Ibitipoca Offroad 2021

O mais charmoso do Brasil. Edição Épica!

Késsia conta como é ser a maior vencedora do IOR. Confira!


15 out 2021

Késsia na trilha

Qual será a sensação de olhar para a estante do seu quarto e se deparar com seis troféus de campeã do Ibitipoca Off Road – conquistados de 2014 a 2019?

Bem. Para tentar descobrir de fato qual é esta sensação não há outro  caminho. Vamos perguntar diretamente para a dona deste hexacampeonato (!) do IOR.

Veja a entrevista e conheça um pouco mais o que representa o Ibitipoca Off Road para a engenheira agrônoma capixaba Késsia Pires Tristão, nascida em Muniz Freire, no sul do estado, e que hoje mora em Pedra Azul, na belíssima região de Domingos Martins.

IOR: Você é a maior vencedora no feminino nos 30 anos do Ibitipoca off Road. O que isso representa?

Késsia: “Representa uma grande conquista. Pois como o próprio IOR diz: “Disputar o Ibitipoca é o sonho de todo piloto, vencê-lo é o maior desafio.” Para mim é a melhor prova de regularidade, tanto no que se refere à organização e também ao percurso. Acho que isso me faz andar mais motivada e mais determinada, fazendo com que tudo seja muito mais prazeroso. E como se trata do rallye de regularidade mais charmoso do Brasil, fico muito feliz em fazer parte dessa história”.  

IOR: O que você lembra de sua primeira participação- aquele lance  expectativa x realidade?

Késsia: “Lembro do frio na barriga e das mãos trêmulas antes da largada. O Ibitipoca é famoso por exigir técnica, navegação e resistência, tudo na mesma prova. Eu estava com medo de não conseguir completar e ficar sozinha nas trilhas. Mas graças a Deus ocorreu tudo bem comigo e com minha moto completei todo o percurso e não parei mais, cada ano foi uma motivação para o próximo.”

Késsia Pires Tristão: “Subir na rampa é emocionante e especial”

IOR: Alguma situação vivida no IOR marcou você de alguma forma, ficou de forma especial na memória?

Késsia: “É extremante emocionante e especial subir na rampa no final da prova. Todos os anos isso me marca muito. Fico esperando minha vez de subir e enquanto isso passa um filme na minha cabeça, sobre cada trecho percorrido, cada alegria, cada perrengue, cada amizade. É uma sensação única estar ali suja, cansada, e com o brilho nos olhos de tanta felicidade”.

IOR: Qual a expectativa para este ano?

Késsia: “A expectativa é de uma prova muito especial. O IOR está cheio de novidades que irão abrilhantar ainda mais essa edição. Com certeza serão dois dias de trilhas inesquecíveis.”

A Edição Épica, como foi batizado o 31º Pro Tork Ibitipoca Off Road, está programada para os dias 27 e 28 de novembro.

Texto: Misto Quente Comunicação

Fotos: Savastano


Voltar

Todos os direitos reservados.