Carijó em (re)construção…

  Ainda envolta em muito mistério a um mês da estreia, a formação do elenco do Tupi para a disputa do Módulo 2 do Campeonato Mineiro segue em Santa Terezinha, com treinos fechados e em período de avaliação de atletas.

Nascif foi da comissão campeã da Série D 2011

  Após realizar uma peneira, no fim de dezembro, e fazer as primeiras contratações, ainda mantidas em sigilo pela diretoria, agora a cúpula do futebol carijó avalia atletas indicados pela rede de contatos do técnico alvinegro, Alex Nascif, e do diretor de futebol, Adil Pimenta.

  O treinador falou com exclusividade ao Toque de Bola sobre como está se desenvolvendo o período de formação do elenco do Tupi, que tem estreia marcada no Módulo 2 para o dia 8 de fevereiro, às 15h, contra o Pouso Alegre, no Sul de Minas.    

Criteriosa 

  “Fizemos uma seletiva na cidade, captamos alguns jogadores. Tivemos algumas contratações, e a terceira parte do grupo está vindo para ser avaliada. Essa avaliação está sendo muito criteriosa, porque são muitos atletas. A camisa do Tupi é muito pesada. Então estão sendo oferecidos muitos jogadores”, explica Nascif.

  De acordo com o comandante carijó, as maiores dificuldades em termos de contratação são, inicialmente, orçamentárias. “Nessa faixa etária de sub-24 (limitação imposta pelo regulamento do Módulo 2, que só permite a contratação de sete jogadores acima dos 24 anos), nascidos entre 1996 e 1999, são atletas se dividem em três situações: a primeira delas é dos estão em clubes de Série A ou Série B, ganhando seus 40 a 100 mil; a segunda são as dos que estão em clubes medianos, mas que recebem um salário bom, bem acima do que paga o Módulo 1 por exemplo, o que nos deixa incapaz de equiparar os vencimentos; e a terceira são jogadores que não têm minutagem, jogaram pouco ou não jogaram”, diz.

O zagueiro Matheus Mega é um dos avaliados no Tupi

  Segundo Nascif, quem ainda não atuou como profissional tem pouca chance de permanecer no elenco, e a busca é por atletas que já conheçam o estado e as dificuldades da competição. “Os jogadores que não atuaram ainda nem estamos trazendo para avaliação. A não ser que a indicação seja de alguém de confiança e muito forte. Estamos observando muito essa questão de minutos jogados, se já conhece o Módulo 2, se já jogou no interior de Minas e se vem com vontade. Tudo isso além das capacidades técnicas, táticas, físicas e psicológicas que nós avaliamos”, conta.

Especulações 

  Atualmente, mais de 30 atletas treinam em Santa Terezinha, e não há nomes confirmados. Por isso, as especulações sobre quem vai ficar ainda são muitas. De olho no sucesso recente do time sub-20 no Campeonato Mineiro, do qual a equipe foi vice-campeã, a direção do futebol alvinegro deve integrar os jovens Kassinho e Matheus Mega ao elenco do Módulo 2. Ambos não estão com o elenco do Galinho na disputa da Taça São Paulo de Juniores pois estouraram idade limite. O direção espera o fim da participação da garotada alvinegra na Copinha para definir quem pode ser aproveitado no profissional.

Volante Robson disse estar voltando aos gramados

   Voltando aos 45?

 No grupo dos mais experientes, o volante Robson Manhães deve ser um dos sete atletas com mais de 24 anos a compor o elenco carijó. Em postagem no Facebook, com foto vestindo a camisa do Tupi em 2008, quando foi campeão da extinta Taça Minas Gerais pelo Carijó, o jogador disse estar voltando ao futebol profissional. “Aos 45 anos estarei de volta para os gramados. Com muita vontade, força e vontade vou fazer o meu melhor. Deus sempre guiando meus passos. Grato!!!”

Polêmica

  Embora a diretoria ainda não tenha oficializado nomes de atletas que irão compor o elenco do Tupi no Módulo 2, o elenco já tem uma possibilidade de contratação polêmica. O presidente José Luiz Mauler Júnior, o Juninho, confirmou a alguns veículos de comunicação da cidade recentemente que o Tupi negociou com o goleiro Bruno, ex-Flamengo e Atlético, que cumpre regime semiaberto por ter sido condenado pelo assassinato da modelo Eliza Samudio, em 2010. Isso gerou reação negativa entre torcedoras e torcedores do clube nas redes sociais, incluindo promessas de protestos na porta do Carijó.

Nota oficial do Flu de Feira (clique para ampliar)

   Flu da Bahia desiste

  Segundo o dirigente, as tratativas esfriaram, mas o jogador queria atuar em Juiz de Fora e dependia de uma decisão judicial. Bruno esteve perto do Fluminense de Feira de Santana, que disputa a elite do Campeonato Baiano, Sua contratação também tem gerou reações contrárias que melaram o negócio nesta terça, dia 7. O arqueiro já atuou por outros dois times depois de sua progressão de regime para o semiaberto, mas não chegou a se firmar em nenhum deles. Em 2017, esteve no Boa Esporte e, no ano passado, no Poços de Caldas.

Texto: Toque de Bola – Wallace Mattos

Fotos: divulgação Tupi FC; Facebook Alex Nascif; e Facebook Robson Manhães  

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Deixe seu comentário