Bom Pastor: medalhas e índices no Circuito Caixa Paralímpico!

Bom Pastor comemora ótimo desempenho em Brasília

  A bagagem da delegação do Clube Bom Pastor que foi a Brasília no último fim de semana voltou bem mais pesada. Com um desempenho animador, os atletas que participaram da Etapa Regional Paralímpica do Circuito Loterias Caixa subiram 47 vezes ao pódio e conquistaram índices para competições nacionais.

  O técnico do Bom Pastor e chefe da delegação aurianil em Brasília, Fábio “Fabinho” Antunes, comemorou as conquistas de seus nadadores. “Nossa meta eram os índices para as etapas nacionais. Conseguimos colocar mais três atletas nessas competições. Além de Gabriel Geraldo, Gabriel Schumann, Manuela Alves e do Marcus Willian, teremos Vithoria Nascimento, Luciano Jorge e Laisa Lopes”, destaca.

Fabinho e Manu com medalhas e troféu de índice técnico

Chuva de medalhas e títulos     

  No total, a delegação do Bom Pastor voltou da capital brasileira com 29 ouros, 13 pratas e cinco bronzes. Os sete atletas citados por Fabinho fizeram índices para 28 provas nacionais, e em toda a delegação 31 aletas nadaram seu melhor tempo da vida em Brasília.

  O Aurianil conquistou o título de melhor clube classe baixa – para atletas com maior comprometimento motor. O clube teve o melhor índice técnico feminino, com Manuela Alves. Dois atletas do Bom Pastor foram escolhidos os mais eficientes da competição: Marcus Willian e Gabriel Schumann. Além disso, Fabinho foi o segundo melhor treinador.

Gabriel (centro) esteve na delegação, mas não pode pontuar

Gabriel de olho em Tóquio

  A agremiação juiz-forana poderia ter conquistado ainda mais medalhas e títulos, mas seu melhor atleta, Gabriel Geraldo, é impedido de participar efetivamente da disputa. “O Gabriel vai normalmente, tem os tempos computados, mas não ganha medalhas e nem conta para o computo geral dos pontos. Isso porque ele foi o atleta com o índice técnico mais alto de 2019 do Brasil. Os 50 primeiros desse ranking não entram efetivamente na disputa da etapas regionais, pois estão classificados para as etapas nacionais diretamente”, explica Fabinho.

  Mesmo sem poder colocar medalhas no pescoço, Gabriel conquistou bastante em Brasília. Os tempos do nadador radicado em Juiz de Fora foram animadores na luta para realizar o sonho de participar da Paralimpíada do Japão este ano. “Ele nadou para o melhor tempo da vida na prova alvo de Tóquio, os 200m livre. Usamos como treino, para fazer ajustes e coletar dados. Agora, voltamos aos treinos com foco na etapa da Itália da World Series, dia 23 de fevereiro”, diz o técnico.

Vithoria é uma das caras novas do clube nas etapas nacionais

Caras novas nas nacionais

  Enquanto trabalha Gabriel para tentar o índice olímpico, Fabinho também prepara a nova turma do Bom Pastor que se juntará a ele, Manu, Schurmann e Marcus representando o clube nas etapas nacionais do Circuito Loterias Caixa Paralímpico.

  Pelos tempos, os novatos vão chegar dando trabalho. Vithoria fez 1min08s02 nos 50m costas, que tem índice de competição de 1min15s. Laisa marcou 5min08s02 nos 200m livre, com índice de 5min15s. Já Luciano cravou 1min07s07 nos 50m livre, que tem índice de 1min15s.

 Texto: Toque de Bola – Wallace Mattos

Fotos: Facebook Vithoria Mateus; Facebook Fabio Antunes; Facebook Alessandra Ribeiro; Facebook Tiago Silva  

Deixe um comentário