UEFA já admite fim de campeonatos sem jogos

O presidente da UEFA, Aleksander Ceferin

  Inicialmente irredutível, a entidade máxima do futebol na Europa, UEFA, agora já admite que suas federações filiadas podem ter que terminar seus principais campeonatos sem a disputa dos jogos restantes por conta da pandemia do novo coronavírus.

   Em reunião do Comitê Executivo realizara virtualmente nesta quinta, dia 23, a direção da UEFA mudou significativamente sua abordagem sobre a continuidade a qualquer custo das competições nacionais. Agora, apesar de determinar que todos os esforços sejam feitos  para que os torneios terminem dentro de campo, a entidade já admite que eles podem ter que se encerrar sem que as partidas restantes sejam disputadas. O caminho tomado deve servir de referência para outras confederações, como a Sul-Americana (Conmebol).

Repreensão

  No fim de março, a Federação Belga de Futebol anunciou o encerramento de sua maior competição, a Pro League. Mas, após ser pressionada pela UEFA, a entidade da Bélgica voltou atrás no início de abril e adiou a decisão de dar como terminada sua maior disputa nacional, o que faria com que o Brugge fosse declarado campeão.

Alejandro Domínguez, da Conmebol, pode seguir Ceferin

  Após a decisão do último mês, o presidente da UEFA, Aleksander Ceferin, chegou a ameaçar os clubes da Bélgica e de outros países que fizessem o mesmo. “Os belgas e aqueles que estão considerando fazer o mesmo agora se arriscam a não participar das competições europeias no próximo ano”, disse o dirigente.

Cedeu

  Mas, após a reunião desta quinta, a entidade que controla o futebol no Velho Continente parece ter cedido. O Comitê Executivo estabeleceu parâmetros para que o encerramento possa ser declarado válido, mesmo sem que as partidas restantes sejam realizadas. Além de esclarecer como será a classificação para competições continentais na próxima temporada.

Confira os critérios estabelecidos pela UEFA:

  Ao mesmo tempo que empenham todos os esforços possíveis para concluir as competições nacionais, as Federações e/ou Ligas podem ter motivos legítimos para dá-las como concluídas, em particular nos seguintes casos:

• existência de uma ordem oficial proibindo eventos desportivos, de forma a que as competições nacionais não possam ser completadas até uma data que tornasse possível o fim da atual temporada, em tempo oportuno, antes do início da próxima

• inultrapassáveis problemas econômicos que levem a que seja impossível terminar a temporada porque colocaria em risco a estabilidade financeira a longo prazo da competição nacional e/ou clubes

  Se uma competição nacional terminar de forma prematura por motivos legítimos de acordo com as condições enumeradas antes, a UEFA pedirá à federação em questão, encarregue de escolher os clubes para as competições europeias de 2020/21 com base no mérito desportivo em 2019/20, seguindo:

• o procedimento para a escolha de clubes deve basear-se em princípios objetivos, transparentes e não-discriminatórios. Em última instância, as Federações e Ligas devem ter a capacidade para decidir a classificação final das suas competições nacionais, sempre tendo em conta as circunstâncias específicas de cada competição

• a determinação final sobre vagas elegíveis para as competições de clubes da UEFA deve ser confirmada pelos órgãos competentes relevantes a nível nacional

  A UEFA reserva-se o direito de recusar ou avaliar qualquer clube proposto por uma Federação cuja competição nacional tiver terminado de forma prematura nos seguintes casos:

• as competições nacionais não terem terminado prematuramente com base nos motivos enumerados nestas diretrizes da UEFA ou com base em qualquer outro motivo legítimo de saúde pública

• os clubes terem sido escolhidos após um procedimento que não tenha sido objetivo, transparente e não-discriminatório, dessa forma não se considerando que os clubes escolhidos se qualificaram com base no mérito desportivo

• exista a percepção pública de injustiça na qualificação do clube

Texto: Toque de Bola – Wallace Mattos com informações do site oficial da UEFA

Fotos: divulgação/UEFA.com

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Deixe seu comentário