JF Vôlei versão 2020!

Elenco e comissão técnica do JF Vôlei reunidos

  Apresentado oficialmente com oito contratações que desembarcaram na cidade nos últimos dias, o grupo do JF Vôlei agora entra na reta final de preparação para a disputa da Superliga B 2020, que tem o dia 20 de janeiro como previsão de início.

  Na última quinta, dia 5, à noite, a equipe juiz-forana que tenta pelo segundo ano consecutivo o retorno à elite do vôlei nacional fez um treino aberto de apresentação para a imprensa no Ginásio da Faculdade de Educação Física e Desportos (Faefid) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), e o Toque foi conferir. Após iniciar os trabalhos com atletas das categorias de base, jogadores juiz-foranos e da região, o grupo ganhou corpo com a contratação de peças que estavam em atividade em outras equipes e chegaram para qualificar o elenco.

ELENCO E COMISSÃO TÉCNICA JF VÔLEI SUPERLIGA B 2020 (clique e conheça os jogadores e comissão técnica do JF Vôlei)

Busca por qualidade

Marcão conversa com o grupo antes do treino

  São 15 jogadores que compõem o grupo principal do JF Vôlei. Oito foram reforços trazidos nos últimos dias pela direção do projeto e sete atletas que iniciaram a preparação para a Superliga B no fim de agosto.

  O time tem média 1,91m, e conta com atletas com experiência internacional, como o central Renan Levandoski, de 27 anos e com passagens por Líbado e Argentina. Também jogadores da região e ligados à iniciativa juiz-forana desde o início, como o líbero Léo, de 30 anos, que atuou na temporada inaugural do time, em 2009, esteve no departamento de fisioterapia, foi para a arquibancada torcer e agora retorna às quadras.

  “Trouxemos quem estava jogando para se somar a quem estava na preparação desde o início. Monitoramos bem o o mercado, tivemos uma grata surpresa no último momento de poder contar com o Renan e o Vinícius. Em um geral, na parte técnica, o grupo é bem habilidoso, com controle de bola bom. É um time longilíneo, alto, com boa capacidade de salto. Mas na parte psicológica que eu acho que foi muito legal. Todo mundo está com muita vontade de crescer no mercado. É uma característica minha. Estamos todos muita afim de fazer esse projeto ser ainda mais vencedor do que já é”, deseja o técnico Marcos “Marcão” Henrique.

De casa e de fora 

Rodrigo está desde agosto com a equipe

  Quem já estava no processo e treinos desde agosto sabe que o tempo é curto, mas acredita no encaixe da equipe, como o ponteiro Rodrigo, de 32 anos e 1,83m. “Daqui até o início da competição é tudo muito próximo e corrido. Mas tenho certeza de que o grupo tem tudo para ficar coeso e entrosado. As expectativas para a Superliga B são as melhores possíveis. Podemos nos dar bem dentro e fora de quadra, porque uma coisa puxa a outra.”   

  Quem chega está em fase de adaptação e conhecimento. “Não conhecia quase ninguém, só dois ou três atletas que jogaram comigo. Vim a conhece aqui. Mas acabamos procurando, quando sabemos o nome, vê como joga. Foi um time montado com características complementares. Jutos formaremos uma equipe muito boa”, prevê Renan.

Reta final para Superliga B 

Renan é um dos principais reforços para a Superliga B

  Além de apresentar o elenco, o JF Vôlei confirmou um torneio-relâmpago amistoso, a Copa da Amizade, para o dia 21 de dezembro, no Ginásio da Faefid. Os anfitriões, participam da competição o Vôlei Três Rios-RJ e o Reunidos, de Barbacena. As equipes se enfrentam em partidas sequenciais de três sets cada. Quem vencer mais, se sagra campeã.

  Na Superliga B 2020, a partir do fim de janeiro, os adversários do JF Vôlei, por enquanto, serão: os mineiros Uberlândia/Gabarito e Lavras Vôlei; o Brasília Vôlei, do Distrito Federal; o Anápolis Vôlei, de Goiás; além dos paulistas Vôlei Guarulhos e São José dos Campos.

  A competição será disputada no mesmo sistema desta temporada, quando os times se enfrentam na primeira fase em turno único, de sete rodadas, e se classificam para os playoffs. Na segunda fase, o primeiro colocado pega o oitavo, o segundo enfrenta o sétimo, o terceiro encara o sexto e o quarto joga contra o quinto. Os detalhes sobre tabela e jogos ainda serão definidos pela Confederação Brasileira de Vôlei (CBV).

Texto: Toque de Bola – Wallace Mattos

Fotos: Toque de Bola       

Deixe seu comentário