No Dia dos Pais, Beatriz Ferreira vai em busca do ouro olímpico!

Bia comemora vitória na semifinal do boxe categoria leve

  Corações juiz-foranos estarão em sintonia com a capital japonesa, Tóquio, na madrugada de sábado para domingo.

  De Nova Brasília, Salvador, Bahia, para Juiz de Fora, Minas Gerais. E daqui para o mundo do boxe, agora no maior evento esportivo do planeta. Essa é a trajetória de Beatriz Ferreira que se tornou a primeira mulher brasileira a chegar a uma final olímpica nos ringues. A partir das 2h do domingo, dia 8, horário de Brasília, ou seja, 14h de Tóquio, Bia decide o ouro da categoria leve do Jogos Olímpicos contra a irlandesa Kellie Harrington.

Vitória na semi

  Para chegar à disputa do ouro, Bia bateu a finlandesa Mira Potkonen por decisão unânime dos juízes. Assim, garantiu pelo menos a medalha de prata. Beatriz já é dona do ouro dos Jogos Pan-Americanos e campeã mundial de sua faixa de peso.

  Mas a pugilista baiana radicada em Juiz de Fora não está satisfeita. “Eu quero (a medalha) dourada, vou brigar até o fim. Vamos adiante, vamos subir no pódio, ficar no lugar mais alto e ouvir o nosso hino. Vai ser difícil tirar ela de mim. Treinei o tempo todo pra isso”, disse Bia em entrevista ao Sportv logo após a vitória na semifinal.

Sergipe e Bia com o ouro do Pan de Lima 2019

Pai, inspiração e treinador

  Entre os juiz-foranos de coração que estarão torcendo na cidade por Bia, o ex-pugilista baiano Sergipe, pai de Beatriz, estará em cada golpe desferido pela filha. Responsável pelo treinamento da filha desde pequena e, por isso, sua mudança para Juiz de Fora, ele pode ganhar uma ouro olímpico como presente de Dia dos Pais.

  “É uma emoção muito grande, ainda mais em ano de pandemia. Os Jogos foram adiados, treinamos por cinco anos, vencemos tudo nesse período. Só falta essa conquista. Subimos os degraus, garantimos bronze, depois a prata. Mas não estamos satisfeitos. Falei com ela: ‘está faltando uma’. O trabalho foi feito para ser campeã olímpica. Ela me disse: ‘a medalha é de Dia dos Pais, só vou mudar a cor dela’. A mãe de todas tá chegando aí”, afirma Sergipe.

Texto: Toque de Bola – Wallace Mattos

Fotos: divulgação/COI/Olympics.com; e arquivo pessoal

Deixe seu comentário