Responda. É rápido. Concorda?

  

Madureira comemora vitória sobre o Botafogo pelo Estadual do Rio

 Você gosta de futebol?  

 Você torce por um clube?  

 Você segue o dia-a-dia do clube preferido?

   Se a resposta é “sim” para as três perguntas, você acompanha os campeonatos estaduais.

     O torcedor quer saber, todo dia, quem chegou (ou pode chegar) ao seu time, quem saiu (ou pode sair), se o treinador está otimista, se os salários estão em dia, se os titulares venceram os reservas no coletivo.

    Sim, eu e vocês, que balançamos a cabeça na mesma direção ante o mini-questionário, queremos saber sobre tudo isso e mais alguma coisa.     Por que não iríamos acompanhar os estaduais?

      Não estamos afirmando que os estaduais têm excelentes atrativos, públicos ou audiência. Sabemos que as federações precisam dos votos dos “pequenos” e já há alguns bons anos prevalecem fórmulas de disputa burras e mal feitas (com os clubes coniventes).

    Os formatos são entediantes a ponto de o torcedor supor que a pergunta do início dos arbitrais é esta: quais são as propostas para “aperfeiçoar” esta ruindade? 

     Mesmo cientes disso, caso fosse legítimo esse absoluto “desprezo” pelos estaduais, todo mundo “pularia” a competição e só acompanharia (dependendo da equipe, lógico) Copa do Brasil, Brasileiro (Séries A, B, C e D), talvez Sul-Americana e (raras exceções) Libertadores.

   E em alguns casos o torcedor tem só o Estadual (caso, infelizmente, do Tupi, que “conseguiu” cair até no Mineiro).

   Dizer que ninguém acompanha os estaduais é como afirmar que o torcedor larga sua paixão quando o time está em má fase ou que o clube fechou as portas por gastar mais do que ganha (parênteses de alerta para o atual Cruzeiro).

    Todos queremos ser campeões, com craques em profusão e em competições minimamente atraentes por toda a temporada. Se eventualmente estamos distantes das três possibilidades, qual a solução? Monitorar a tabela, conferir qual o próximo jogo e continuar torcendo.  

  E, claro, rezando para que dirigentes de clubes e entidades parem um dia de menosprezar nossa inteligência e exaurir nossa paciência.  

 

Texto: Ivan Elias

Foto: FutRio

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Deixe seu comentário