Confira a cara do Baeta para o Mineiro

  Acerta daqui, contrata de lá o Tupynambás vai seguindo rumo à estreia no Campeonato Mineiro buscando reforços para elenco.

  O Baeta começa a competição no dia 22 de janeiro, contra o Tombense, às 20h, em Juiz de Fora, e a sequência de contratações e dispensas deve seguir até lá. Após anunciar oficialmente cerca de 20 jogadores, o clube, que apresentou oficialmente o elenco à imprensa no dia 10 de dezembro de 2019, dispensou os primeiros atletas, o lateral-direito João Victor e o meia Raphael Augusto, na virada do ano.

  O Leão do Poço Rico segue no mercado e recebendo atletas para testes. Nessa postagem, você acompanha quem é quem no atual elenco e comissão técnica do Tupynambás.

  (Relação atualizada em 07-01-2020. Será modificada caso sejam confirmadas, oficialmente, novas contratações)

Comissão

O comandante do Baeta será Paulo Campos, que terminou o Mineiro 2019 à frente do Leão do Poço Rico. Paulo tem 62 anos e começou a carreira de treinador na seleção do Kuwait, em 1992. Ficou no Oriente Médio, passando por Al Ahli, Al Ittihad, Al Nasr e Al Wasl, até 1999, quando retornou ao Brasil para comandar o Botafogo. Em 2002, esteve à frente da equipe B do Palmeiras. A sequência do trabalho envolveu passagens por Paysandu e Paraná, até chegar ao espanhol Real Madrid, como auxiliar de Vanderlei Luxemburgo, em 2004. Três anos depois, teve destaque no Resende (RJ) e, em 2014, chegou ao Tupi, clube que comandou em apenas dois jogos. Após trabalhar no Londrina em 2017 e 2018, voltou a Juiz de Fora para comandar o Tupynambás.

Paulo Campos será auxiliado pelo ex-goleiro e ex-treinador, Zé Luís Peixoto. Zé Luís, de 54 anos, começou a carreira no Botafogo (RJ) em 1985 e defendeu São Bento (SP), Fortaleza (CE), Americano (RJ), América (MG), Caldense (MG), URT (MG) e Tupi, onde terminou a carreira.

 

 

Na preparação de goleiros, o Baeta terá uma dupla que já estava “em casa”: Gonçalves e João Gabriel. Com 32 anos, o primeiro é ex-goleiro profissional, tendo atuado no Tupi e no Sport em Juiz de Fora, além de Democrata-SL (MG), Formiga (MG), Taubaté (SP), São Caetano (SP), Teresópolis (RJ) e Aquidauanense (MS). O ex-jogador era o responsável pela preparação da categoria sub-20 do clube, campeã da Copa Alterosa. Aos 27 anos, João já trabalhou com os profissionais do Leão do Poço Rico e foi o responsável pelos arqueiros das equipes sub-15 e sub-17 do clube em parceria com o Futebol UFJF, que conquistaram o acesso à elite do Campeonato Mineiro das categorias.

  Troca

Cláudio Café

   Na função de preparador físico, o clube anunciou, via site oficial, uma troca. De acordo com o clube, “O experiente Claudio Café será o responsável, no lugar de José Lummertz, que (já havia sido anunciado oficialmente) não irá mais assumir esta função no Leão do Poço Rico. Lummertz entrou em contato com a diretoria solicitando a liberação pelo fato de ter recebido uma proposta irrecusável financeiramente.

  Natural do Rio de Janeiro (RJ), Claudio Pereira Café tem, no currículo, “passagens com a Seleção Brasileira, Botafogo (RJ), Atlético Mineiro, Atlético de Madrid (ESP), Vasco (RJ), América (MG), Fluminense (RJ), Internacional (RS), Bahia (BA), Goiás (GO), Palmeiras (SP) e Athletico (PR). É graduado em Educação Física pela Universidade Castelo Branco, tem Especialização em Futebol pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), além de Especialização em Treinamento Desportivo pela Universidade Gama Filho (UGF).”

Goleiros

Por enquanto, os goleiros confirmados são Renan Rinaldi, de 26 anos, que defendeu o Baeta no Mineiro 2019, e Bruno Hargreaves, 24, também retornando ao clube. Renan começou a carreira no Criciúma (SC), em 2012. Até 2015, o atleta rodou pela região sul do Brasil vestindo a camisa do Inter de Lages (SC) e do São Luiz (RS), com apenas uma partida pelo clube gaúcho. Em 2016, Rinaldi foi para a Penapolense (SP) e disputou três jogos. No ano seguinte, o arqueiro chegou a Minas Gerais para defender o Villa Nova, onde ficou até 2018. Em 2019, o Baeta fez a contratação do goleiro para o Mineiro. Após o fim do Estadual, ele foi para o Santa Cruz (PE), e agora está de volta ao Leão.

