Marina é campeã da América!

Cianorte derrotou o Independiente por 2 a 0

  Com uma campanha irretocável, o Cianorte Futsal, time da juiz-forana Marina Loures, é o grande campeão da Copa Libertadores de Futsal Feminino 2019. A conquista veio após uma vitória por 2 a 0 sobre as colombianas do Indepediente, no ginásio Hamilton Linhares Cruz, em Balneário Camboriú, no domingo, dia 8.

  Invicta, com seis vitórias em seis jogos, a equipe paranaense obteve seu primeiro título continental e se tornou a quarta agremiação brasileira a vencer o torneio. Os gols da finalíssima foram marcados por Nega e Marcelinha.

Marina posa com o troféu da Libertadores de futsal

Aprendizado constante

  Em entrevista exclusiva ao Toque de Bola, Marina falou sobre a emoção de conquistar a Libertadores. “Eu estou muito feliz. É muito gratificante ver o trabalho tendo resultados. Tenho o prazer de competir com grandes adversárias e ter um aprendizado constante, estar ao lado das minhas companheiras em evolução diária e escrever o nome na história da modalidade, representando meu país na realização de um sonho”, analisou Marina.

  No que diz respeito à modalidade, Marina é enfática quando fala sobre o futsal feminino. Segundo ela, viver nesse cenário traz barreiras muito grandes. “Representatividade. Ainda hoje, nós buscamos um espaço que, aos poucos, está surgindo na imprensa e na vida. A atleta de futsal feminino sobrevive da modalidade porque ama o que faz. Às vezes, é o que te proporciona momentos bons, mas dificilmente você consegue fazer uma vida com o esporte. Ainda assim, sei que temos muito a evoluir e conquistar. Isso vai fazer com que, aos poucos, o cenário mude”, desabafou a atleta.

Marina veste a camisa do Buscapé desde o ano de fundação

Alô, família!

  Que Marina foi uma das criadoras do Buscapé, todos já sabem. É por isso que ela faz questão de, toda vez que vence, dedicar parte do título às garotas que seguem no projeto em Juiz de Fora.

  “Elas são minha família. Tudo se resume em amizade e companheirismo. As meninas me apoiaram desde o dia que eu saí de Juiz de Fora, nove meses atrás, e estão até hoje me dando força. Tudo isso foi por elas também”, disse Marina.

De volta para casa

  Prestes a voltar para a cidade natal e reencontrar família e amigos, Marina valoriza o reconhecimento por aqui. “É minha casa. Amo Juiz de Fora e nem penso em morar em outro lugar. Por isso eu acho tão importante o reconhecimento que vem daí. Para mim, tudo isso é muito forte e muito gratificante. Pensando assim, eu ainda tenho o sonho de mudar o esporte da cidade de alguma forma”, finalizou.

Texto: Toque de Bola – Pedro Sarmento
Fotos: Conmebol/Divulgação; Luiz Henrique/Buscapé

Deixe seu comentário