Raios X: na lanterna no grupo, Caldense busca recuperação em JF 

Caldense perdeu em casa no último sábado

A próxima rodada do grupo A6 da série D terá um confronto de extremos: o líder invicto Tupynambás recebe a Caldense, que ainda não venceu e está na lanterna do campeonato.

A Veterana não tem o apelido à toa: completou 95 anos no dia 7 de setembro. O mascote é o Periquito. Joga no Estádio Dr. Ronaldo Junqueira, o Ronaldão, com capacidade para 7.600 pessoas, em Poços de Caldas, no Sul de Minas.

 Conquistou o Campeonato Mineiro, em 2002, e foi oito vezes campeã do interior. No ranking da CBF, está em 78º lugar, com 968 pontos.

Clique e conheça as trajetórias do Bahia de Feira e do Palmas, adversários do Baeta na série D do Brasileiro.

Temporada

Neste ano, terminou em quarto na primeira fase e caiu nas semifinais, diante do Tombense.

Participou seis vezes da Copa do Brasil – a última vez foi em 2018. As melhores campanhas foram quando chegou à segunda fase em 2003 e 2014.

Já disputou a elite do Campeonato Brasileiro em 1979, a série B em 1980 e a série C em 1995.

Caldense na série D

Caldense é a última colocada no Grupo A6

Em 2020, participa pela sexta vez da série D. A melhor campanha foi em 2015, quando chegou em sétimo. Para este ano manteve a base da equipe que disputou o Mineiro, já trouxe nove reforços. Os três mais recentes foram inscritos na semana passada: o lateral-direito Léo Queiroz, o meio-campista Nathan Gabriel e o atacante Igor Gomes.  

No entanto, a equipe não consegue um bom desempenho no início da competição. Na estreia, desfalcada por casos de covid-19, a Veterana perdeu por 3 a 1 para o Brasiliense no Distrito Federal.

Na segunda rodada, o time foi dominado em casa pelo Atlético-Ba e perdeu por 3 a 0. No momento, está em último lugar, sem pontos e com a pior defesa da chave: levou seis gols e só marcou um. 

Desfalques por causa da Covid

Caldense já sofreu com desfalques por covid-19

No primeiro jogo, o técnico Marcos Paulo Gruppi, do auxiliar Guga e de seis jogadores: o goleiro João Paulo, o zagueiro Henrique Luiz, o volante Henrique Caivano, o meio-campista Barbosa, o atacante Marco Damasceno, o atacante Antonio Carlos não participaram. Após o isolamento de 10 dias, foram liberados para enfrentar o Atlético-BA no sábado passado, dia 26.

No entanto, nos exames antes da segunda rodada, o lateral-direito e capitão Filipi Sousa e o lateral-esquerdo Carlos Eduardo foram diagnosticados e seguem fora do time para o jogo de quarta contra o Baeta.

O caso de Filipi Sousa chamou a atenção por ser o segundo teste positivo dele no ano, já que ele ficou fora da retomada do Mineiro, em julho, quando o time enfrentou o Tupynambás. Ao ge.com, o jogador e o clube consideraram que foi um “falso positivo” porque, dias depois, fez novos exames que não constataram a doença. No entanto, as medidas necessárias foram adotadas e informadas às autoridades.

Série D

Os 64 que disputam a competição foram divididos em 8 grupos. Na fase de grupos, 64 times duelam pela classificação para a segunda fase. Todos se enfrentam dentro do grupo em turno e returno até 28 de novembro.

Os quatro primeiros avançam para a segunda fase, que será disputada em jogos de ida e volta, nos dias 6 e 13 de dezembro.

Depois disso, serão as partidas de Oitavas de Final nos dias 20 e 27 de dezembro. As quartas de final serão nos dias 3 e 10 de janeiro. Estes jogos definem os semifinalistas que já estarão promovidos para a série C do Brasileiro em 2021.

As semifinais estão marcadas para 17 e 24 de janeiro. E os finalistas da série D se enfrentam nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

Texto: Toque de Bola – Roberta Oliveira com informações do site oficial e do ge.globo

Fotos: Renan Muniz para o site oficial e Instagram da Caldense

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Deixe seu comentário