Autonomia, independência e liberdade: Bara exalta Centro de Ensino do JF Vôlei

Centro de Ensino JF Vôlei funciona no Bairro Granbery

  Rua Barão de Santa Helena, 535, Bairro Granbery. O JF Vôlei agora tem uma casa: o Centro de Ensino, onde pretende centralizar as categorias de base e desenvolver outros projetos.

  O arrendamento do antigo ginásio do Crac foi anunciado na coletiva do gestor Maurício Bara Filho e do supervisor Heglison Toledo. O contrato, inicialmente, deve ter um ano de duração, com renovação automática.

  Para entender a importância deste momento e o que representa para a história do projeto do JF Vôlei, a reportagem do Toque de Bola conversou com Mauricio Bara Filho, que garantiu que é um incentivo para seguir em frente.

  “A gente estava muito motivado para começar o trabalho no centro. Seria muito importante ter o próprio local, então isso nos dá força, nos dá energia. O principal é isso: nos dá motivação para continuar”.

Casa significa liberdade e autonomia

Centro de Ensino era um sonho, diz Bara

  De acordo com Bara, ter o próprio centro de ensino era um sonho acalentado há alguns anos, um desdobramento natural do andamento do trabalho do JF Vôlei. Além da equipe adulta, que voltará a disputar a Superliga B, a proposta é também atuar na pesquisa e na extensão.

  “A gente sentia falta de poder desenvolver nossa própria escola, devido às limitações naturais de quando você não está na sua casa propriamente dita. A ideia sempre veio na cabeça. No último ano, a gente aumentou a nossa procura, tentar abrir um pouco o leque de ideias, onde poderia ser um local que a gente tivesse mais liberdade de ação e pudesse ter uma ênfase interessante na questão de todas as atividades”, disse à reportagem do Toque de Bola.

  Bara contou que este anúncio representa um passo fundamental na história do projeto. “É muito importante, um marco muito importante. Veio agora a concretização, mas a gente vinha conversando há muito tempo, bem antes do título da Superliga B”, destacou.

Atletas da base já treinam no Centro de Ensino  JF Vôlei 

  O gestor detalhou como a conquista deste Centro de Ensino impacta de diferentes maneiras no andamento dos trabalhos realizado.

  “Significa muita coisa: autonomia, uma independência em vários fatores, poder implantar novas ideias. Nos dá uma autoconfiança maior para dizer ‘vamos lá na casa do JF Vôlei’ da maneira que está e da maneira que a gente quer melhorar a casa a cada dia no decorrer do próximo ano”, resumiu.

“Uma quadra está ficando pequena”, disse Bara

  Desde o início de julho, levantamentos e cortadas fazem parte dos barulhos vindos da quadra. Os atletas são orientados pelo técnico Marcão, que falou sobre a renovação do contrato na webradio Nas Ondas do Toque.

Marcão treinando os garotos da base no Centro de Ensino JF Vôlei

  “As equipes de base [infantil, sub-17 e sub-19] estão treinando lá. A gente tem garotos entre 14 e 18 anos. O feminino está em pauta, mais à frente. Isso já é um fato importante: esse local de pertencimento para os atletas”, afirmou Bara.

  Na coletiva, o supervisor Heglison Toledo ressaltou que concentrar as atividades em um local ajuda no controle de gastos e na geração de recursos.

  Bara reforçou que o objetivo é movimentar ainda mais o local, incluindo práticas de outras modalidades.

  “A gente pretende implementar parte do treinamento da equipe profissional, a escolinha do JF Vôlei para crianças, equipes de master. E aulas de outras modalidades também estão previstas para acontecerem lá. É um leque bem amplo. Eu já brinco que uma quadra está ficando pequena para a gente poder desenvolver tudo”, comentou.

Texto: Toque de Bola – Roberta Oliveira 
Fotos: JF Vôlei/Divulgação

Deixe um comentário