É campeão! Mirassol levanta a Taça da Série D

Arte: @mirassolfc/reprodução

O Mirassol conquistou o primeiro título nacional em 95 anos de história ao vencer o Floresta. João Carlos marcou o gol que deu o título do Campeonato Brasileiro da Série D 2020 na partida disputada neste sábado, 6 de fevereiro.

  Com a vantagem de decidir no Estádio José Maria de Campos Maia, o time de Eduardo Baptista conquistou a 12ª vitória em casa. E terminou invicto no Maião, porque empatou o jogo de estreia.

  O gol de João Carlos aumentou a pressão sobre o Floresta. O Mirassol venceu por 1 a 0 o primeiro jogo, em Fortaleza, no dia 30 de janeiro. Para reverter a desvantagem, os cearenses precisavam de vencer por dois gols para levar aos pênaltis.

  E a situação ficou ainda mais complicada porque o time do técnico Leston Júnior disputou o segundo tempo inteiro com um jogador a menos. 

  No fim, houve festa em campo e do lado de fora, onde a torcida do Mirassol se aglomerou que para recepcionar o time e acompanhar a partida. 

  Além de Mirassol e Floresta, os semifinalistas Altos e Novorizontino subiram para a série C 2021. O Tupynambás, que participou pela primeira vez da competição, foi eliminado na segunda fase pelo Aparecidense.

A decisão foi disputada no Maião, em Mirassol

Início eletrizante

  O Mirassol mostrou logo de cara que não pretendia se acomodar com a vantagem do empate. Fez uma blitz e criou pelo menos duas oportunidades de perigo ao gol defendido por Douglas Silva.

  O primeiro ataque do Floresta foi aos seis minutos, quando conquistou um escanteio, mas não conseguiu criar uma ameaça clara ao gol de Jeferson.

João Carlos marcou para o Mirassol

Tem gol… e mais pressão!

  Quando o ritmo diminuiu e o jogo parecia mais equilibrado, Rafael Tavares lançou Luiz Henrique pela esquerda. O lateral invadiu a área e chutou. Douglas Dias defendeu, mas, no rebote, João Carlos não deu chance e abriu o placar.

  O Mirassol persistiu no ataque: após um bate-e-rebate na área, Rafael Tavares chutou para fora. Pouco depois, Luiz Henrique de novo pela esquerda cruzou, encontrou Netto que completou para fora.

  Ainda houve um terceiro lance, desta vez, Rafael Tavares lançou Netto livre pela direita. De novo, a bola não entrou.

Dez minutos

Eduardo, do Floresta, foi expulso no fim do 1º tempo

  Esse foi o tempo que levou para o zagueiro Eduardo, do Floresta, participar de três lances importantes. Aos 36 minutos, Eduardo foi o responsável pelo lance mais ameaçador do time cearense no primeiro tempo, mas a bolsa saiu.

  Dois minutos depois, o zagueiro levou o primeiro cartão amarelo do jogo, por dar um carrinho em Netto para matar uma jogada no meio campo.

  Aos 46 do primeiro tempo, novo embate entre Netto e Eduardo. O zagueiro derrubou o atacante do Mirassol pela direita. Os donos da casa até pediram pênalti. No entanto, o juiz Vinicius Gomes do Amaral marcou a falta próxima à linha da grande área e puniu o zagueiro com o segundo amarelo, o que levou à expulsão.

  Na cobrança, a bola desviou na zaga do Floresta e foi pra linha de fundo. E assim acabou o primeiro tempo.

Controle de jogo

Núbio Flávio entrou no lugar de Deizinho 

  Mesmo com um a menos, o Floresta voltou sem alterações no segundo tempo, mas Leston Júnior mandou os jogadores do banco de reservas para o aquecimento. A primeira mudança foi aos sete minutos, com a entrada de Núbio Flávio no lugar de Deizinho. 

  Mirassol controlava a posse de bola e cadenciava o ritmo, deixando o relógio correr enquanto esperava uma brecha na marcação para chegar ao gol de Douglas Dias. Em um destes momentos, Cássio Gabriel chutou para fora.

  Eduardo Baptista tirou o autor do gol, João Carlos, e colocou Gustavo Henrique. No lado do Floresta, Leston Júnior colocou René no lugar de Thalison. Os dois treinadores queriam dar mais mobilidade à equipe.

  René protagonizou dois lances: o primeiro, com ao chutar do grande círculo no lado do Floresta, ao perceber que o goleiro Jeferson estava afastado da grande área. Mas faltou força. Pouco depois, após criar chance pela esquerda do ataque, mas não entrou.

Douglas Dias!

  Perto dos 30 minutos do segundo tempo, o goleiro do Floresta brilhou em dois lances perigosos. Aos 28 minutos, Netto desceu com muita liberdade pela esquerda do ataque, deu um corte que deixou Fábio Alves caído no campo e chutou. Douglas Dias defendeu.

  Poucos minutos depois, com a defesa do Floresta adiantada, Gustavo Henrique foi lançado em posição legal. No entanto, Douglas Dias levou a melhor no mano a mano com o atacante e impediu o segundo gol do Mirassol.

Jogadores posam com a Taça da Série D

É festa!

  O juiz apitou e os jogadores e a comissão técnica do Mirassol correram pelo campo do Maião para celebrar o título nacional inédito. Do lado de fora, a torcida soltou fogos de artifício.

  Após a montagem do palco, os jogadores pegaram as medalhas e o capitão Heitor ao lado de Cássio Daniel, pegaram e ergueram a Taça da Série D.

Mirassol 1 x 0 Floresta

Gol: João Carlos (MIR), aos 17 minutos do primeiro tempo

Arbitragem: Vinicius Gomes do Amaral, auxiliado por Jorge Eduardo Bernardi e Jose Eduardo Calza. Todos do Rio Grande do Sul. 

Mirassol

Jeferson; Vinícius; Danilo Boza; Heitor; Luiz Henrique; Daniel (Eduardo); Cassio Gabriel; Rafael Tavares (Lucas Silva); Netto (Oliveira); João Carlos (Gustavo Henrique) e Fabricio Daniel (Alison).
Técnico: Eduardo Baptista

Floresta

Douglas Dias; Alisson; Willian Goiano; Eduardo; Fabio Alves; Jo (Italo); Marconi; Deizinho (Núbio Flávio); Ronaldo (Lula); Flávio Torres (Luiz Soares); Thalison (René).
Técnico: Leston Júnior

Texto: Toque de Bola – Roberta Oliveira
Foto: reprodução CBF TV/My Cujoo; Célio Messias/CBF
Arte: @mirassolfc/reprodução; 

Deixe seu comentário