JF Basketball no Rio de Janeiro: “Experiência fantástica”!

Monique, Marley, Tainá, Jhennifer, Aline, Karine, Jenifer, Talytha, Stephanie, Ana Caroline Zack, Rafaelle, Ana Luiza e Layana. Foto: JF Basketball

  A maior liga de basquete amador do Brasil foi a casa do JF Basketball entre os dias 16 e 18 de outubro, quando a equipe juiz-forana participou da Copa Interclubes de Basquete Feminino, promovida pela Liga Super Basketball (LSB), no Rio de Janeiro.

  Além do JF Basketball, que representou Juiz de Fora, estiveram presentes as equipes da Sodiê Doces/LSB (RJ), a Apagebask (Guarulhos-SP) e SG Joinville (SC).

  Em entrevista ao Toque de Bola, o treinador do JF Basketball, José Henrique Casarim, falou sobre o nível técnico encontrado na competição e analisou como positivo o balanço da participação juiz-forana.

  “Encontramos um nível muito alto de competitividade. Foi uma ótima experiência para a nossa equipe e para a comissão para entendermos como é estar em um nível mais alto. Não tivemos nenhuma vitória, mas foi uma ótima oportunidade de fomentarmos nas pessoas o intuito de voltar com o basquete profissional em Juiz de Fora”, analisou Casarim.

Elas corresponderam!

Equipe não venceu nenhum jogo, mas Casarim aprovou a participação. Foto: LSB

  Sem tempo de treinamento e com algumas atletas novatas na equipe, Casarim elogiou a atuação das meninas no Rio de Janeiro.

  “Gostamos muito das meninas que puderam estar conosco nesse torneio no Rio de Janeiro. A ideia é que, de início, possamos participar de competições de menor expressão como essa e, aos poucos, irmos aumentando o nível. As meninas corresponderam muito bem, visto que não estavam treinando e algumas delas sequer se conheciam. Eram três adversários muito duros. Nós estávamos lá para aprender e conseguimos nosso objetivo”, disse o técnico.

  Confira o elenco que viajou ao Rio de Janeiro, de acordo com a foto acima: Monique, Marley, Tainá, Jhennifer, Aline, Karine, Jenifer, Talytha, Stephanie, Ana Caroline Zack, Rafaelle, Ana Luiza e Layana. Na comissão: José Henrique Casarim, Lucas Rizzo e Bruno Tapajós.

Busca por apoio

  O JF Basketball era a única equipe amadora presente no torneio. Segundo Casarim, o convite de uma grande organização e a presença no torneio são ótimos em busca de atrair patrocinadores para o projeto, sendo essa a principal demanda da modalidade em Juiz de Fora.

José Henrique Casarim comandou a equipe no Rio de Janeiro. Foto: JF Basketball

  “O contato com essas equipes ajuda o projeto no sentido de que os patrocinadores podem ver que há visibilidade em caso de investimento. A equipe tem boa visibilidade no mercado nacional do basquete e já é uma instituição de nome no Brasil há algum tempo. Estar no meio de equipes como essas ajuda muito nesse sentido. Além disso, é possível fomentar a prática do basquete na nova geração e estimular as atletas que estão conosco a evolui”, revelou.

Futuro promissor

  Em um período de crise social, sanitária e financeira no planeta, a atitude das atletas que foram ao Rio de Janeiro defender as cores do JF Basketball alimenta as esperanças dos gestores da instituição quanto ao futuro.

  “As meninas fizeram tudo que estava ao alcance delas para estarem presentes na competição e principalmente por estarmos nesse momento de pandemia temos que agradecer. Elas deixaram suas casas e suas famílias. É isso que nos faz acreditar que o projeto tem um futuro promissor pela frente”, finalizou.

Texto: Toque de Bola – Pedro Sarmento, supervisão Ivan Elias – Toque de Bola

Deixe seu comentário