Eleições do Tupi: bastidores movimentados

    As eleições no Tupi ganharam novos capítulos. Na tarde desta quarta-feira, dia 2, veio à tona uma certidão relatando que os documentos solicitados judicialmente pela chapa de oposição, primeiro via liminar e depois por mandado de busca e apreensão, não foram entregues.

  A situação, por sua vez, assegura que está tranquila, por não ter feito “nada errado”.

   Depois da confirmação dos registros das chapas, no início da semana passada, na sexta-feira surgiu o primeiro documento: o juiz Edson Geraldo Ladeira determinou o prazo de 24 horas úteis para que os documentos fossem entregues.

  Como o clube não o fez, na terça, dia 1º, a 7ª Vara Cível da Comarca de Juiz de Fora expediu um mandado de busca e apreensão de documentos solicitados pela chapa SOS Tupi, encabeçada por Cloves Santos.

   Já na tarde desta quarta-feira, uma certidão assinada por um oficial de justiça informa que os documentos solicitados não foram entregues, apesar das tentativas feitas tanto na tarde desta terça como na manhã desta quarta.

  Veja, abaixo, o documento divulgado nesta quarta. Clique sobre a imagem para ampliar

  Situação: “Queremos a eleição”

  Já o candidato da chapa JR2020, José Luiz Mauler Júnior, em resposta a questionamento do Toque de Bola, enviou o seguinte texto: “Não temos preocupação pois não fizemos nada errado. E problema da outra chapa com a COFEL. Queremos a eleição e aguardaremos qualquer decisão quer seja judicial quer seja administrativa em que nada nos afetara (sic)”.

  Jarbas da Cruz, presidente da Comissão de Fiscalização Eleitoral (Cofel), citado na certidão, ainda não respondeu ao contato da nossa reportagem.

 As eleições estão previstas, inicialmente, para o dia 5. Resta saber se em função do imbróglio jurídico a votação será, de fato, efetuada no primeiro sábado de outubro.

Posição oficial   

  No início da noite desta quarta, a assessoria de imprensa do Tupi divulgou a seguinte nota:

Nota oficial sobre as recentes notícias veiculadas na imprensa

O Tupi Foot Ball Club esclarece que sempre atuou com transparência e com observância às disposições do Estatuto Social.

No que diz respeito às últimas notícias envolvendo a entrega e exibição de documentos às chapas participantes da eleição, informa que apresentou na data de 01/10/2019, tempestivamente e pela via adequada, o solicitado, em cumprimento à ordem judicial.

Ademais, conforme será demonstrado em Juízo, informa que, a documentação na qual o Estatuto Social exige que seja apresentada antes das eleições, foi devidamente entregue às chapas requerentes.

Com relação à certidão do oficial de Justiça veiculado na imprensa, esclarece que foi informado ao mesmo no ato, de que os documentos já teriam sido apresentados em Juízo desde o dia 01 de outubro, tal como consta do processo
O Tupi Foot Ball Club renova neste ato, o compromisso com a lisura do processo de eleição.

Tupi Foot Ball Club”

 Documentos

  A liminar solicita que o Tupi apresente a relação completa de sócios que passaram a integrar o quadro social até a primeira quinzena de 2018, a lista atualizada de todos os sócios, o livro de registros de compra e venda de quinhões atualizado, constando as transferências e vendas de quinhões, os documentos de quitação dos sócios “família”, o registro dos sócios votantes do triênio 2016/2019 e a lista da chapa JR 2020 dos 80 efetivos e 20 suplentes para conferência. As listas devem ser entregues em sigilo e cabe recurso.

 

Texto: Toque de Bola

Deixe seu comentário