Fábio explica estratégia do ouro: “Queríamos o recorde das Américas”

Gabriel salta para o ouro aos 19 anos

O treinador de Gabriel Araújo e da seleção brasileira, Fábio Antunes, comentou a estratégia adotada na conquista da medalha de ouro alcançada pelo atleta nos 200 metros livre na categoria S2 nos Jogos Paralímpicos de Tóquio.

 Gabriel alternou os estilos e o resultado final foi uma vitória consagradora com mais de oito segundos de vantagem sobre o segundo colocado.

  “Muitos não entenderam o giro para o nado costas. Foi testado em várias ocasiões”, revela, para emendar: “Não queríamos somente o ouro, queríamos o recorde das Américas. Então, ali era a hora”.

Fabio Antunes e Gabriel em Tóquio

  Fabinho explicou como foi a preparação para alcançar o objetivo traçado: “Estudamos tempo de giro, submerso, parciais de prova, frequência, número de pernadas, número de respirações e muito mais”.

  O técnico abriu a postagem comentando: “200 livre perfeito. É ouro, é recorde das Américas. Mas quero falar de outras coisas”. E em seguida enumera: programa de treino, estratégia de prova, planejamento, estudo, confiança, treinamento”.

 Fábio encerra com bom humor: “O resultado está aí. Valeu Gabriel por acreditar nas teorias malucas”.

  Gabriel já estreou nas Paralimpíadas de Tóquio com medalha de prata nos 100m costas. Depois do ouro nos 200m livre, ainda pode conquistar mais um pódio, desta vez nos 50m, costas, com eliminatória na noite de quarta (hora de Brasília) e final na manhã de quinta-feira.

Texto: Ivan Elias – Toque de Bola

Fotos: Comitê Paralímpico Brasileiro

 

Ivan Elias

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Deixe um comentário