Um a um: Baeta e Atlético mantêm posições na Série D

Empate manteve Atlético e Tupynambás nos mesmos lugares da tabela.

  Voltar ou se fortalecer ainda mais no grupo que avança para a próxima fase, assumir a vice-liderança e se recuperar das derrotas na sexta rodada. A partida entre Atlético de Alagoinhas e Tupynambás, na noite deste sábado, dia 17, no Estádio Antônio Carneiro, tinha muito em jogo para as duas equipes do grupo A6 pela série D.

  No entanto, o Carneirão foi o palco da estratégia de bola na área aplicada pelos donos da casa e dos contra-ataques e chutes de longa distância dos visitantes. E muitas tentativas sem eficácia. O resultado foi que Leão e Carcará terminaram com o resultado que não agradou ninguém: o empate em 1 a 1. 

  Agora é esfriar a cabeça e voltar para Minas Gerais. A tabela da competição guardou um reencontro imediato entre Baeta e Atlético. Desta vez, será em Juiz de Fora, na quarta-feira, 21, às 16h, na abertura do returno da chave.

Tentativas e nenhum acerto

  As duas equipes começaram a partida se estudando. A primeira ameaça foi criada pelo Baeta, após um contra-ataque, Ygor cruzou, Vinícius fez um corta-luz e Fabinho Alves finalizou por cima do gol de Fábio Lima.

  Logo em seguida, o Carcará fez uns três minutos de blitz na área do Baeta, com uma sequência de escanteios e bola jogada na área, colocando o goleiro Arthur para trabalhar.

  A tônica da primeira etapa foi pelas tentativas do Atlético parando por impedimentos ou faltas de ataque. E pelas chances do Baeta, que abraçou o contra-ataque, parando na defesa bem plantada do Carcará.

  Se não conseguiu sucesso para entrar tocando na área, o Tupynambás investiu nos chutes de longe, com Linhares, Lucas e Ygor. No entanto, os times foram para o intervalo sem mexer no placar.

Quem não faz…

Edson cobrou falta e Saulo cabeceou para o fundo do gol do Baeta.

  Segundo tempo começou sem alterações nas duas equipes. O Tupynambás adotou uma postura mais presente na área do Atlético. Aos 5 minutos, Coquinho arriscou da intermediária, que saiu à esquerda do gol de Fábio Lima.

  Só que, em uma cobrança de falta pela direita, Edson jogou a bola na área e o zagueiro Saulo levou a melhor e abriu o placar aos sete minutos para Carcará.

  A partir disso, os donos da casa assumiram o controle da partida e começaram a criar mais chances, sem conseguir converter em gol. Para tentar mudar o roteiro, o técnico Guiba colocou Bruno Vieira e Diego nos lugares de Wellington Batista e Adriano Silva, aos 15 minutos.

De herói a vilão

Fabinho Alves empatou para o Baeta em cobrança de pênalti.

  Quando o Atlético estava melhor, em um contra-ataque, Lucas invadiu pela direita e foi derrubado por Saulo, o autor do gol, na área. Pênalti marcado pelo juiz Alexandre de Sousa Peixoto. Fabinho Alves cobrou à esquerda, sem chances ao Fábio Lima, aos 26 minutos. Tudo igual.

  E quase que a virada veio em seguida, porque o Carcará errou passe, Linhares chutou e passou bem perto do gol. Pouco depois foi a vez do Atlético assustar, quando Mailson cabeceou, o goleiro Arthur fez golpe de vista e a bola parou na trave.

  Eduardo entrou no lugar de Ygor, no Baeta. E no Atlético, o técnico Agnaldo Liz colocou Miller, Reninha e Naian. Os dois times seguiram nas tentativas pelo segundo gol, mas não criaram bem o suficiente para conseguir. 

 O resultado deixou Atlético e Tupynambás nos mesmos lugares onde estavam no começo da rodada – quarto e quinto na chave. E quem agradeceu foi o Brasiliense, que permanece na vice-liderança e ainda pode abrir vantagem, porque só entra em campo na segunda-feira contra o Villa Nova.

  Também pelo grupo A-6, neste sábado, Caldense 2×0 Palmas e Gama 3×0 Bahia de Feira. A última rodada do turno termina segunda-feira  com Brasiliense x Villa Nova às 15h.

  A chave tem o Gama disparado na liderança  com 19 pontos. Brasiliense e Atlético somam 11. Bahia de Feira e Baeta têm 10, Villa Nova e Caldense, sete, e Palmas não pontuou. Os quatro primeiros avançam à segunda fase da quarta divisão do futebol brasileiro.

Atlético-BA x Tupynambás

Gols: Saulo (Atlético) aos 7 do 2ºT; Fabinho Alves (Tupynambás) aos 26 do 2ºT;

Atlético-BA

1 – Fabio Lima

2 – Edson

3 – Mailson (c)

4 – Iran

6 – Felipinho

20 – Dionisio (22 – Miller)

13 – Saulo

10 – Vitinho

7 – Jeam

11 – Russo (17 – Reninha)

50 – Robert (9 – Naian)

Técnico: Agnaldo Liz

Tupynambás

1 – Arthur

2 – Lucas

3 – Gustavo França

13 – Marcos Alemão

6 – Adriano Silva (16 – Diego)

5 – Albert

8 – Vinicius Leonel

10 – Wellington Batista – (20 – Bruno Vieira)

7 – Felipe Linhares

9 – Ygor (14 – Eduardo)

15 – Fabinho Alves

Técnico: Guiba

 

Texto: Toque de Bola – Roberta Oliveira

Fotos: reprodução CBF TV/Mycujoo

Deixe um comentário