E o Ademilson, hein? “Subiu” de novo!

Ademilson foi auxiliar do Athletic no Módulo 2

  Ídolo da torcida do Tupi, time pelo qual conquistou o acesso e o título na Série D do Brasileiro em 2011, marcado na história do Tupynambás, pelo qual atou no acesso à elite do Mineiro em 2018, o atacante Ademilson subiu mais uma vez esse ano.

  Desta vez, o acesso veio com o Athletic, pelo qual atou também na chegada ao Módulo 2 em 2018, mas com o jogador atuando como auxiliar técnico.
  Fora de campo desde o fim do Estadual 2020, Adê, capixaba radicado em Juiz de Fora, aos 46 anos, ainda não decretou oficialmente a aposentadoria do gramados.

  Mas, com exclusividade ao Toque, disse ter tomado gosto por atuar fora das quatro linhas, ainda mais ajudando a equipe de São João Del Rei a voltar à elite do Campeonato Mineiro após 50 anos.

Novo rumo?

  “Ficar de fora foi uma sensação inédita. Os atletas me receberem de braços abertos, o Cicinho (Cícero Júnior, técnico do Athletic) e a diretoria também. É uma vibração totalmente diferente. Tem hora ali que dá até vontade de entrar dentro do campo para jogar, mas tem que se conter. Foi bem legal, uma experiência muito boa, ainda mais subindo. Quem sabe eu possa seguir como auxiliar, mas ainda não tem nada decidido”, explica.

Adê conversa com Nathan na beira do campo

  Segundo Ademison, a maior dificuldade foi manter o grupo concentrado, medida adotada para isolar o grupo do novo coronavírus. “Cheguei durante a competição, e a parte mais difícil foi, por conta da covid, manter 27 jogadores no alojamento, sem sair para nada. O planejamento foi fantástico. Jogadores e comissão tiveram todo o suporte e deu certo”, comemora o auxiliar que chegou ao clube em setembro.

Dedicação 

  Para o auxiliar do Athletic, a dedicação foi o grande diferencial do time na luta pelo acesso. “O Módulo 2 é diferente da Primeira Divisão. É mais correria. O Athletic tinha muitos jogadores técnicos que teve que mudar suas características para ser mais aguerrido. Mas deu certo. Se encaixaram e o acesso veio”, diz Ademilson.

  Mas a certeza do acesso só veio nos minutos finais do empate em 0 a 0 com o Betim.

Ademilson. Arte: Toque de Bola

  “Quando vi a dedicação deles em campo, Fazendo as coberturas, dando carrinho, minimizando os erros ao máximo, pensei: podemos até não fazer o gol, mas não vamos tomar. E deu tudo certo. Subi pela segunda vez aqui, primeiro em campo e agora fora”, comemora Adê. 

Texto: Toque de Bola – Wallace Mattos

Fotos: divulgação Facebook Athletic

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Deixe seu comentário