Ambulância atrasa e Baeta-UFJF perde por WO

Lance de Baeta-UFJF x Pouso Alegre – sub-15 – Mineiro de Base – Segunda Divisão

  O primeiro jogo da rodada dupla da manhã de sábado, dia 21, entre Tupynambás/UFJF e Santarritense, pelo Campeonato Mineiro Sub-15 da Segunda Divisão, transformou-se em WO em favor da equipe visitante.

  O motivo foi o atraso da ambulância, que, a caminho do estádio, foi convocada a prestar socorro a um motociclista ferido em grave acidente no bairro Aeroporto. O atraso, segundo a  súmula, foi de sete minutos. De acordo com o clube juiz-forano, o atraso não teria sido superior a quatro minutos.

   De qualquer  forma, a ambulância chegou ao Estádio Municipal Radialista Mário Helênio além dos 30 minutos, tolerância prevista no regulamento.

  Como fica?  

  Em situações de WO, normalmente é homologado como resultado da partida a vitória por 3 a 0 do adversário. Especificamente pela ausência de ambulância, o regulamento do Mineiro sub-15 prevê em seu artigo 29 a declaração do vencedor pelo placar 1 a 0 ao adversário da equipe mandante. Ocorre que na classificação divulgada pelo site da Federação Mineira de Futebol (FMF), segundo o Baeta/UFJF, foi  atribuído um ponto ao time juiz-forano depois do ocorrido sábado. 

Tupynambás ganhou um ponto na classificação

  O coordenador do Futebol UFJF, Marcelo Matta, acredita que houve falta de sensibilidade do trio de arbitragem, uma vez  que eles estavam sendo informados sobre o fato ocorrido. O professor informa ainda que enviou mensagens para a diretoria de competições da entidade desde que soube do imprevisto com a ambulância, preocupado com o que poderia vir  a ocorrer.

Resposta da FMF

  O Toque entrou em contato com a assessoria da FMF e foi informado que, por enquanto, vale o que está descrito no regulamento da competição. Ou seja, o resultado da partida será homologado como 1 a 0 para o Santarritense. Se alguma das partes se manifestar ou a Procuradoria do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) oferecer denuncia sobre o ocorrido após tomar conhecimento da súmula, a Justiça Desportiva poderá julgar o caso.

Resultado de 0 a 0 está incorreto segundo a FMF

  Inicialmente, o ponto atribuído ao Tupynambás/UFJF ocorreu por conta de um erro de digitação, já que o resultado da 13ª rodada a princípio tinha sido considerado 0 a 0. Após a mudança para 1 a 0 Santarritense, o Baeta voltará a ter 18 pontos e não 19 na classificação do Mineiro sub-15.     

 Súmula cita argumento do adversário

     Já a súmula do árbitro, disponibilizada no site da Federação Mineira de  Futebol, relata que o adversário não abriu mão do cumprimento dos 30 minutos estipulados em regulamento, porque, segundo a súmula, o Santarritense também já teria sido punido pelo mesmo motivo em outra ocasião.

  De acordo com Matta, apesar do transtorno, a classificação e o acesso dos times para a primeira  divisão não serão comprometidos.

  Vitória no sub-17

  O outro jogo pela competição, este na faixa de idade sub-17, marcado para as 11h, ocorreu normalmente, já com a ambulância no local, e os anfitriões venceram por 1 a 0, gol de Mateus Monteiro, aos oito minutos do segundo tempo.

  O que  diz a súmula

  No site da  FMF, informa-se  que o trio de arbitragem escalado para a partida reuniu Claudionor Rosa da Silva, Júlio César Vieira Soares e Luiz Carlos Brum.

  Confira, abaixo, a íntegra da transcrição (sem edição no texto) súmula da partida que acabou não ocorrendo:

