Punido pela Fifa, Cruzeiro não tem como pagar dívidas!

Clube foi punido por dívida na compra de Denilson

  A crise no Cruzeiro, iniciada em 2019, causou a renúncia do então presidente Wagner Pires de Sá, passou pelo rebaixamento para a Série B do Campeonato Brasileiro e parece não ter fim.

  Nesta terça, dia 19,  o clube foi punido pela Fifa com a perda de seis pontos na Segunda Divisão do Nacional. O Núcleo Dirigente Provisório da Raposa emitiu nota (veja íntegra abaixo), admitindo o fim do prazo de pagamento de mais de R$ 5 milhões pela contratação do volante Denilson junto ao A-Whada, dos Emirados Árabes, em 2016.

  Já nesta quarta, dia 20, em entrevista à Rádio 98FM de Belo Horizonte, o presidente do colegiado que dirige o clube celeste, Saulo Fróes, disse não haver dinheiro para quitar outra pendência que vence até o fim de maio.

Mais punições     

  Com isso, o Cruzeiro pode sofrer mais punições da Fifa, perdendo novamente seis pontos por dívida não quitada pelo menos. No limite, os calotes podem levar o clube de Belo Horizonte a ser rebaixado para a Série C do Campeonato Brasileiro.
  Todos os prazos do processo, assim como o do débito com o Al-Whada, estão em etapa final e não cabe mais recurso. Ou seja, a Raposa tem que quitar o que deixou de pagar, caso contrário será punida.

Dívida por William Bigode pode levar a nova punição

  O próximo montante cujo prazo para pagamento vence até o fim de maio é referente à contratação do atacante William Bigode, em 2014, junto ao ucraniano Zorya Luhansk. O Cruzeiro deve R$ 10 milhões e, segundo Saulo Fróes, não há como quitar esse valor.

  O dirigente disse que tentou empréstimos com instituições financeiras e a negociação de jogadores para levantar o dinheiro. Mas, por conta da pandemia do novo coronavírus e da falta de credibilidade do clube no mercado, não conseguiu capitalizar. De acordo com o cartola, caberá ao próximo presidente da Raposa lidar com a situação.

Eleições    

  Além das dívidas por Denilson e William Bigode, o novo presidente do Cruzeiro terá que levantar recursos também para quitar valores das compras do meia uruguaio De Arrascaeta, junto ao Defensor, em 2015; e do zagueiro Caicedo, junto ao Independiente del Valle, do Equador. Ambas serão executadas pela Fifa no segundo semestre.

  A eleição no clube está prevista para ocorrer durante esta quinta, dia 21. O próximo mandatário do clube tomará posse no dia 1º de junho e ficará no cargo até o fim de 2020. Em outubro, nova eleição será realizada para o triênio 2021-2023.

Candidatos

  Para o mandato tampão, concorre o advogado Sérgio Santos Rodrigues, de 37 anos, opositor de Wagner Pires de Sá em 2017. O candidato disputa pela chapa Centenário e já foi assessor jurídico da presidência. Também atuou como superintendente de gestão e estratégia, de negócios internacionais e de futebol do Cruzeiro. 

Gestores entregaram relatório ao Ministério Público

  Já pecuarista Ronaldo Granata, de 46 anos, da chapa Cruzeiro Primeiro, esteve na chapa de Wagner Pires de Sá na eleição de 2017. Apesar de ter rompido com o ex-presidente da Raposa em dezembro do mesmo ano, seguiu como segundo vice-presidente do clube na gestão de Pires de Sá. Como toda diretoria, renunciou no fim de 2019.

Investigação e mais dívida

  Na última segunda, dia 18, o Cruzeiro entregou ao Ministério Público o relatório das investigações realizadas para consultoria Kroll nas contas e balanços do clube. Entre outras irregularidades apontadas nas 600 páginas do documento sobre a gestão de Wagner Pires de Sá, o gastos de mais de R$ 80 mil com cartões corporativos.

  Dentro dos gastos com os cartões corporativos, uma despesa chamou a atenção: 565 euros no Club de Espetáculos Tamariz, uma casa de entretenimento adulto da Cidade do Porto, em Portugal. Segundo Pires de Sá, o valor foi pago em um jantar com empresários portugueses na negociação do volante Lucas Silva. 

Mano Menezes cobra dívida de rescisão com o Cruzeiro

  Nesta quarta, foi divulgada uma nova cobrança para o Cruzeiro. O técnico Mano Menezes, demitido do clube em agosto de 2019, acusa o clube de não honrar com R$ 1,9 milhão da rescisão antecipada de seu contrato e agora cobra R$ 5,3 milhões em duas ações na Justiça do Trabalho. 

Confira a íntegra da nota oficial do Cruzeiro sobre a punição da Fifa:

O Cruzeiro Esporte Clube segue trabalhando firmemente para evitar as consequências do não pagamento ao Al-Whada de mais de 5 milhões da dívida pelo empréstimo do volante Denilson, contratado em 2016. O prazo venceu nesta segunda-feira, 18. E por causa deste processo, que não cabe mais recursos na Fifa, o clube celeste pode sofrer a punição de seis pontos na Série B do Campeonato Brasileiro. No entanto, a direção do Clube ainda não recebeu nenhuma comunicação oficial, e o Cruzeiro está finalizando a negociação com o clube dos Emirados Árabes.

As tratativas com o Al-Whada vinham se desenvolvendo positivamente nas últimas semanas, embora a troca iminente na direção do clube, com as eleições para presidente na próxima quinta-feira, 21, também tenham colaborado para dificultar as negociações. Outra dificuldade, além da falta de receitas da Raposa, que teve seus recursos ‘varridos’ na antiga administração, é o atual momento, com a pandemia da Covid-19, o coronavírus.

“Estamos negociando com o Al-Whada e vamos seguir até o último minuto, aguardando um desfecho positivo, para que o Cruzeiro não seja penalizado com a perda de pontos. Estamos vivendo um momento de exceção, em que o mundo está sofrendo com as consequências desta crise com o Coronavírus. Todos sabem da falta de recursos do Cruzeiro e o Clube teve suas receitas ainda mais comprometidas pela situação de pandemia”, explicou Sandro Gonzalez, CEO do Conselho Gestor, falando sobre as negociações com o clube árabe.

“Vínhamos tentando um adiamento para o segundo semestre, mas os dirigentes do Al-Whada foram taxativos. Eles disseram que o processo corre há mais de quatro anos na Fifa e ninguém do Cruzeiro, nenhum dirigente neste período todo, procurou o Al-Whada para buscar um acordo. Eles disseram que se sentiram frustrados e descrentes, e que por isso não poderiam facilitar nada para o Cruzeiro neste momento. Nós explicamos a eles que o clube também foi uma vítima de tudo o que aconteceu nos últimos anos, que agora são outras pessoas que estão à frente da instituição, e que temos a total intenção de resolver. Já tínhamos tratativas avançadas desde a semana passada, e vamos fazer de tudo para evitar qualquer tipo de punição ao Cruzeiro”, ressaltou Sandro.

Os dois pré-candidatos à presidência do Cruzeiro foram comunicados sobre a situação deste processo na Fifa.

Texto: Toque de Bola – Wallace Mattos com informações do globoesporte.com, Superesportes, Rádio 98FM e O Tempo

Fotos: divulgação/Cruzeiro; e reprodução Instagram Cruzeiro

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Deixe seu comentário