A odisseia do Baeta em busca de três pontos “logo ali”, no Tocantins!

  No último sábado, dia 26, o Tupynambás esteve no coração do Brasil, onde conquistou a vitória sobre o Palmas, na capital do Tocantis, por 2 a 0.

  Mas, a odisseia do Baeta em busca dos três pontos e dos gols que o colocaram na ponta do Grupo A6 da Série D do Campeonato Brasileiro começou muito antes e terminou muito depois dos 90 minutos no Estádio Nilton Santos.

  O Toque de Bola te conta como foi a odisseia de cinco dias entre viagem de ida, chegada a Palmas e a viagem de volta a Juiz de Fora, que só terminou na madrugada desta segunda, dia 28, e teve dificuldade com voos, confinamento em hotel e poucas horas de sono para cumprir os protocolos da competição para prevenção da covid-19.

Ida

  Por conta do número de voos escassos para o Tocantins, a delegação do Baeta deixou Juiz de Fora na noite de quinta-feira, dia 24, de ônibus, rumo ao Rio de Janeiro. Por conta da parceria da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) com uma empresa aérea, a base de deslocamento das equipes de Juiz de Fora em competições nacionais é a capital carioca.

  Após chegar por volta das 3h da sexta, dia 25, ao aeroporto, a delegação alvirrubra aguardou cerca de três horas para embarcar em um voo para Brasília e, após escala na capital federal, seguir para Palmas. Da chagada no fim da manhã de quinta até a partida no Nilton Santos, a delegação ficou concentrada no hotel.

Volta

  Fim de jogo e vitória por 2 a 0 conquistada no sábado. Mas, novamente a dificuldade de voos atrapalhou o retorno do Baeta. Após o confronto, a delegação teve que ficar confinada no hotel, de onde só saiu no fim da tarde de domingo para pegar o voo de volta ao Rio de Janeiro. 

Delegação foi submetida a testes na segunda

  Após desembarcar no Rio por volta de meia-noite, a delegação do Baeta novamente subiu no ônibus. A viagem terminou por volta das 3h30 da manhã desta segunda. Mas não os compromissos relacionados à viagem.

Testes 

  Os jogadores e restante da delegação que esteve em Palmas tiveram poucas horas de sono. Eles se reapresentaram às 9h para serem submetidos aos testes para covid-19, já visando a partida contra a Caldense, às 20h30, nesta quarta, dia 30, em Juiz de Fora.

  O Baeta tem até 24 horas antes do jogo para enviar o relatório às CBF com os resultados dos exames de quem estará no jogo no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio.

Texto: Toque de Bola – Wallace Mattos

Foto: divulgação Departamento de Saúde/Tupynambás

Arte: Toque de Bola  

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Deixe seu comentário