Almas: “Não está na hora de voltar aos campos”

  O fim de semana foi de repercussão por conta de um grupo de garotos e pais que utilizou o gramado do Estádio Salles Oliveira, em Santa Terezinha, para desenvolver atividades esportivas, mesmo com estas proibidas por decretos municipal e estadual, de acordo com o programa Minas Consciente.

Almas respondeu questionamento do Toque

  Nesta segunda, o prefeito de Juiz de Fora, Antônio Almas, respondendo a questionamento feito pelo Toque de Bola, confirmou que ainda não se pode retornar aos gramados na cidade. “Precisamos ainda encontrar o caminho para esse novo normal que estaremos vivendo no pós pandemia. Então, de maneira muito responsável, ainda não está na hora de voltar aos campos. Todos estamos sentindo falta. Inclusive o prefeito. Das peladinhas de sábado para chutar a bola e descarregar as tensões do dia a dia. Mas não está na hora.”

E o Estádio? 

  Com as discussões para a volta do Campeonato Mineiro sendo intensificada nos próximos dias – na quarta, dia 10, o presidente da Federação Mineira de Futebol (FMF), Adriano Aro, vai se reunir com o governador Romeu Zema -, o Toque também questionou sobre a liberação do Estádio Muncipal Radialista Mário Helênio.
  Almas disse que, caso seja necessário, a situação de abertura para jogos sem público pode ser estudada, embora isso deva ser feito para médio ou longo prazo. 

  “Por exemplo, a questão da utilização Estádio Municipal. Na grande maioria das vezes, ele é usado para jogos relacionados ao Campeonato Mineiro e ao Brasileiro, em suas diversas séries. Essas competições estão suspensas ainda. Onde os campeonatos voltaram no mundo foi sem público. Se, em algum momento, isso for necessário em Juiz de Fora, nós estudaremos. Mas não vejo, em prazo muito curto, que isso ocorra”, explica o prefeito.

Estádio Municipal Radialista Mário Helênio

Várzea impõe risco

  Falando sobre as competições de futebol amador e de base locais, que tradicionalmente movimentam os campos de várzea local durante praticamente todo o ano, o prefeito também destacou não ser possível a volta neste momento. E destacou que, no Estádio Mário Helênio, haveria como controlar a presença ou não de público, algo impossível de ocorrer nos campos espalhados por Juiz de Fora.    

   “Nós utilizávamos o Estádio também para as finais das copas realizadas pela Prefeitura, e agora não temos a realização destes eventos. Ainda estão impedidos. Diferentemente do campeonato profissional, torneios amadores não nos permitem impedir a chegada de pessoas e ter público. Se nos torneios profissionais, mantenho as portas do Estádio fechadas e evito que os torcedores entrem, nos campos de várzea, se houver qualquer liberação, teremos acúmulo de pessoas. Possivelmente muito mais do que antes, pois é uma possibilidade de as pessoas se reunirem”, prevê Almas.

Texto: Toque de Bola – Wallace Mattos

Fotos: Facebook Antônio Almas; e Facebook Estádio Mário Helênio

Este post tem um comentário

  1. Eurico Moura Filho

    Em Juiz de Fora, poderiam permiti publico no mineiro, afinal, é tanto desinteresse, que mesmo com distanciamento de 2 metros, com certeza vai sobrar lugar.

Deixe um comentário