à reportagem que os dirigentes do clube juiz-forano já estavam cientes de que o gramado do Estádio Municipal passaria por uma reforma. Segundo ele, a busca por viabilizar estes trabalhos vem desde a estreia do Athletic no Campeonato Mineiro, realizada em Juiz de Fora, em março, e o melhor período, de acordo com os especialistas, seria este, entre dezembro e janeiro. Lembrou também que a Secretaria aguardou a realização da partida Manchester x Santarritense para iniciar a reforma.

Manchester fez seu último jogo em JF no dia 20

Mesmo sem se debruçar sobre a questão, já que o clube ainda não está garantido na semifinal, a diretoria do Manchester tem algumas possibilidades para seu mando na próxima fase da Terceirinha e também em caso de uma eventual decisão. A principal delas seria levar a partida para Ubá, onde o Aymorés, cuja direção é bem próxima aos cartolas do time de Juiz de Fora, manda seus jogos.

Em Ubá, as possibilidades seriam o Estádio Affonso de Carvalho ou o campo principal do Centro Esportivo Ubaense (CEU). Outros locais que poderiam abrigar jogos do Manchester são o Soares de Azevedo, em Muriaé, e o Almeidão, em Tombos.

A reforma

O gramado do Estádio Municipal Radialista Mário Helênio, é a primeira desde a troca da grama, entre o fim de 2014 e o início de 2015, quando o campo também teve suas medidas reduzidas. A revitalização terá processos como corte vertical, corte raso, limpeza mecanizada, descompactação mecânica, aeração mecânica, controle fitossanitário e top dressing.

“É extremamente importante esse cuidado com o patrimônio público, já que o estádio é da cidade e tem que ser bem tratado. Temos que ter responsabilidade e, para isso, vamos preparar o gramado para poder receber grandes jogos no ano que vem, além dos times da cidade, podemos oferecer o estádio para jogos do Campeonato Brasileiro da Primeira e Segunda Divisão”, deseja Matta.

Texto: Toque de Bola – Wallace Mattos

Fotos: divulgação/PJF; e Daniel Braga/Manchester

Wallace Mattos

Jornalista profissional, formado pela Faculdade de Comunicação Social (Facom) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), tem mais de 20 anos de carreira na qual já trabalhou em rádio, TV, jornal e mídias digitais. Além disso, tem experiência em gerenciamento esportivo, logística e administração de pequenos negócios. Entre as áreas de interesse e constante busca de aperfeiçoamento, destaca a busca pela discussão do papel da mídia no negócio do esporte e na construção de políticas públicas voltadas para o desenvolvimento das dimensões participativa e profissional das modalidades. EXPERIÊNCIAS PROFISSIONAIS: TUPI FOOTBALL CLUB, Juiz de Fora, Minas Gerais 2015: Consultor de comunicação/Chefe de delegação/Integrante do conselho consultivo. TRIBUNA DE MINAS, Juiz de Fora, Minas Gerais, Brazil 2004 – 2015 Repórter sênior (2009-2015) – Repórter júnior (2004-2008). TV ALTEROSA, Juiz de Fora/Varginha, Minas Gerais/Minas Gerais 2003 Assistente de Marketing/Repórter esportivo. TV ALTO LITORAL, Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro 2002 Estagiário/Repórter júnior. MOSTARDA PROPAGANDA, Juiz de Fora, Minas Gerais 2001 Estagiário/Redator. RÁDIO SOLAR, Juiz de Fora, Minas Gerais 2001 Estagiário.

Deixe um comentário