 

Com uma carreira mais curta, Bruno iniciou a trajetória no Tupynambás. Em 2019, foi emprestado ao Figueirense, de São João Del Rei (MG), para a disputa da Segunda Divisão, mas a campanha não foi nada boa: em seis jogos, uma vitória, um empate e quatro derrotas. De volta, o goleiro chega para fazer sombra ao titular, Renan Rinaldi.

 

 

Marcos Gato, de 21 anos e 1,93 m de altura, também entra na briga pelo posto de arqueiro do Tupynambásna disputa do Campeonato Mineiro 2020. Paranaense do interior do estado, o atleta se profissionalizou no Iraty, onde conquistou um acesso no Estadual. O jogador também tem passagens por Grêmio Maringá e Batel, ambos do Paraná e joga pela primeira vez fora de seu estado natal.

 

Zagueiros

Para a zaga, o Tupynambás contratou Silvio, 34, ex-Tupi e que estava no Rio Claro-SP. O atleta começou a carreira no Paysandu (PA), onde passou três temporadas e se transferiu para o Madureira (RJ). Em 2007, o defensor passou por Bangu, Ipatinga e Tupi. O primeiro clube de destaque na carreira de Sílvio foi o Fortaleza (CE), em 2009. Foram 17 jogos e 2 gols marcados. Após ir ao Ipatinga em 2010, Silvão voltou a Juiz de Fora para integrar o elenco campeão brasileiro do Tupi, 2011. Recentemente, o atleta teve destaque no Hercílio Luz (SC), Juventus Jaraguá (SC), Comercial (SP) e Rio Claro (SP), que foi o último clube do zagueiro.

 

Adriano, 27, vai para sua terceira temporada no Poço Rico. Ele começou a carreira de jogador em 2011, na equipe sub-18 do América de Natal (RN), e começou sua trajetória em Minas Gerais no Valeriodoce em 2012. No mesmo ano, o defensor foi contratado pelo Mamoré e emprestado pelo clube de Patos de Minas ao Atlético Ituiutabano. De volta ao Mamoré em 2015, ele foi negociado com o Araguaia. No ano seguinte, ele fez 10 jogos pelo Jacutinga, mas voltou ao Araguaia. Por fim, o xerife do Leão chegou ao Poço Rico em 2018, na Segunda Divisão, e estará mais uma vez vestindo a camisa vermelha.

 

Diego Augusto, 28, é outro que defenderá o Baeta em 2020. Ele foi revelado pela Portuguesa (SP), clube em que atuou entre 2010 e 2014. Em 2015, o atleta foi defender o Ituano (SP) e terminou a temporada no Ypiranga (RS). Já em 2016, o Anapolina (GO) foi o destino do zagueiro. Desde então, o defensor passou apenas por clubes do interior de São Paulo como, por exemplo, Mogi Mirim, Sertãozinho e Rio Claro, onde esteve em 2019 antes de fechar com o Leão do Poço Rico.

 

Laterais 

Para as laterais, o Baeta vai contar com Henrique, de 33 anos. O atleta, que começou a carreira no Confiança (SE) em 2006, chegou ao Tupi em 2008, para sua primeira passagem. No mesmo ano, o atleta defendeu o Ituano e foi emprestado ao Palmeiras em 2009. Em 2010, foi para o Vila Nova, de Goiás, clube em que não teve muitas oportunidades. Em 2011, o auge. Campeão Brasileiro da Série D pelo Tupi, onde ficou até 2014. Na temporada seguinte o atleta foi para o Macaé (RJ) e voltou ao Carijó em 2016. A temporada de 2017 foi no Rio de Janeiro, defendendo Volta Redonda e Madureira. Em 2018, Figueirense (SC) e em 2019, Henrique esteve no Paracatu (DF).

 

Do outro lado, Michel Benhami, 31, chega com moral. O atleta foi o primeiro anunciado oficialmente pelo alvirrubro e está de volta em casa. Michel começou a carreira no Baeta, na categoria sub-17. Na sequência, o juiz-forano foi para o Goiás em 2009, mas retornou em 2010 para o Carijó, onde ficou até o fim de 2011, ano em que integrou o elenco campeão da Série D. A partir de 2012, Benhami acumulou passagens por Mogi Mirim (SP), Caldense (MG) e chegou ao ABC em 2014, clube em que ele fez mais de 50 jogos. Até voltar ao Baeta, Michel jogou por Caldense, Volta Redonda, América (RN), XV de Piracicaba e Confiança (SE).

 

Formado no Corinthians, Denner, 25, fez parte do elenco profissional do Timão já em 2009, quando pela equipe sub-17. A estreia pelo profissional foi em 2012. Na temporada seguinte, ele foi emprestado ao Atlético Goianiense e se transferiu para o Bragantino. Já vinculado ao Braga, foi emprestado ao Boa Esporte em 2014 e à Penapolense em 2015. Em 2016, defendeu a Portuguesa (SP) e teve uma passagem pelo Famalicão, de Portugal, em 2018. O último clube foi o Nacional (SP).