 “Belo Horizonte 21\09\2019 Relatório referente a partida entre Tupinambás futebol clube x Santarritense futebol clube.
informo que ao chegar ao estadio Mario Heleno para a partida envolvendo as equipes citada acima,o trio de árbitragem foi informado no vestiário, pelo coordenador da equipe do
Tupinambás fc que não haveria jogo devido a ambulância designada para atendimento no estadio ter sido interceptada nas adjascências do estadio, para atender um morador local,
que havia se acidentado nas proximidades e sem previsão para liberar a âmbulancia,informamos o coordenador que o trio de Árbitragem teria que seguir os procedimentos necessário
em conformidade com o regulamento para a não realização da partida,inclusive o horário, fomos informado do ocorrido as 8:27 da manhã, partida programada para as
9:00h,cumprimos o protocolo e adentramos no campo de jogo para dar inicio a partida quando fomos interrogado por um dirigente da equipe do santarritense fc, em relação a
ambulância o mesmo disse que seguiria o que estava escrito no regulamento,dizendo a seguinte frase, no meu campo eu perdi o jogo por wo porque não consegui resolver um
imprevisto com ambulância no prazo de 30 minutos,que é a nossa tolerância então nossa equipe vai seguir o regulamento.as 8:58 solicitei a presença dos capitães das equipes e
reportei a informação da tal situação para ambos.as 9:20h o coordenador da equipe do Tupinambás fc dirigiu-se até o trio de árbitragem que estava posicionado e nos relatou que a
ambulância chegaria em 10 minutos,quando um dirigente do santarritense fc nos perguntou se tinhamos uma resposta em relação a âmbulancia;reportei ao mesmo a seguinte
informação,fomos informado pelo coordenador da equipe local Tupinambás que a ambulância chegara em 10 minutos ao estadio,o mesmo nos disse professor iremos acompanhar o
regulamento,as 9:30h minutos o coordenador da equipe do Tupiambás dirigiu-se até o trio de árbitragem novamente e disse a ambulância chega em 10 minutos,um dirigente do
santarritense nos me disse professor o tempo estourou.as 9:30 h solicitei a presença dos capitães novamente e informei aos mesmos que a partida seria encerrada devido a
ambulância não ter chegado em tempo hábil,a equipe visitante hávia nos informado que cumpriria o regulamento, o trio de arbitragem em conformidade com o regulamento escrito
não poderia assumir qualquer tipo de imprevistos que não estivesse documentado e conforme o regulamento,informo a ambos que a partida está encerrada, a equipe do santarritense
que já estava planejando ir para o vestiário foram imediatamente. a ambulância chegou na portaria do estádio as 09:37 minutos junto com o coordenador da equipe do Tupinambás
que tentou de todas as formas nos responsabilizar da tal situação, seguindo o trio de árbitragem na saida do campo até o vestiário proferindo as seguintes palavras: vocês estão nos
prejudicando é culpa suas, vocês não tem coração.informei ao mesmo que o trio de árbitragem estava cumprindo um regulamento e que não encerramos a partida no momento em
que o mesmo coordenador no vestiário da Árbitrgem dizia que a partida não seria realizada,ficamos sensibilizados sim,devido um fato triste ter ocorrido para este imprevisto, a vida em primeiro lugar, mas por trás de todo ocorrido existe um planejamento e um regulamento que temos que seguir e tem pessoas competentes para avaliar e tomar as decisões cabíveis.”

  O que diz o Baeta-UFJF

 Confira,  abaixo, os principais trechos da  entrevista de Marcelo Matta:

“A ambulância escalada para ficar de prontidão no estádio atendeu a uma ocorrência nas proximidades do Estádio, que era um acidente envolvendo uma motocicleta. O condutor estava sendo atendido por uma unidade do SAMU, porém sem nenhum médico. Quando a ambulância da Unimed que se encaminhava ao Estádio passou, os socorristas do SAMU, juntamente com a comunidade que entrou na frente da ambulância para que ela parasse, pediram para que houvesse auxílio ao acidentado. Eu fui até lá e acompanhei o atendimento, que foi muito pesado. O paciente teve de ser entubado e foi muito demorado. Depois fiquei sabendo que o rapaz está da UTI e corre o risco de ficar tetraplégico.”

“Essa ambulância demorou muito no atendimento para conseguir salvar a vida do motociclista. Quando eram 9h32, ou seja, já havia terminado o tempo de tolerância da FMF, a ambulância chegou ao Estádio, mas o trio de arbitragem não teve bom senso e privilegiou um protocolo de jogo em detrimento da vida de uma pessoa.”

“Às 9h10, a médica conseguiu me informar que ligaria para a central da Unimed e solicitaria uma nova unidade mas, infelizmente, a Federação Mineira não teve bom senso e respeito humanitário.”

“Diante disso, perdemos o jogo por W.O. A ambulância chegou às 9h32, no momento que eu estava conversando com os árbitros a respeito do que tinha ocorrido, e eles não aceitaram a realização do jogo.”

“O problema é você investir, pagar a arbitragem, ter os atletas querendo jogar e os árbitros tomarem uma atitude dessa. A Federação Mineira exige tanta coisa da gente, cobram tantos procedimentos e não têm bom senso nenhum. Me lembro do Ricardo Marques Ribeiro, que segurou o início de uma partida entre Corinthians e Vasco por mais de uma hora. Acho que vai repercutir isso na semana que vem, porque a Federação vai ter que responder por isso.”

Texto:  Toque de Bola

Foto: Arquivo Toque de Bola

 

Deixe seu comentário