Exclusivo! Pagura: futebol só após OK das autoridades!

Jorge Pagura, presidente da CNMF

  Enquanto alguns clubes da Série A, como Grêmio e Internacional, já voltaram à atividade e outros, como o Flamengo, dão passos em direção ao retorno aos treinos, os torneios não estão próximos a serem reiniciados. A Comissão Nacional de Médicos da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) considera estar nas mãos das autoridades municipais e estaduais a volta das competições.

  O Toque de Bola teve acesso a um áudio do presidente da Comissão, o neurocirurgião Jorge Pagura, enviado a diversos médicos que trabalham no futebol brasileiro. Na fala, o responsável por coordenar a criação dos protocolos de referência da CBF para uma possível volta do futebol no Brasil foi claro: as competições só retornarão quando estados e municípios flexibilizarem o distanciamento social em virtude da pandemia do novo coronavírus.

Documento na próxima semana      

Médicos do futebol brasileiros em simpósio de 2018

  De acordo com Pagura, o protocolo oficial da CBF para o retorno ao futebol deve ser entregue nos próximos dias. “Vamos enviar um documento robusto, que levou em consideração as nossas videoconferências. É feito para todo futebol brasileiros, para campeonatos que ocorrem em mais de 100 municípios. Vamos utilizar no momento em que as autoridades sanitárias fizerem a flexibilização. E não é uma flexibilização só para o futebol. São de várias atividades outras, nas quais o futebol está incluído”, explica o médico no áudio, adiantando que o guia “deve estra pronto na segunda-feira”, dia 11.

  O presidente da Comissão Nacional de Médicos do Futebol (CNMF) ainda revela que os protocolos incluem medidas a serem adotadas em treinamentos e para as partidas futuras. “Vamos poder trabalhar com medidas protetivas, tudo bem organizado, não só para treinos como para competições que a gente vai ter. Esperamos que isso venha logo”, deseja Pagura.

Vazou

Grêmio retornou aos treinos na quinta

  Após discussões com profissionais da área, a CBF elaborou os protocolos e aguardava manifestação do Ministério da Saúde. Mas parece que houve uma precipitação que acabou atrasando a versão final do guia para os clubes. “Fomos surpreendidos com a divulgação de uma avaliação do documento. Que não tem timbre e nem assinatura do Ministério. É estranho que algo que não foi enviado oficialmente e nem a resposta recebida desta forma seja divulgado”, explica Jorge.

  Para o presidente da CNMF, não haverá prejuízo, já que as próprias entidades estaduais vêm confeccionando também seus protocolos. “Baseados nas nossas orientações nas reuniões e na troca de ideias, as federações, com muita competência, formularam documentos nesse sentido. Eles serão entregues para os estados e municípios que, nesse caso, são soberanos para decidirem sobre flexibilização ou não. Então, nenhum prejuízo de ainda não termos enviado, o que será feito em breve”, garante Pagura. 

Texto: Toque de Bola – Wallace Mattos

Fotos: Lucas Figueiredo/CBF; e Facebook Grêmio FBPA

Deixe um comentário