Direção carijó quebra o silêncio

Clube publicou nota oficial em suas redes sociais

  A diretoria do Tupi resolveu se manifestar no fim da tarde desta terça, dia 22, sobre as suspeitas levantadas pela chapa SOS Tupi na eleição para presidente do clube no triênio 2020-2022. O pleito foi realizado no dia 5 de outubro, com vitória do grupo apoiado pela situação, JR 2020, mas está com seu resultado suspenso pela Justiça.

  Depois de preferir não se manifestar imediatamente após a entrevista coletiva concedida pelo advogado Marcelo Jucá, representante da chapa SOS Tupi, na última segunda, dia 21, a direção carijó voltou atrás e publicou em suas redes sociais uma nota oficial. Sobre as suspeitas levantadas pelo grupo derrotado pela JR 2020 no pleito por hora suspenso, a direção do Carijó afirma ter conduzido o procedimento eleitoral de acordo com o estatuto, e repudia afirmações de fraude e irregularidade.

Permitido

  Os cartolas alvinegros também esclareceram, sobre caso específico de que um sócio haveria transferido seu quinhão após sua morte, que “se trata de formulário de transferência de quinhão, com indicação de dados por herdeira de sócio falecido, que solicitou a transferência do quinhão ao seu marido, à época, o que é plenamente permitido pelo Estatuto do Clube. Esclarece-se inclusive, que o referido quinhão não integrou nenhuma das chapas.”

  A nota da diretoria do Carijó termina dizendo que o clube tomará medidas judiciais por conta de considerar as suspeitas “imputações inverídicas informadas”. Além disso, “solicita que as chapas concorrentes, atuem com boa-fé e concentrem suas atividades no processo democrático das eleições, evitando que informações precoces e infundadas prejudiquem a Instituição TUPI.”

Confira a íntegra da nota oficial do Tupi (sic):

Nota Oficial

O Tupi Foot Ball Club, por meio de sua assessoria de imprensa, vem a público se manifestar sobre a entrevista concedida pela chapa SOS Tupi, veiculada na mídia em data recente:

O Clube esclarece que atua e sempre atuou em conformidade com o Estatuto Social, tendo se pautado nos exatos trâmites nele previsto, principalmente quanto ao procedimento eleitoral.

O Tupi manifesta repúdio quanto às afirmações prestadas na referida entrevista, sobretudo no que diz respeito às menções de “suposta fraude” e “irregularidade”.

Quanto à única conjecturada irregularidade suscitada, esclarece, assim como já manifestou em Juízo, que se trata de formulário de transferência de quinhão, com indicação de dados por herdeira de sócio falecido, que solicitou a transferência do quinhão ao seu marido, à época, o que é plenamente permitido pelo Estatuto do Clube. Esclarece-se inclusive, que o referido quinhão não integrou nenhuma das chapas.

Informa ainda, que os sócios votantes do presente pleito, são, em sua maioria, os mesmos há mais de dez anos, tendo inclusive, elegido um dos membros da chapa SOS Tupi para diretoria em gestões passadas.

Assim, o Tupi Foot Ball Club repudia as alegações impulsivas e desmedidas prestadas, renovando a lisura com a qual sempre atuou.

O Clube pontua que irá tomar as medidas judiciais cabíveis quanto às imputações inverídicas informadas.

Por fim, o Tupi Foot Ball Club, solicita que as chapas concorrentes, atuem com boa-fé e concentrem suas atividades no processo democrático das eleições, evitando que informações precoces e infundadas prejudiquem a Instituição TUPI.

 

Texto: Toque de Bola – Wallace Mattos

Arte: Facebook Tupi FC

 

Deixe seu comentário