Vander Luiz, ex-Atlético e Flu, morre em acidente em Juiz de Fora

Vander Luiz Alves Givisiez morreu na noite de domingo
Vander Luiz jogou no Atlético na década de 1980

  Vander Luiz Alves Givisiez, de 58 anos, morreu na noite de domingo, 25, em um acidente de carro na BR-267 em Juiz de Fora.

  O meia começou a carreira no Nacional de Muriaé, despontou no Atlético Mineiro e passou por Fluminense (RJ), Guarani (SP), São José (SP), São Caetano (SP), Ipiranga (MG), Operário (PR) e Americano (RJ).

  “Uma perda muito grande. Aproveito para desejar meus pêsames à família. Eu tenho certeza de que sempre me lembrarei dele. Agradeço a oportunidade de falar sobre o jogador e a pessoa que ele foi”, disse Guto Carvalho, amigo de Vander Luiz desde a década de 1980.

  O Atlético Mineiro divulgou nota de pesar no site oficial e no Twitter. O Nacional de Muriaé também homenageou o ex-atleta nas redes sociais. Até as 21h30 de segunda-feira o Fluminense não publicou qualquer nota sobre o ex-atleta do clube.

“Era líder dentro de campo”

Vander e Guto Carvalho em foto de janeiro de 2020, ao lado da cozinheira Maria nos bastidores de uma confraternização esportiva: amizade iniciada nas categorias de base do Atlético

Guto Carvalho conheceu Vander Luiz nos anos 1980 quando jogaram juntos nos juniores do Atlético. As carreiras foram distintas, mas a ligação se manteve.

  “Foi uma amizade que eu fiz à parte, porque depois nos separamos. Eu tive a minha carreira profissional mais em Juiz de Fora. Ele jogou no profissional do Atlético, no Fluminense uma passagem muito legal; no São José, ele fez uma carreira lá exemplar, todos os torcedores até hoje se lembram dele. Eu sei disso através das redes sociais e de amigos que eu tenho lá também”, contou Guto ao Toque de Bola.

Vander Luiz no profissional do Atlético Mineiro

  De acordo com Guto Carvalho, os amigos se reencontraram quando Vander Luiz e família vieram morar em Juiz de Fora, há alguns anos.

  “Logo que eu fiquei sabendo que ele se mudou para Juiz de Fora, nós continuamos nossa amizade da época de Atlético. E eu convivi mais com ele aqui. Era uma liderança dentro de campo, sempre foi nos times que ele jogou, nas equipes que ele atuou. Uma pessoa humilde, uma pessoa de grupo”, narrou.

  Guto Carvalho destacou que Vander Luiz construiu um grupo de amigos em Juiz de Fora nestes anos em que morou na cidade. E se manteve líder nos jogos amadores.

  “Até nos jogos nas equipes amadoras de Juiz de Fora, eu tive o prazer de levar ele pra jogar na Juventude Imperial, no Bavet e ultimamente ele estava jogando no Botafoguinho. [Ele] fez um círculo de amizade muito grande em Juiz de Fora. Tinha um comércio bom na Zona Norte, rapaz honesto, comprometido, realmente eu estou muito chateado. Eu perdi, nós perdemos um grande amigo do futebol, um cara simplesmente maravilhoso, bacana”, resumiu.

Carreira

Vander Luiz Alves Givisiez morreu na noite de domingo
Nacional de Muriaé homenageou Vander Luiz

  De acordo com o Nacional de Muriaé, Vander Luiz começou a carreira no clube e após a morte do pai, se mudou para Belo Horizonte.

  O clube publicou uma nota no Instagram, relembrando a trajetória e se solidarizando com familiares e amigos.

   Na capital, defendeu as cores do Atlético em duas passagens na década de 1980. Foram 125 partidas e sete  gols marcados.

  Pelo Galo de BH, na primeira passagem, entre 1981 e 1983, fez parte da última equipe campeã da Copa São Paulo de Juniores, em 1983. Ele marcou um dos gols da vitória na decisão contra o Botafogo de Ribeirão Preto por 2 a 1.

  Nos anos seguintes, foi emprestado para outros clubes. Esteve no Pouso Alegre em 1984 e o Dragão publicou nota lamentando a morte no site oficial.

Nota oficial do Pouso Alegre sobre Vander Lee

  Em 1984, ele também foi emprestado ao Operário de Campo Grande; em seguida, ao Americano de Campos, em 1985.

  Em 1986, retornou ao Atlético onde fez parte do time profissional , comandado por Telê Santana, até 1988. Neste período, conquistou o Campeonato Mineiro em 1986 e 1988.

  No Twitter, o Atlético publicou um resumo da trajetória de Vander Luiz pelo clube e encerrou dizendo que “O clube acompanha e deseja força aos familiares neste momento de dor”.

Vander Luiz no Fluminense em 1989 

  Em seguida, se transferiu para o Fluminense, onde jogou em 1989 e 1990. De acordo com o site Panorama Tricolor, atuou em 39 jogos “como uma espécie de segundo volante com alta qualidade técnica”.

  Marcou quatro gols – um deles no Fla x Flu em 1990 – e fez parte do grupo campeão do Torneio de Kiev, em 1989.

  Nos anos 1990, teve passagem por outros clubes, como São José, Guarani, Desportiva Ferroviária, Vila Nova e se aposentou em 1994.

O acidente

  De acordo com o Corpo de Bombeiros, houve uma colisão entre dois carros, que capotaram e saíram da pista. Os veículos pararam em uma encosta de difícil acesso.

  O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) confirmou que os dois motoristas morreram no local.

  O passageiro no carro dirigido por Vander Luiz teve escoriações e lesões diversas. Ele é genro do ex-jogador e contou aos Bombeiros que uma pessoa o ajudou a sair do carro. O rapaz de 26 anos foi encaminhado pela equipe do Samu ao Hospital de Pronto Socorro (HPS).

  Após a perícia da Polícia Civil, os corpos dos motoristas foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) de Juiz de Fora.

  O corpo de Vander Luiz foi liberado na manhã desta segunda-feira, 26. De acordo com a funerária Candelária, o sepultamento está previsto para esta terça-feira, 27, em Divino, cidade natal do jogador.

Texto: Toque de Bola – Roberta Oliveira com informações do Atlético, Nacional de Muriaé, ge.globo, Terceiro Tempo e Panorama Tricolor.

Fotos: atlético/twitter; Atlético/Instagram; Nacional de Muriaé/Instagram; Panorama Tricolor/reprodução

Roberta Oliveira

Jornalista graduada e Mestre pelo Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Comunicação da Universidade Federal de Juiz de Fora. Experiência como Professora Bolsista da Faculdade de Comunicação Social. Desenvolve pesquisa na área de Jornalismo Esportivo, Identidade, Futebol e Representação Social da Mulher. Participou do Grupo de Pesquisa Comunicação e Esporte. Experiência de cerca de dois anos na Rádio Solar, cinco anos na Rádio Panorama FM, mais de quatro anos na produção da TV Panorama/Integração e repórter web por seis anos nos sites G1 e GloboEsporte da Zona da Mata, da TV Integração. Experiência com marketing de conteúdo, na Experta Media. Atualmente repórter do Portal de Notícias Toque de Bola, apresentadora na webradio Nas Ondas do Toque, além de criadora e responsável pelo blog Literatura de Mulherzinha (https://livroaguacomacucar.blogspot.com/).

Deixe um comentário