Ação do Baeta no TJD pede suspensão de jogos e não rebaixamento

Trecho da ação do Tupynambás no Tribunal de Justiça Desportiva de Minas Gerais. Clique sobre a imagem para ampliar

   O Tupynambás entrou no Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) de Minas Gerais contra a volta do Campeonato Mineiro e a manutenção do rebaixamento na competição (confira ao lado a reprodução do documento em que constam os três pedidos da ação).

  O clube juiz-forano, último colocado na classificação, contratou o mesmo advogado do Villa Nova (penúltimo lugar), Alexandre José da Costa Franco, mas em ações separadas.

   A alegação das ações é de que a paridade de forças, o equilíbrio da competição está comprometido. Paralelamente, para não dar W.O., ou seja, motivo real para a punição, o Tupynambás vai preparar um time que consiga entrar em campo.

      Direito e obrigação

  “Pedimos à Federação para reconsiderar, (a entidade) não quis, então o Tupynambás se viu no direito e na obrigação de apelar para a área jurídica”, confirmou ao Toque de Bola o dirigente do Leão do Poço Rico, Cláudio Dias.
 

  Treinar  em JF não pode 

  No momento, o clube não tem autorização da Prefeitura de Juiz de Fora para voltar aos treinos, uma vez que a cidade adota o programa Minas Consciente, pelo qual a microrregião Sudeste do estado permanece na faixa verde, a primeira do relaxamento de medidas de isolamento social, por mais 15 dias a contar deste sábado. Atividades de clubes esportivos só serão permitidas na faixa roxa, a quinta fase do protocolo estadual.

 Tabela divulga jogo na cidade

No site da FMF, o jogo está marcado para o dia 26 em Juiz de Fora

 Oficialmente o retorno do Campeonato Mineiro Módulo 1 foi marcado para 26 de julho, data em que está programado o jogo entre Tupynambás e Caldense, às 16h, no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio.

 

Texto: Toque de Bola

Fotos: reprodução da ação e do site da Federação Mineira de Futebol

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Deixe seu comentário