Natação do Bom Pastor: paciência e foco são estratégias para 2021

  O ano de 2020 começou com vários planos para os 68 nadadores e nadadoras convencionais e paralímpicos da equipe do Clube Bom Pastor. Na agenda, diversos campeonatos e a seletiva olímpica.

  Aí veio a pandemia e o cenário ficou totalmente imprevisível. No último quadrimestre, a volta aos treinos e uma nova realidade: as competições online.  Essa jornada deixou um aprendizado para o próximo ano, de acordo com o técnico Fábio Antunes.

  “Haveria  a seleção para as paralimpíadas de Tóquio será de 25 a 28 de março, mas essa e outras competições foram suspensas pelo Comitê Paralímpico Brasileiro. Não queremos criar muitas expectativas, pois não sabemos o que virá em 2021”, explica.

Disputas adiadas

Nadadoras e nadadores na piscina do Bom Pastor

  Por causa do novo coronavírus, os Jogos de Tóquio 2020 foram transferidos para 2021. Outras competições locais, regionais, estaduais e as organizadas pela Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) foram canceladas.

  Isso alterou as prioridades, como explica o técnico. “Nossa meta era manter o grupo unido e não ter muitas perdas físicas”, conta.

Competições online

  Com a volta aos treinos, vieram as competições online. Ou seja, tomadas de tempos feitas no próprio clube, respeitando regulamentos, que eram aferidas, compiladas para se chegar aos resultados. O trabalho executado durante a pausa e no retorno às atividades pode ser avaliado.

  “Participamos da Copa Brasil, que foi uma ação entre os treinadores, competição extra oficial.  Depois vieram as regionais sudeste, organizadas pela Federação Mineira, onde os tempos entraram no ranking mineiro. Em seguida, a Copa União, tomadas de tempo avulsas e, por fim o campeonato Brasileiro Virtual, organizado pela CBDA. Os resultados foram excelentes. A grande maioria atingiu as melhores marcas pessoais”, celebra.

Metas para 2021

Fábio (último à direita) e parte da equipe do Bom Pastor

  Antunes ressalta que o ano atípico e, de certa forma, caótico para os envolvidos na equipe, deixou lições importantes para a próxima temporada.

  “A lição é que temos que ter paciência, foco, união, espírito de equipe. E é fundamental manter o corpo e a mente prontos para a guerra. Estar sempre preparados para nadar rápido”, destaca Fábio.

Confiança

  Os resultados obtidos contribuíram para a confiança dos atletas paralímpicos e convencionais no trabalho realizado. “E, independente do calendário, se for presencial ou online, vamos estar prontos para nadar o mais rápido”, garante o técnico.

Texto: Toque de Bola – Roberta Oliveira.

Fotos: Clube Bom Pastor/Divulgação

Arte: Toque de Bola

Deixe seu comentário