Luiz Maurício quer vaga olímpica!

Luiz com a medalha conquistada no Pan sub-20

  Disputar uma Olimpíada é o sonho de muitos atletas, e Juiz de Fora pode ter em breve mais um representante na maior festa do esporte mundial. Esse pelo menos é o objetivo do atleta de lançamento de dardo do Centro Regional de Iniciação Atletismo (Cria) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Luiz Maurício Dias.

  Agraciado com o Mérito Esportivo Panathlon 2019 pela temporada, o jovem juiz-forano quer mais. Em busca de se superar sempre, Luiz quer tentar o índice olímpico já para os Jogos de Toquio, em 2020, que serão realizados entre julho e agosto do próximo ano. O atleta e seu treinador sabem que os passos para buscar a marca, de 85m para os homens, são duros, mas a caminhada do atleta local tem deixado o lançador sonhar.

Metas traçadas 

  Para conseguir a vaga em Tóquio 2020, Luiz tem que lançar o índice em uma competição oficial homologada pela Federação Internacional de Atletismo (IAAF) até o dia 29 de junho. A melhor oportunidade para isso ocorrer é o Troféu Brasil de Atletismo do ano que vem, entre 7 e 10 de maio, em Bragança Paulista, interior de São Paulo.

Meta do juiz-forano é lançar acima dos 80m em 2020

  Consciente, Luiz Maurício sabe o que tem que fazer para chegar a ter possibilidade de tentar o índice. “É ano de Olimpíada, então as expectativas estão lá no alto. A primeira expectativa é lançar acima dos 80m. Faltam uns 5m ou 6m. E tenho tudo para chegar a essa casa. Assim, isso facilita para buscar uma vaga olímpica. Vou treinar e me esforçar. É difícil, tenho que reconhecer. Mas, não tem segredo, é trabalhar para isso”, considera.

Evoluindo

  Segundo o técnico que trabalha diretamente com Luiz no Cria/UFJF, Jefferson Verbena, a melhor chance de seu atleta ocorrerá daqui a quatro anos. “Não vou dizer que é impossível ele conseguir o índice para Tóquio 2020, mas é muito difícil mesmo. Teria que conseguir lançar cerca de 7m a mais, em um curto período de tempo. Agora, ele vem evoluindo bem e rapidamente, então é treinar. Acredito que ele tem uma Olimpíada pela frente, talvez daqui a quatro anos. Nesse período ele chegará certamente com mais condições de bater essa marca”, acredita.

Luiz (centro) com José Roberto Maranhas e Basileu Tavares

  Luiz sabe que teve um grande 2019, tem como crescer ainda mais e comemora os títulos do ano de olho no futuro também. “Essa temporada fiz de forma bem constante. Desde o começo vim melhorando a minha marca. Isso foi muito bom para mim pessoalmente e para divulgar o projeto. Trabalho que deu certo e tem tudo para evoluir mais ainda. Fui vice campeão pan-americano e vice sul-americano. Além de líder do ranking adulto da modalidade. São títulos importantes, que vão fazer muita diferença no futuro”, celebra.

Texto: Toque de Bola – Wallace Mattos

Fotos: Wagner Carmo/divulgação CBAt; divulgação Panathlon e Facebook CBAt

Deixe seu comentário