Brasil acorda para aplaudir o Gabrielzinho de ouro!

Gabriel salta para o ouro aos 19 anos

  Mais que uma medalha de ouro, foi um espetáculo.  Técnica, estratégia, competência, fôlego e… pódio com dancinha. Só não foi completo mesmo porque dá para imaginar o estado em que ficaria o palco se fosse permitida a presença de público.

  O paratleta do Clube Bom Pastor, Gabriel dos Santos Araújo, conquistou neste domingo, dia 29, a medalha de ouro nos Jogos Paralímpicos de Tóquio. A prova foi disputada por volta das 7 horas da manhã e emocionou o País que já estava acordado.  

  O mineiro de Corinto radicado em Juiz de Fora e treinado pelo juiz-forano Fábio Antunes, ganhou com muita folga para os demais competidores.

   Como a prova de 200 metros era estilo livre, na categoria S2, Gabriel revezou. Nos primeiros 100m, ele nadou com a barriga virada para baixo. Dos 100m aos 150m, virou-se para cima, em nado costas. E aí finalizou a última piscina novamente de barriga para baixo.

   Se deu certo? Gabrielzinho, que foi o dono da primeira medalha nacional na competição – prata nos 100m costas logo no primeiro dia – registrou 4min06s52 no Centro Aquático da capital japonesa, contra 4min14s17 do  chileno Alberto Abarza e 4min15s95 do russo Vladimir Danilenko. Outro brasileiro na prova, Bruno Becker ficou em quarto lugar (4min22s63).

   “Espero que esse seja o primeiro (ouro) de muitos outros. Era isso que eu queria. Foi para isso que eu vim. Consegui baixar o meu tempo, fiz o novo recorde das américas. Treinamos forte, estava tudo controlado, eu sabia o que fazer e o resultado veio. Não existe emoção maior”, comemorou Gabriel Geraldo.

Treinador Fábio Antunes abraça o campeão olímpico

    Ele chegou a fazer uma live no Instagram antes mesmo da cerimônia de premiação, esbanjando o bom humor habitual e sem tirar por um décimo de segundo o sorriso no rosto. E – acreditem! – sem demonstrar cansaço algum.

  Quem por algum motivo entrou na rede social do atleta sem saber que a prova já havia ocorrido deve ter custado a acreditar que ali estava um atleta que imprimiu uma velocidade impressionante para se consagrar com o ouro paralímpico instantes atrás.

  Depois da prata e do ouro, a sensação paralímpica da natação ainda pode buscar mais uma medalha, desta vez nos 50m costas, com eliminatória na noite de quarta-feira, dia 1º e final na quinta, dia 2.

Texto: Ivan Elias

Fotos: Comitê Paralímpico Brasileiro, Paraswimming e reproduções SporTV

Os donos do pódio

Ivan Elias

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Deixe seu comentário