Jogadores da Bocha Casa D’Italia veem aprendizado no Bolim de Ouro Brasil

Daniel Abruzzi, campeão 

  Os representantes da Bocha Casa D’Italia JF fizeram uma avaliação positiva da participação no 7º Bolim de Ouro Brasil 2020.

  Estreantes na competição, Everaldo Medeiros e Francisco Farinelli não se classificaram para a segunda fase. Noventa e dois jogadores disputaram a competição entre os dias 4 e 6 de dezembro

  O campeão foi Daniel Abruzzi, do Clube União de Moços, de Garibaldi (RS). Ele está classificado para a disputa do “Pallino D’Oro”, na Itália, em data a ser marcada devido à pandemia da covid-19.

Aprendizado e desejo de mais treinamento

  A avaliação de Everaldo Medeiros e de Chico Farinelli passa por estes dois pontos: a experiência adquirida pela participação e a falta de uma preparação adequada. Ambos destacaram a qualidade do evento e do trabalho da organização.

  Everaldo considerou que foi “razoável”, ao terminar a competição com duas derrotas e uma vitória.  “O nível é muito alto. A falta de treinamento repetitivo implicou muito no rendimento”, disse.

Everaldo (esq) e Chico (dir) disputaram o Bolim de Ouro Brasil

  Para Chico Farinelli, a estreia ficou marcada pelas lições de enfrentar os melhores do país inteiro.

  “Nós jogamos contra os melhores do Brasil. Isso, para a Bocha, é fora do comum. Você enfrentar o número 1 do ranking num campeonato desse é uma experiência formidável. Isso vai acrescentar à gente mais vontade para chegar lá no ano que vem e conseguir jogar de igual para igual”.

  E para retornar ao Bolim de Ouro Brasil em 2021, os dois batem na mesma tecla: a necessidade de ter local adequado para treinar.

  “Enquanto tiver sem canchas para treinar, resultado será abaixo do normal, mas, num futuro próximo, melhores resultados poderão vir a surgir. A competição foi muito proveitosa servindo como mais um aprendizado”, ressaltou Everaldo Medeiros.

  Chico Farinelli reforçou a importância de obter apoio para concluir as obras, porque isso vai refletir nos resultados dos jogadores da bocha da equipe da Casa D’Itália.

  “O que nos faltou foi treino. Para isso, a gente precisa terminar as obras da nossa quadra. A gente espera aí que alguém da cidade, os empresários, possam ajudar a nossa equipe. Para que no ano que vem, possamos ir bem treinados e [trazer] com um resultado bem melhor que esse de agora”, afirmou.

Rodrigo Noronha, campeão do Psicodelic Bocce X-Treme

Avaliação dos organizadores

  Na final, o gaúcho Daniel Abruzzi venceu por 15 a 9 o atleta Rodrigo Noronha, do Esporte Clube Pinheiros, de São Paulo (SP).

  E Noronha foi o campeão do Psicodelic Bocce X-Treme, disputado na sexta-feira (4), pelos 12 primeiros colocados do ranking do Bolim de Ouro. Na final, ele ganhou do paulista Rodrigo Garcia pelo placar de 12 a 11.

  Mesmo com as restrições por causa dos protocolos de segurança sanitária, o organizador, Fran César Banhos disse à reportagem do Toque de Bola que o Bolim de Ouro 2020 foi aprovado.

Arte: Toque de Bola

“O evento foi um sucesso total, as pessoas estavam de parabéns, todo mundo seguindo os protocolos, de restrição de público, de distanciamento social e uso de máscara. O evento foi muito bom, nós tivemos um alcance no Facebook de 190 mil visualizações das partidas finais. Foi muito bom, muito gratificante”.

Texto: Toque de Bola – Roberta Oliveira com informações da Bocha Casa D’Itália.

Fotos: Bocha Casa D’Itália/Divulgação; Bolim de Ouro Brasil 2020/Divulgação

Arte: Toque de Bola

Este post tem um comentário

  1. Francisco César Banho

    Muito boa a reportagem, sintetizou muito bem o que foi o Evento ! Parabéns a Equipe do TOQUE DE BOLA, e em Especial a Repórter Roberta pela belíssima matéria.

    Abs.
    Fran

Deixe um comentário