Entre incertezas, dívidas e projetos, Carijó faz 108 anos!

Carijó faz 108 anos em meio à pandemia

  Em meio à pandemia do novo coronavírus e com o futebol paralisado em todo o país, o Tupi Football Club completa 108 anos nesta terça, dia 26. Em meio a incertezas quanto ao futuro imediato, com dívidas e projetos de construção de centros de treinamento, um para as categorias de base e outro para os profissionais, o Carijó faz aniversário em 2020 esperando dias melhores de presente. 

  No último dia 13, a diretoria enviou à Federação Mineira de Futebol (FMF) uma consulta sobre a viabilidade de deixar a disputa do Módulo 2 do Campeonato Mineiro sem sofrer as sanções previstas. Mas, a resposta fez o Carijó voltar às incertezas de antes da possibilidade de não voltar a campo em 2020. “A Federação nos respondeu, dizendo que o regulamento não tem esse tipo de previsão e, portanto, ela não poderia concordar”, conta o presidente do clube, José Luís Mauler Júnior, o Juninho.

Sem solução

  A forma como vem sendo conduzida a paralisação pela FMF é criticada por Juninho há algum tempo. Segundo o mandatário carijó, a simples negativa da entidade joga o clube de volta a um cenário de incertezas.

FMF não permitiu a saída do Tupi do Módulo 2

  “Acredito que a Federação não tinha que ter só respondido desta forma. Teriam que dar uma solução para nós e para os outros times. Coisa que até agora não deu”, cobra Juninho, que considera a situação do Módulo 2 como se os clubes estivessem no escuro e e “à sombra de velas”. 

Dívidas salariais

  Nos próximos dias, todos os contratos de atletas do Carijó vencem. Lutando com dificuldade de caixa, por conta da perda de patrocinadores que retiraram o apoio por conta da paralisação do futebol, o clube deve parte dos salários de março, o integral de abril e já vislumbra como acertar as rescisões no mês que vem .

  “O salário de abril, essa semana, se Deus quiser, consigo completar e deixar tudo quite. O salário de maio vence em junho e será o último dos contratos”, diz Juninho. 

Sem festa 

Juninho corre para quitar dívida de salários e fazer acertos

  Tradicionalmente, uma missa na Igreja de Santa Terezinha sempre marcou o aniversário do clube, mesmo em tempos de vacas magras. Em 2020, nem a celebração será realizada por conta do decreto municipal de distanciamento social.

  “Não haverá nada de especial para marcar a data de aniversário do clube. Vamos celebrar da forma como se pode nesses tempos. Faremos o que podemos fazer, comemorar internamente, cada um dentro de si, cada um que gosta do Tupi e colocar nas redes sociais”, explica o presidente alvinegro.

Futuro

  Para Juninho, o presente de aniversário do Tupi esse ano chegou antecipadamente. “Conseguimos fechar o centro de treinamento, que acredito que vai mudar a história do clube em termos de futebol. Estamos só aguardando o momento certo para começar a colocar em prática o que já está apalavrado. Esse é o maior presente que o clube poderia ter e já ganhou”, acredita.

Novo CT terá estádio para jogos de menor porte

  Um pouco mais à frente, o atual mandatário espera deixar o clube em uma situação melhor do que a atual. “Nosso planejamento já foi a médio prazo. Temos a meta de subir no Mineiro nesses três anos. Fazer um time enxuto. Sem aumentar a dívida do clube, e conseguir negociar o centro de treinamento. Isso continua, atrasou um pouco, três ou quatro meses, como a vida de todos. Mas acredito que o Tupi estará em outro nível”, projeta Juninho.   

Texto: Toque de Bola – Wallace Mattos

Fotos: Toque de Bola, site FMF

Artes: Toque de Bola (imagem destacada) e Rezende Roriz (arte CT)

Deixe um comentário