“Família” de atletas é trunfo do Galinho

Entrosamento é ponto forte no Carijó

  Não é de hoje que a equipe sub-20 do Tupi vem dando orgulho ao torcedor Carijó. Após grandes atuações na Copa Alterosa de 2018, o Galinho faz excelente campanha no Campeonato Mineiro 2019 da categoria e está a um passo da final. Entre os motivos do bom desempenho, um chama atenção de quem acompanha o alvinegro: o entrosamento.

América: o início

  Dos 23 atletas do atual grupo do Galinho, cinco já se conhecem desde 2015, quando atuaram juntos no América-MG. O zagueiro Matheus Mega, o lateral Cleitinho, os meias Thales Fernandes e Gabriel Tchó Tchó e o atacante Pedro Lolote vestiram a camisa do Coelho e trazem, desde então, um forte entrosamento dentro de campo.

  Além deles, estavam presentes naquela equipe o meia Pedro Henrique e o atacante Washington, que atuaram pelo Tupi na primeira fase do Estadual e foram para o Atlético-MG.

 “Família” sem igual 

  Em entrevista coletiva após a vitória no primeiro jogo da semifinal diante do Uberlândia, o meia Gabriel Tchó Tchó reforçou a união do grupo Carijó e classificou a equipe como “uma família que ele nunca viu em outro clube”.

Na foto, Tchó Tchó, Cleitinho e Thales com a camisa do América-MG

  “A gente é uma família, temos uma união que eu acho que nenhum outro clube tem. Algumas amizades aqui já passam de três anos e outras eu fiz em pouco tempo, mas já considero os meninos como irmãos para mim. Tudo isso fortalece o individual e o coletivo a cada jogo, o que torna um fator muito importante para nossa equipe”, comentou Tchó Tchó.

Figueirense: reencontro

  Após a saída do América-MG, os atletas se reencontraram no Figueirense de São João Del Rei, em 2017. Além dos jogadores já citados, a equipe comandada pelo técnico Beto Sousa (ex-Tupi) contava com outros 11 garotos que chegaram depois ao Tupi: os goleiros Davyd e Raúl, os laterais Pablo, Felipe, Matheus, Gustavo e João Gustavo, o zagueiro Otávio e os atacantes Neném, Samuel Cazares e Patrick.

  Pelo Figueira, os atletas conquistaram grandes resultados. Em duas temporadas, o Tigre foi terceiro colocado no Campeonato Mineiro Sub-20 de 2017, campeão da Heemskerk Cup e vice na Copa Del Agatha, ambas na Holanda, em 2018.

  Em entrevista exclusiva ao Toque de Bola, o consultor de futebol do Carijó, André Luiz, analisou a montagem do elenco, iniciada por ele em 2015.

Figueirense fez excursão pela Europa e teve bons resultados

  “Comecei a montar esse elenco que hoje está no Tupi em 2015 e ano após ano a gente foi acrescentando qualidade ao grupo. Esses atletas passaram nas mãos de gente muito boa e hoje estão em Juiz de Fora sob o comando de outro grande treinador, que é o Wesley. Fico feliz com o resultado, mas te digo que para mim isso já era esperado. Na minha primeira conversa com o Wesley e com os atletas eu falei que estava entregando um time para ser campeão mineiro, mas, para que isso acontecesse, os atletas teriam que acreditar, porque competência eu sabia que eles tinham”  

Tupi: sequência

  Com a chegada de um elenco quase completo e já entrosado, a sequência do trabalho ficou menos complicada. Isso porque a manutenção da comissão técnica, comandada pelo treinador Wesley Assis, e de alguns jogadores do Galinho vice-campeão da Copa Alterosa 2018,  proporcionaram ao Tupi o necessário na preparação para o Mineiro de 2019.

Sete em ação 

  No total, sete atletas seguiram no Tupi. O lateral Gabriel Gomes, os volantes Henrique, João Marcos e Wesley (que também foi para o Atlético-MG após a primeira fase do Estadual), o meia Max e os atacantes Re e Yago receberam os demais atletas que vieram do Figueirense e o zagueiro Pedro Romano, que deixou o Fluminense-RJ.

  “Bons frutos”

  Sobre a sequência de trabalho e entrosamento, o técnico do Carijó, Wesley Assis, falou ao Toque. Ele elogiou o desempenho obtido pelos atletas nos clubes anteriores e reforçou a aplicação de novos conceitos de equipe ao Galinho.

  “Eles já vieram de um trabalho bem feito em São João Del Rei, mas nós implementamos alguns conceitos novos para eles e tenho certeza que muitos aprenderam muita coisa. Foi tudo bem feito no passado, está sendo bem feito no presente e temos certeza que essa mescla de entrosamento deles com a intensidade de jogo que ganharam aqui vai gerar bons frutos na competição”, analisou Assis.

Wesley Assis exaltou o trabalho feito por Beto e valorizou o empenho de sua comissão

Idas, vindas e decisão

  Recentemente, com a saída do volante Wesley, do meia Pedro Henrique e do atacante Washington, que foram para o Atlético-MG, o Galinho teve necessidade de se reforçar para a fase final do Mineiro. O lateral Jordan Kaíque, o volante Izaías e o atacante Paraíba foram contratados junto ao Serranense e já se sentiram à vontade no alvinegro.

  “Estou me sentindo em casa. Os companheiros me acolheram muito bem e jogar em um clube como o Tupi é muito gratificante. Claro que é uma responsabilidade manter o nível de atuação que a equipe vinha tendo, mas estamos trabalhando para isso”, disse Izaías, instantes a vitória sobre o Coimbra, em Juiz de Fora.

  Com todos esses fatores, o Tupi enfrenta o Uberlândia neste sábado, dia 14, às 15h, no Parque de Sabiá, em Uberlândia. Após vencer a partida de ida da semifinal por 3 a 1, a equipe pode até perder por um gol de diferença para avançar à finalíssima do Estadual.

  A cobertura completa da decisão você acompanha nas redes sociais do Toque de Bola.

Texto: Toque de Bola – Pedro Sarmento

Fotos: Toque de Bola; Arquivo pessoal/Cleiton dos Anjos

Deixe seu comentário