Jacaré gera euros ao Sport

Jacaré estreou pela Seleção contra a Argentina

  Assunto dos últimos dias por conta de sua convocação e estreia pela Seleção Brasileira, o juiz-forano Wesley Moraes já gerou dividendos e deve gerar ainda mais à primeira agremiação pelo qual foi federado, o Sport Club Juiz de Fora.

  Valorizado agora que atuou seus primeiros dez minutos com a camisa do Brasil, na derrota para a Argentina, por 1 a 0, no dia 15 de novembro, Jacaré, como é carinhosamente conhecido em Juiz de Fora, já rendeu dinheiro ao Verdão quando saiu da Eslováquia para a Bélgica. Agora, o clube local aguarda outro aporte, desta vez da transferência de Wesley do futebol belga para o inglês. E pode receber mais ao longo da carreira do atleta.

Primeira transferência

  Como explica o presidente do Sport, Jorge Ramos, a primeira transferência internacional de Wesley reforçou o caixa do Periquito com euros vindos da Bélgica. Quando Wesley deixou o eslovaco Trencin para se transferir para o belga Club Brugge, em janeiro de 2016, parte de sua venda de 1 milhão de euros foi direcionada ao Sport.

Jacaré jogando pelo Brugge

  “Já tivemos o direito de participação quando ele foi negociado para o Brugge, de 20 mil e poucos euros. Investimos no clube esse montante. Casos como o dele nos incentivam a investir nas categorias de base. Dentro das nossas possibilidades do Sport. Não contamos com patrocínios, e temos extrema responsabilidade com os garotos que escolhem o clube. Ficamos muito felizes de estarmos com as categorias cheias”, destaca Ramos. 

Segunda transferência

  No meio deste ano, em julho, Wesley novamente se transferiu fora do país. Desta vez, deixou o belga Brugge para se tornar a contratação mais cara da história do inglês Aston Villa. Por 25 milhões de euros, Jacaré foi para a Premiere League, onde já atuou em 12 partidas e fez quatro gols.

  Neste negócio, o total da participação a ser dividido pelos clubes formadores do centroavante (entenda abaixo) deve corresponder a 1,25 milhão de euros. Seguindo os padrões atuais de participação através do mecanismo de solidariedade da Fifa, o Sport ficaria com algo em torno de 312 mil euros (R$ 1,45 milhão no câmbio atual).

Aguardando

O centroavante de JF já fez 4 gols pelo Aston Villa

  A diretoria do Verdão ainda aguarda o aporte que deve ser gerado pela nova transferência internacional de Wesley. “A transação do jogador do Brugge para o Aston Villa está conclusa para os clubes. Mas a questão da participação dos formadores, como o Sport foi na vida do Wesley, não tem nada definido ainda. Que há um direito, sim. Não temos nenhuma notícia que se possa dar sobre a transação. O doutor Lucas (Ottoni, especialista em direito esportivo) é o advogado que o Sport contratou para dar andamento, assim como fez da primeira vez, e verifica isso junto ao clube inglês. Não sabemos se a venda se deu em parcelas. Se assim foi, o recebimento também é parcelado”, explica Jorge.

  A intenção do presidente é continuar investindo para obter a liberação total do Verdão para eventos. “O recurso vindo, vamos continuar investindo nas obras do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB), que é um compromisso firmado em 2015. Tenho isso como um desafio. Não é fácil, mas nós queremos ter um Sport em condições de uso, para que possamos realizar eventos, ofertar a segurança a quem ali frequenta. Boa parte do projeto já está executado”, lembra.

Intenção é investir dinheiro de Jacaré em melhorias

Mecanismo de solidariedade

  Através do mecanismo de solidariedade estabelecido pela Fifa, os clubes formadores têm direito a receber até 5% do valor total das transações internacionais de atletas oriundos de suas categorias de base. Assim, o Sport, pelo qual Jacaré atuou e foi federado nas categorias sub-15 e sub-17 (2011, 2012 e 2013) divide as quantias com o Itabuna-BA, onde o juiz-forano jogou pelo sub-18 (2014 e 2015), antes de se transferir sem custos para o Trencin, da Eslováquia.

  As transferências internacionais de Jacaré envolvendo valores entre agremiações se iniciaram quando ele deixou o clube eslovaco para o Brugge, da Bélgica. A partir de então, cada vez que o jogador se transfere profissionalmente de um país para o outro, os clubes que participaram da formação do atleta recebem partes proporcionais do valor até 5% do total da transação.

Wesley em ação com a camisa do Sport em 2013

  De acordo com a Fifa, a formação do profissional vai dos 12 até os 23 anos. Wesley completa a idade limite somente no dia 26 de novembro de 2019. Assim, caso deixe a Inglaterra e se transfira para outro país posteriormente, até mesmo o Aston Villa entrará no rateio da porcentagem de clube formador do juiz-forano ao lado do Sport, do Itabuna, do Trencin e do Brugge. A cláusula de solidariedade é válida por toda a carreira do jogador.

Divisão da porcentagem dos formadores pelo mecanismo de solidariedade Fifa:

– temporadas do 12º ao 16º aniversário do atleta: 5% (0,25% dos 5% do valor total da transação) por cada ano* 
– temporada do 17º ao 23º aniversário do atleta: 10% (0,5% dos 5% do valor total da transação) por cada ano*

*mesmo que o atleta permaneça somente alguns meses registrado em um clube, este tem direito à parte proporcional do valor da temporada em caso de transferência internacional futura

 

Texto: Toque de Bola – Wallace Mattos com informações do transfermarkt.com.br

Fotos: Toque de Bola; Facebook Wesley Moraes; Facebook Aston Villa FC; e Lucas Figueiredo/CBF 

 

Deixe seu comentário