 

Vindo do Sertãozinho, do interior de São Paulo, Weldon da Silva Dias, 32, vai reforçar o Leão do Poço Rico na disputa do Campeonato Mineiro 2020. Conhecido como Graffite, o jogador acumula passagens pelos mineiros Boa Esporte e Caldense, além do paulista São Caetano, do paraibano Campinense e do Cuiabá, do Mato Grosso.

 

 

De acordo com o Tupynambás, o experiente lateral esquerdo, com passagens por Palmeiras (SP), São Paulo (SP), Grêmio (RS) e Hertha Berlin (ALE) e outras equipes de ponta do país e do exterior, Lúcio chega para a disputa do Campeonato Mineiro 2020.

 

 

 

Meias

No meio de campo, o volante Léo Franco, 21, foi o primeiro anunciado. Natural do Rio de Janeiro, o meia foi revelado pelo Artsul, em 2017. No segundo semestre, jogou no tradicional Boncuesso (RJ). No ano seguinte, o atleta foi para o Olaria (RJ), defender a equipe sub-20. Pouco tempo depois, foi reforço do Potiguar (RN) e teve passagem pelo Fanna BK, da Suécia. 

 

 

Léo terá a concorrência de Allan, 25, que foi revelado no São Paulo (SP). O atleta, com passagens pelo Nacional (SP) e FC Shukura Kobuleti (Geórgia), disputou o Campeonato Brasileiro deste ano pelo Boa Esporte (MG). Pela Seleção Brasileira, Allan foi campeão do Sul-Americano Sub-17, em 2011.

 

 

 

Segundo o clube, Gabriel Almeida, de 23 anos, tem passagem pelo Manchester City (ING) e grandes clubes brasileiros, como Flamengo (RJ), Corinthians (SP), Athletico (PR) e Internacional (RS), é o mais novo reforço do clube para a disputa do Campeonato Mineiro 2020.

Natural de Santos (SP), o atleta atuou boa parte de sua base no Sporting, de Portugal, tendo a dupla cidadania portuguesa.

 

Léo Salino, 34 anos, está de contrato renovado com o Baeta. Após defender o Leão do Poço Rico em 2019, ele segue no alvirrubro para a próxima temporada. O atleta tem passagens por Flamengo (RJ), Ipatinga e Tupi.

 

 

 

Teremos um reforço internacional no Baeta em 2020. Trata-se do meia-atacante equatoriano Felipe Cuero, de 20 anos, que pertence ao Itapirense (SP) e estava emprestado à equipe sub-23 do Corinthians. O atleta chegou ao Brasil em 2019 e jogou a Copa São Paulo de Futebol Júnior pelo clube da cidade de Itapira. Em dois jogos, ele marcou um gol na derrota por 3 a 2 para o Figueirense (SC).  Com boas atuações, ele foi contratado por empréstimo pelo Timão, mas não conseguiu sequer estrear.

 

Atacantes

No ataque, Vanger, 32, que atuou no Baeta nesta temporada, retornará em 2020. Natural de Santa Inês, no Maranhão, o atleta começou a carreira no Fênix, do Uruguai, em 2006. Ele voltou ao Brasil em 2011, para atuar no Alecrim (RN). Já em 2012, ainda novo, transferiu-se para o Boa Esporte e teve boas atuações, o que rendeu uma passagem na Bulgária, em 2013, no Litex Lovech. Na volta ao Brasil, o atacante atuou por Icasa (2014), Sampaio Corrêa (2015), CSA (2017), Globo FC (2018) e estava no Treze (PB) após atuar pelo Baeta no Estadual de 2019.

Outro retorno de atleta à cidade será o de Sávio, de 24 anos. O atacante juiz-forano foi revelado pelo Tupi em 2015, quando o clube conseguiu o acesso para a Série B do Brasileirão. Em 2016, o garoto participou de cinco partidas e marcou um gol. Deixou o Carijó em 2017 para tentar aproveitar uma chance no futebol português, no CD Sobrado. No retorno ao Brasil, jogou no Taubaté (SP) e no Goiânia FC (GO). Em 2019, sob o comando do mineiro Wellington Fajardo, Sávio fez grande temporada no Manaus FC e integrou o elenco campeão estadual e vice-campeão da Série D do Brasileiro. 

O veterano Ademilson segue no Baeta em 2019. O clube confirmou a renovação com o atleta no dia 20/11, dia da Consciência Negra. Aos 45 anos, Adê poderá ampliar a marca de maior artilheiro da história do Estádio Municipal Radialista Mário Helênio.

 

 

 

Leia também:

Coimbra: saiba quem é o adversário-novidade do Baeta em 2020

Como o Pouso Alegre chegou ao Módulo 2

Conheça a trajetória do Betim, adversário do Carijó em 2020

 

Texto: Toque de Bola – Wallace Mattos e Pedro Sarmento

Fotos e artes: Divulgação/Tupynambás

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Deixe seu comentário