Lembra dele?

Lúcio estava no Batel, do Paraná

  Mesmo com a maioria do elenco já com contrato assinado para a disputa do Campeonato Mineiro, o Tupynambás segue anunciando reforços para 2020.

  No fim deste domingo, dia 1º, o Baeta confirmou o acerto com o experiente lateral esquerdo e meia Lúcio, de 40 anos. O jogador tem passagens por grandes clubes como Grêmio, Palmeiras e São Paulo, e estava no Batel, clube da segunda divisão do Campeonato Paranaense.

Trajetória extensa

  Lúcio nasceu em Olinda e iniciou sua carreira em 1997, nas categorias de base do Unibol, time pernambucano. Três anos depois, o atleta estreou como profissional no São Bento, de Sorocaba. Foi no clube do interior paulista que conquistou o Campeonato Paulista da Série A3 de 2001, primeiro título da carreira.

  Após boas atuações, Lúcio recebeu diversas propostas e foi para o Ituano, onde foi campeão paulista de 2002. No ano seguinte, defendeu o Palmeiras na Série B do Brasileirão e foi campeão da Série A nacional em 2006, com a camisa do São Paulo. Em 2007, o jogador foi contratado pelo Herta Berlim, da Alemanha, e emprestado ao Grêmio, onde foi bicampeão gaúcho.

  Em 2012, o atleta voltou para Pernambuco para defender o Náutico e ficou a temporada de 2013 no Fortaleza. Após um ano e meio longe dos gramados, Lúcio retornou em 2015, quando foi contratado pelo Salgueiro. Em alta, vestiu a camisa do Santa Cruz no Brasileirão da Série B e fez parte do elenco que conquistou o acesso para a Série A. Já em 2018, atuou pelo Taboão da Serra na Série A3 do Paulistão e defendeu o Batel na Segunda Divisão do Campeonato Paranaense em 2019.

“Quarto melhor do mundo”

Lúcio atuou por Grêmio e Palmeiras

  Em uma entrevista concedida a Jorge Kajuru, na TV Bandeirantes, Lúcio concordou com o apresentador quando ele o classificou como o quarto melhor lateral do mundo em atividade, atrás de Roberto Carlos, do Real Madrid, Serginho, do Milan, e Léo, do Santos.

  A partir de então, acumulando atuações ruins do jogador, o Palmeiras voltou a ter um desempenho negativo. Por conta das declarações, Lúcio se tornou alvo incansável da torcida alviverde.

Aposentadoria?

  Com a idade avançada, Lúcio já pensa em encerrar a carreira de atleta, mas deve seguir no futebol como treinador. De acordo com o jogador, em entrevista concedida em 2018, ele atuaria mais dois anos e pararia de jogar. Será que o Baeta será o último clube da carreira do pernambucano?

Texto: Toque de Bola – Pedro Sarmento
Fotos: Reprodução/Site Oficial AA Batel; Portal UOL

Deixe um comentário