Covid-19 e WO na Terceirinha: Betis lutará para não receber punições!

  No último domingo, dia 6, o futebol mineiro registrou seu primeiro WO por conta de um surto de covid-19. 

Roberto Gaúcho (dir) é um dos infectados do Betis

  Em Ouro Branco, o Betis não entrou em campo para enfrentar o União Luziense, pela Segunda Divisão do Campeonato Mineiro, conhecida como Terceirinha.

  Assim, foi decretado WO e o time visitante venceu o confronto válido pela terceira rodada por 3 a 0, como manda do regulamento da competição.

  A punição é considerada injusta pela diretoria do Betis, que lutará no TJD para revertê-la. Ao mesmo tempo, os dirigentes buscam saída para colocar um time em campo no próximo fim de semana.

Surto

  Segundo o relato da súmula do árbitro Luís Carlos Brum, o time da casa seguiu orientação da Secretaria Municipal de Saúde de Ouro Branco. Depois de dez atletas e o técnico, Roberto Gaúcho, ex-jogador do Cruzeiro, testarem positivo para covid-19, as autoridades sanitárias aconselharam o isolamento dos infectados e dos demais jogadores, por conta da proximidade de contato. 

  Confira a íntegra o relato do árbitro Luíz Carlos Brum: 

  “A EQUIPE DO BETTIS FUTEBOL CLUBE NÃO COMPARECEU AO CAMPO DE JOGO CONFORME ORIENTAÇÃO DA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DA CIDADE DE OURO BRANCO PELO MOTIVO DE 10 ATLETAS DA EQUIPE E O TREINADOR FORAM POSITIVADOS PARA COVID 19. FOI ORIENTADO ISOLAMENTO IMEDIATO DOS ATLETAS POSITIVADOS E ENCAMINHADOS PARA UNIDADE EXTENSIVA DOMICILIAR E OS DEMAIS ATLETAS DO BETTIS FUTEBOL CLUBE POR MEDIDA CAUTELAR FORAM TAMBÉM ISOLADOS DA SOCIEDADE EM GERAL.”

No TJD

Betis esta no grupo B da Segunda Divisão

  O caso agora vai ser analisado pelo Tribunal de Justiça Desportiva de Minas Gerais (TJD-MG), para onde foi encaminhada a súmula. Segundo o diretor de futebol do Betis, Lucas Baresi, a documentação com as alegações do clube também já seguiu para Belo Horizonte.

  “Seguimos todos os protocolos, e os exames deram positivo. Então, a Secretaria de Saúde isolou os mesmos e o restante do grupo por precaução”, explica Baresi. “Nosso jurídico já encaminhou a documentação pedindo a remarcação do jogo. Nunca tivemos um WO, nem na base, nem no feminino, nem no profissional. Mas foi preciso priorizar a saúde”, completa.

Pode ser eliminado

  Além das sanções já impostas ao Betis, outras futuras, como a eliminação da Segunda Divisão do Campeonato Mineiro, suspensão por dois anos e multa podem ocorrer (veja abaixo os artigos do regulamento que abordam o WO).

  Isso porque o prazo mínimo de isolamento em casos de surto como o do time de Ouro Branco, nos protocolos da Confederação Brasileira de Futebol e da Federação Mineira de Futebol, é de dez dias.

Só 13

Elenco do Betis passa por surto de covid

  O Betis só terá condições de entrar em campo neste sábado, dia 12, para enfrentar o América de Teófilo Otoni, fora de casa, caso os outros oito atletas inscritos na competição não tenham testado positivo para covid-19.

  A eles podem se somar, no máximo, cinco atletas amadores, pelo regulamento da Segunda Divisão. “Temos 18 atletas inscritos no profissional (dez com covid-19). E só podemos incluir cinco da base. Então, podemos ter que jogar em Teófilo Otoni com 13 jogadores”, descreve Lucas.  

O que diz o Regulamento Geral de Competições (RGC)?

Art. 40 – O WO por ausência de um dos clubes (ou ambos) ou pelo comparecimento sem o numero mínimo de 07 (sete) atletas será automático, ou seja, a Diretoria de Competições (DCO) irá homologar o resultado (3×0) independente da decisão do processo respectivo no Tribunal de Justiça Desportiva (TJD).

Art. 41 – Dois WOs, no mesmo campeonato, pelo mesmo clube, serão considerados como abandono de competição, aplicando-se a regra do artigo pertinente deste RGC, sem prejuízo das disposições específicas do Regulamento Específico da Competição e do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

Art. 42 – Todo e qualquer caso de WO ou semelhante terá sua súmula necessariamente encaminhada ao TJD.

Art. 67 – Em caso de desistência, abandono ou exclusão de competição profissional, o clube ficará automaticamente rebaixado para a divisão imediatamente inferior, além de estar sujeito, nas duas últimas hipóteses, a uma multa de até R$200.000,00 (duzentos mil reais) e suspensão de 02 (dois) anos de todas as competições chanceladas pela DCO, sem prejuízo das penas eventualmente impostas pela Justiça Desportiva.

Texto: Toque de Bola – Wallace Mattos

Fotos: reprodução YouTube/Betis; e divulgação Betis 

Arte: Toque de Bola 

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Deixe seu comentário