Baeta encara “nova” Série D

Troféu da Série D em 2019 foi erguido pelo Brusque FC

  Pela primeira vez na disputa do Campeonato Brasileiro da Série D, o Tupynambás chega à competição em um momento de mudanças.
  A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) encaminhou um ofício às federações estaduais em outubro de 2019 com as informações de como será a fase preliminar da última divisão nacional a partir de 2020. 

  A alteração diz respeito ao formato da disputa da fase de grupos, que terá um grande aumento no número de datas: de 16 para 26.
  No documento, a CBF anunciou a implantação de uma seletiva no formato mata-mata (ida e volta) que contará com os segundos representantes das oito entidades estaduais com o pior posicionamento no Ranking Nacional das Federações. Dos oito, quatro avançam à fase de grupos da Série D.

“Melhor para o planejamento”

  Em entrevista ao Toque de Bola, o vice-presidente do Tupynambás, Cláudio Dias, falou sobre as mudanças comunicadas pela CBF e como isso afeta a programação do Leão no que diz respeito a negociações.

  “Essa mudança da primeira fase, principalmente, foi melhor para o planejamento. Com mais jogos, a possibilidade de um time mais estruturado ter sucesso é maior. A princípio, o nosso foco é o Mineiro. A intenção é formar um time forte e mantê-lo para a Série D. Todos os contratos estão sendo firmados com final em abril, e possibilidade de renovação automática para a Quarta Divisão. Também vamos observar outros estaduais na busca de contratações que possam qualificar o elenco para a competição nacional”, afirmou o homem forte do futebol alvirrubro.

CBF se manifestou através de nota oficial

Novo sistema

  A mudança é transitória. Ainda de acordo com a entidade máxima do futebol brasileiro, esse modelo será alterado em 2022, quando as quatro federações com pior posicionamento passarão a ter apenas um clube da Série D – e não duas vagas. Assim, a seletiva ocorrerá apenas em 2020 e 2021.

  Com as alterações, a fase de grupos terá 64 equipes, e não 68, como nos últimos anos. Serão oito grupos com oito equipes cada e jogos de ida e volta.
  Os quatro melhores de cada chave se credenciam para disputar a segunda fase, totalizando 32 equipes.
  Na sequência, os classificados se enfrentam em confrontos eliminatórios até a definição do campeão e do acesso nas tradicionais oitavas, quartas, semifinais e final.

  Atualmente, as oito entidades estaduais com pior ranqueamento são: Roraima, Amapá, Rondônia, Espírito Santo, Tocantins, Mato Grosso do Sul, Amazonas e Distrito Federal. A Série D terá início no dia 3 de maio e termina dia 22 de novembro.

Texto: Toque de Bola – Pedro Sarmento

Fotos: Reprodução/CBF; Lucas Figueiredo/CBF

Deixe seu comentário