Alterações no JF Viva: veja o que muda para os eventos esportivos

Comprovante de vacinação contra covid-19 é obrigatório para acessar eventos em Juiz de Fora  Foto: Carlos Mendonça/PJF

A Prefeitura publicou neste sábado uma Nota Técnica que altera algumas normas da Etapa 1 do programa programa “Juiz de Fora Viva – cidade em movimento”, sobre a retomada das atividades sociais e econômicas no município.

O documento foi assinado pelo secretário de Desenvolvimento Sustentável e Inclusivo, da Inovação e Competitividade (SEDIC), Ignacio Delgado.

A partir de agora, está suspensa a limitação de público em eventos de qualquer natureza, incluindo os esportivos. E determina o aumento da capacidade dos espaços, conforme o percentual da população total com esquema vacinal completo. A realização de eventos está permitida até 5 da madrugada.

Os demais parâmetros e normas obrigatórias constam no Regulamento do JF Viva.

Mais gente vacinada, mais capacidade liberada

Conforme o boletim divulgado pela Prefeitura em 8 de outubro, já foram aplicadas 746.089 doses de vacina contra a covid-19 em Juiz de Fora. Foram 439.371 primeiras doses; 299.466 segundas doses ou doses únicas e 7.252 doses de reforço.

Mais de 746 mil doses de vacinas contra covid-19 foram aplicadas em JF
Foto: Carlos Mendonça/PJF

Por causa do avanço da imunização, a Nota Técnica determina as seguintes limitações de público nos eventos:

  • Até 59% da população com vacinação completa – 57% da capacidade do espaço;
  • 60% da população com vacinação completa – 60% da capacidade do espaço;
  • 65% da população com vacinação completa – 65% da capacidade do espaço;
  • 70% da população com vacinação completa – Fase 2 do “Juiz de Fora Viva”.

As alterações já podem ser praticadas em eventos esportivos, como corridas, campeonatos e jogos, incluindo estádios e ginásios, que antes estavam limitados s 50% do público. Além disso, são aplicadas nos seguintes eventos:

  • sociais: casamentos, noivados, happy hour, churrascos, formatura;
  • corporativos e educacionais: conferência, reunião, encontros de networking, treinamentos, simpósios, palestras, seminários, cursos, workshops, congressos, mesas-redondas e similares;
  • feiras comerciais;
  • culturais e de entretenimento: ensaios, festivais musicais, shows, casas noturnas e similares.

Antes, havia limitação de convidados incluindo o staff que trabalhava no evento, com 50%, 60% ou 70% da capacidade do espaço dependendo da finalidade. E o funcionamento era até 1h.

O lado dos clubes

Manchester espera ter público nos próximos compromissos pela Segunda Divisão do Mineiro Fotos: Daniel Braga/ Manchester

O Manchester Futebol solicitou no dia 5 de outubro a presença de público no jogo deste sábado, 8, contra o América de Teófilo Otoni pela Segunda Divisão do Campeonato Mineiro.

Em nota divulgada nas redes sociais, o clube esclareceu que foi comunicado via do Ofício nº 066/21-GAB da Secretaria de Esportes e Lazer (SEL) que a pasta “necessitaria preparar operacionalmente o Estádio Municipal Radialista Mário Helênio para receber tais eventos, e que não haveria tempo hábil para a realização do jogo em questão”. Na publicação, o clube informou que espera poder contar com o público em breve na competição.

Durante a disputa do Módulo 2 do Campeonato Mineiro, Tupi e Tupynambás optaram por seguir com portões fechados por conta dos custos para a presença do público. 

Protocolos mantidos no JF Viva

As demais normas da Etapa 1 do Regulamento do “JF Viva” continuam valendo: a obrigatoriedade de comprovação de esquema vacinal completo (duas doses ou dose única); distanciamento social de 1,5 metro para pessoas em pé e assentadas; obrigatoriedade do uso de máscara; medidas de higiene/etiqueta recomendadas pelo Ministério da Saúde.

A Nota Técnica reforçou a responsabilidade dos promotores e organizadores de eventos de cobrarem a apresentação de comprovantes vacinais e documento de identificação individual com foto na entrada dos espaços; de não permitir aglomerações e respeitar as medidas de proteção. E também em disponibilizar às autoridades municipais a documentação comprobatória da imunização dos clientes e dos funcionários.

A Prefeitura lembra que as normas do programa “JF Viva” podem ser revistas, de acordo com os resultados do monitoramento do contexto epidemiológico e social, local e internacional.

Texto: Toque de Bola – Roberta Oliveira

Fotos: Daniel Braga/Manchester; e Carlos Mendonça/PJF

Deixe um comentário