Futebol do Tupi em 2021: “Terceirizar não, mas a parceria é possível”

Arte: Toque de Bola

Após um ano conturbado nos bastidores, o Tupi já planeja a temporada de 2021. Em reunião da diretoria na última semana, o clube definiu as diretrizes da formação de um novo projeto para o futebol profissional.

Depende do recurso

  Em entrevista ao Toque de Bola, o presidente do Carijó, José Luiz Mauler Júnior, o Juninho, falou sobre o atual estágio de atuação da diretoria. Segundo ele, a montagem de bom time depende, diretamente, de uma boa captação de recursos.

  “Estamos mandando um projeto para vários patrocinadores para sabermos o que vamos conseguir captar de recurso. Com os contratos assinados, vamos ver de que forma vamos conseguir viabilizar o futebol. Se tivermos um recurso modesto, teremos que viabilizar algo mais modesto, para que não fiquemos devendo ninguém, como fiz esse ano. Se tivermos um recurso mais volumoso, fazemos um time melhor”, analisou Juninho.

Terceirização do futebol profissional?

Nas últimas semanas, ventilou-se nos bastidores a possibilidade de o Tupi terceirizar o futebol profissional, assim como fez com todas as categorias de base. Questionado sobre o tema, Juninho foi sucinto em dizer que não há chance de terceirização, mas sim de parceria.

  “Não diria terceirizar, mas formar uma parceria. Sempre teríamos o projeto sob nossa supervisão. Terceirizar não, mas a parceria é possível”, finalizou.

  O Carijó disputará inicialmente, assim como na temporada 2020, apenas o Módulo 2 do Campeonato Mineiro em 2021.

Texto: Toque de Bola – Pedro Sarmento, edição e supervisão Ivan Elias

Arte: Toque de Bola

Foto: Arquivo Toque de Bola

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Este post tem um comentário

  1. Daniel Vieira

    A terceirização seria uma vergonha para um time histórico e tradicional como o Tupi.

Deixe seu comentário