Menina de ouro, Bia Ferreira é medalha de prata em Tóquio!

Bia ostenta a prata conquistada em Tóquio

  “Desculpa, pai. Desculpa, Brasil.” Estas foram as palavras de Beatriz Ferreira logo após a final da categoria leve (até 60kg) do torneio olímpico de boxe. 

  Superada na final pela irlandesa Kellie Harrington, a pugilista baiana radicada em Juiz de Fora se desculpou. Mas, quem acompanha a trajetória desta lutadora, em todos os sentidos, sabe que a menina de ouro do boxe brasileiro não ficou devendo nada a ninguém. Nem mesmo ao pai, Raimundo “Sergipe” Ferreira.

Satisfeito

  Ex-boxeador e bicampeão brasileiro, Sergipe garante que a filha e pupila no boxe não deixou a desejar. Em vídeo postado nas redes sociais, o pai e treinador não escondeu o orgulho. “Estou muito feliz com a prata. É meu presente de Dia dos Pais. Ela não tem que pedir desculpas, para mim, é ouro!”

Bia (azul) apostou nas combinações na final

   Já fora do calor do momento, na entrevista após o pódio e nas redes sociais, Bia prometeu que o sonho do ouro não acaba agora. “Saí do Brasil com a meta de voltar com a mãe de todas. Tentei mudar a cor, não consegui, mas vou continuar trabalhando para que ela mude. Estou muito feliz. O objetivo era o ouro, mas estou muito contente com essa. Sou uma medalhista olímpica, isso é para poucos. Agora o trabalho continua, não vou parar aqui não, vou vender caro”, disse a pugilista que inicia novo ciclo para Paris 2024.

A luta 

  Bia aproveitou bem os contra-golpes no início do combate pelo ouro. Encaixando os jabs de esquerda e sequências pesadas, sempre encurtava a distância. A irlandesa desferia menos golpes, mas apostava nos diretos de direita potentes. Três juízes ao final do primeiro round deram vitória para Bia.

  Kattie começou o segundo round conectando mais golpes. Mas, quem perseguia a adversária pelo ringue era Bia, ainda acertando boas sequências. O fim foi de trocação franca, com uma combinação final de jab e direto de Bia entrando. Mas, para os juízes, irlandesa igualou a luta.

Kattie (vermelho) ficou com o ouro 

  Voltando mais agressiva para o terceiro round, Bia encaixou golpes pesados no início. Mas a adversária contra-golpeou na mesma moeda. Buscando mais os clinches, Kattie gastou o tempo, enquanto desferia alguns diretos. No fim, por decisão unânime, a irlandesa foi declarada campeã.

Texto: Toque de Bola – Wallace Mattos com informações do Instagram e GE.globo

Fotos: Janne Roriz/COB 

Wallace Mattos

Jornalista profissional, formado pela Faculdade de Comunicação Social (Facom) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), tem mais de 20 anos de carreira na qual já trabalhou em rádio, TV, jornal e mídias digitais. Além disso, tem experiência em gerenciamento esportivo, logística e administração de pequenos negócios. Entre as áreas de interesse e constante busca de aperfeiçoamento, destaca a busca pela discussão do papel da mídia no negócio do esporte e na construção de políticas públicas voltadas para o desenvolvimento das dimensões participativa e profissional das modalidades. EXPERIÊNCIAS PROFISSIONAIS: TUPI FOOTBALL CLUB, Juiz de Fora, Minas Gerais 2015: Consultor de comunicação/Chefe de delegação/Integrante do conselho consultivo. TRIBUNA DE MINAS, Juiz de Fora, Minas Gerais, Brazil 2004 – 2015 Repórter sênior (2009-2015) – Repórter júnior (2004-2008). TV ALTEROSA, Juiz de Fora/Varginha, Minas Gerais/Minas Gerais 2003 Assistente de Marketing/Repórter esportivo. TV ALTO LITORAL, Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro 2002 Estagiário/Repórter júnior. MOSTARDA PROPAGANDA, Juiz de Fora, Minas Gerais 2001 Estagiário/Redator. RÁDIO SOLAR, Juiz de Fora, Minas Gerais 2001 Estagiário.

Deixe seu comentário