“Time perigoso”: Araucária desafia JF Vôlei na estreia em “casa”

  Se lar é onde alguém se sente em casa, o JF Vôlei tem dois na Superliga B: Juiz de Fora, a sede e Contagem, o palco dos jogos. E o primeiro como mandante será no ginásio do Riacho, neste sábado, 17h, contra o SMEL Araucária/ASPMA/Berneck, pela quarta rodada.

  O JF Vôlei lidera a competição com seis pontos em dois jogos, no desempate nos pontos pró contra o Anápolis. Voltando às quadras nesta rodada, o Araucária está em último, sem pontuar, com uma derrota no único jogo que disputou até agora contra o Brasília.

Lar doce lar

  As restrições sanitárias para combate à pandemia da covid em Juiz de Fora fizeram o time a acertar com o Sada Cruzeiro o uso do ginásio do Riacho nos jogos pela Superliga B. O local já está adequado aos protocolos e exigências para a competição nacional.

  O técnico Marcos Henrique Nascimento, o Marcão, considerou importante ter uma casa de peso para receber os rivais ao longo do torneio. “Jogar em Minas Gerais é muito bom. Uma pena não jogar na UFJF, que tem uma tradição, mas a gente está indo para outro lugar com tradição. Então jogar em um ambiente assim é muito bom, motiva qualquer atleta. Na estreia em casa, estamos cientes de que a gente tem que jogar bem e confirmar a nossa vitória”, ressaltou.

Cláudio Bento

Lição de casa

  Com o adiamento do jogo contra o Brasília, a comissão técnica ganhou mais tempo para estudar o adversário deste sábado. Marcão elencou os motivos para estar atento contra o adversário.

  “Eles têm uma base que jogou a Superliga C e foi vice-campeão paranaense. É um time bom, muito qualificado, com peças bem interessantes que erram muito pouco. Um time perigoso. Tem um levantador que jogou por Uberlândia no passado, Cláudio Bento, que, com certeza, vai dificultar o nosso jogo”

  E estas informações foram vitais para os treinamentos desta semana. “A gente só tem um jogo com essa formação completa [do Araucária], mas a gente tenta se cercar por outras áreas. Estudamos bastante e, na parte técnica, trabalhando muito o que a gente tem de deficiência”, ressaltou.

Araucária “reestreia” na Superliga B

  A covid-19 atrapalhou a sequência de jogos do SMEL Araucária/ASPMA/Berneck na competição. O time não teve casos positivo, o que é a boa notícia. No entanto, teve que cumprir quarentena por 15 dias, apenas treinando dentro dos protocolos de segurança, porque o Brasília teve três jogadores com diagnóstico positivo.

Quando seria possível voltar, os dois adversários seguintes também tiveram casos confirmados. As partidas contra o Vôlei Futuro e o Anápolis foram remanejadas para os dias 17 e 24, respectivamente.  Apesar dos contratempos, o time paranaense confia em um bom resultado como visitante neste sábado.

  “O jogo frente à boa equipe do JF Vôlei não será fácil, [ela] tem um elenco qualificado e jogadores com muita experiência. O levantador Gustavo está fazendo um excelente trabalho na distribuição de bolas e isso dificulta demais o trabalho dos bloqueadores. Apesar do JF Vôlei ser um desafio, estamos numa crescente e treinando muito, acredito que sairemos com a vitória nesse confronto”.

  Para montar o grupo que veste a camisa do Araucária, o objetivo foi dar sequência ao trabalho que levou o clube à Superliga B.

  “Nossa meta foi valorizar nossa jovem geração de atletas e trazer reforços pontuais com experiência em competições nacionais, para transmitir tranquilidade durante os jogos. Dessa forma eles vão adquirir a maturidade necessária e ter um crescimento técnico e psicológico que será muito importante no decorrer da competição”, informou a assessoria ao Toque de Bola

 

Texto: Toque de Bola – Roberta Oliveira

Fotos:  JF Vôlei/divulgação; SMEL Araucária/ASPMA/Berneck/divulgação

Deixe seu comentário