Para fazer história!

Marina em ação diante do Telêmaco Borba

  Após conquistar o Campeonato Paranaense de Futsal Feminino no domingo, dia 24, a ala esquerda juiz-forana, Marina Loures, vai atrás de mais um título a partir deste fim de semana. 

  A jogadora de futsal de Juiz de Fora entra em ação domingo, dia 1º, com o Cianorte, do Paraná, na disputa da Libertadores da América. A competição continental vai até o dia 8 de dezembro, em Balneário Camboriú, Santa Catarina.

“Diferente de tudo que já vi”

  Em entrevista exclusiva ao Toque de Bola, Marina falou sobre a expectativa de representar o Brasil na Libertadores, elogiou a organização do torneio e caracterizou algumas responsabilidades que ela e a equipe carregam nas costas na próxima semana em Santa Catarina.

  “A expectativa para a Libertadores está muito alta. É a primeira vez que uma equipe de fora de Santa Catarina representa o Brasil na Libertadores. Ainda temos mais duas responsabilidades para carregar: é a primeira vez que será disputada no Brasil e os representantes brasileiros nunca perderam a competição, sempre foram campeões. É uma competição muito grande e muito bem organizada, diferente de tudo que eu já vi. É a Conmebol que organiza, então é uma estrutura fora do comum”, explica Marina.

Campeãs

  A semana anterior à estreia na competição continental foi de muito treino e descanso. Isso porque o time vem de um fim de semana de muito desgaste para levantar o troféu do Paranaense. No sábado, dia 23, a equipe viajou por quatro horas até Telêmaco Borba para a primeira partida da finalíssima e já retornou para Cianorte, palco do jogo decisivo apenas um dia depois.

Ala vai à quadra com torcedora mirim a pedido do pai da criança

  Em quadra, a conquista estadual diante das maiores rivais, o Telêmaco Borba, ocorreu de maneira emocionante. Após uma derrota por 4 a 2 na primeira partida fora de casa, o Cianorte venceu por 2 a 1 dentro de seus domínios e, nos pênaltis, sagrou-se campeão após derrotar as adversárias por 4 a 3.

  “Na final, nós enfrentamos nosso maior rival atualmente, que é a equipe de Telêmaco Borba. No caso, os jogos tiveram que ser seguidos, no sábado e domingo, por conta da Libertadores. Fomos na casa delas no sábado, dia 23, e não fizemos uma boa partida. Fomos muito abaixo do que podemos render. Isso nos obrigou a vencer o jogo de volta em casa para que fossemos para os pênaltis, porque aqui no Paraná não temos a prorrogação, e a vantagem do empate no tempo normal era delas. Vencemos no tempo normal por 2 a 1 e, nos pênaltis, conseguimos a vitória”, contou a ala do Cianorte.

“Quero fazer história”

  Para a Libertadores, últimos detalhes em ajuste. A primeira parte da competição será dividida em dois grupos de cinco clubes, classificando-se os dois primeiros de cada chave para as semifinais. Os vencedores vão à finalíssima. Confira a tabela completa.

  Marina tem consciência de que, se for campeã, fará história. “Aqui ninguém é como eu. Eu sou muito ligada ao futebol, e disputar uma Libertadores é muito importante. Eu coloco essa disputa na mesma dimensão do futebol e posso me tornar a primeira atleta de Juiz de Fora (do futsal) a ser campeã continental. Eu posso, de certa forma, escrever meu nome na história. Quando estamos de dentro, não temos noção do que se torna isso, mas a expectativa está muito alta para, repito, fazer história.”

Texto: Toque de Bola – Pedro Sarmento
Fotos: Anna Karoline Camilotti/Cianorte

Deixe seu comentário