“Respeito, disciplina e solidariedade”! América de Rio Pomba

*@cfzicojf

/#cfzicojf20anos /

  A Copa Zico Juiz de Fora chega à sua quinta edição em 2019 e terá a participação de diversas equipes da cidade, da região e até de outros estados. Atual campeão da categoria sub-15, o América Atlético Clube, da cidade de Rio Pomba, localizada a 70km de Juiz de Fora, obteve destaque tanto dentro,quanto fora de campo.

Na edição de dezembro 2018 (Copa Zico Verão), América de Rio Pomba conquistou Troféu Disciplina entregue pelo Panathlon Club Juiz de Fora

Troféu Disciplina

  Na competição disputada no fim de 2018, o alvirrubro do interior mineiro conquistou o Troféu Disciplina, que premiou a delegação (jogadores, comissão técnica e torcedores) mais disciplinada entre todos os times inscritos. Em entrevista exclusiva ao Toque de Bola, o técnico da equipe, professor Gilson Paula de Paiva, disse que a conquista é motivo de muito orgulho.

  “Tento passar sempre para meus jogadores que na vida temos que ter o respeito, a disciplina e a solidariedade como forma de melhorarmos a cada dia mais, como seres humanos. Portanto essa premiação na Copa Zico, veio para coroar o meu trabalho. Fiquei muito satisfeito com tudo que alcançamos. Não somente o título de campeão do Sub 15, mas por levar ao pé da letra, por parte de nossa delegação (jogadores, comissão técnica e torcida), o respeito ao próximo”, disse o treinador.

A Copa Zico

Professor também é fã: Gilson registra momento ao lado de Zico

  A primeira experiência na Copa Zico ocorreu em 2017, quando a equipe sub-11 foi campeã do torneio na categoria. Nos anos seguintes, o América não deixou mais de participar da competição. Na última edição, o alvirrubro conquistou o título da categoria sub-15. Para o coordenador do projeto, é motivo de muita alegria poder participar e vencer um campeonato como esse.

  “Muito legal a experiência. Os meninos adoraram, principalmente, receber uma medalha das mãos do Zico, eterno ídolo. Foi maravilhoso. Aí iniciamos nossa trajetória na Copa Zico, com boas apresentações. Em 2018 fomos vice-campeões com o sub-14 no meio do ano e campeões com o sub-15 no fim do ano. Esperamos este ano sair vitoriosos”.

Não é só futebol

  O famoso clichê serve muito bem quando se trata do projeto do América. Há 18 anos ativa, a escolinha de futebol do clube rio-pombense realiza um trabalho que, além do conceito esportivo, traz uma orientação sócio-educativa que auxilia diversas famílias. Desde o início no projeto, Gilson relatou que o objetivo dos idealizadores sempre foi aplicar o respeito ao próximo.

Uma das primeiras equipes do América no ano de 2002

 “O início teve a supervisão e comando de um apaixonado por futebol de Rio Pomba, que é o empresário Gilmar Alves Lima. Ele trouxe um treinador de Belo Horizonte (Expedito), que realizou um trabalho de excelência durante dois anos. Nessa época eu era o seu auxiliar técnico. Mas, passado esse tempo, eles não conseguiram manter o projeto e então eu peguei a escolinha e estou até hoje. Sempre tivemos o objetivo de formar boas categorias para estarmos preparados para as competições, mas o objetivo maior é dar entretenimento e oportunidade de uma vida saudável, longe das drogas e da ociosidade”, relatou o professor.

Bons frutos

Alisson, quando ainda vestia a camisa do América

  Entre os quase mil alunos que passaram pela escolinha do América, dado este confirmado pelo próprio treinador, alguns nomes se destacam no cenário nacional e até sul-americano atualmente. O principal deles é o atacante Alisson, ex-Cruzeiro, que hoje defende o Grêmio. Ele chegou ao América aos nove anos de idade e, desde que saiu do clube, é considerado a maior referência esportiva da cidade.

  “Alisson é a referência maior de nossa cidade em se tratando de futebol. Um cara que sempre está bem humorado e que na medida do possível, tenta ajudar as pessoas que precisam. Quando está em Rio Pomba, é visto em todos os lugares, com a sua habitual mania de parar para conversar com as pessoas. É, portanto, um cara muito humilde, que manteve suas raízes”.

Por falar em raízes…

  Na Copa Zico de Verão 2018, que ocorreu em dezembro, Alisson foi parte fundamental na conquista. Isso porque ele doou diversos pares de chuteiras para os atletas disputarem a competição, o que, segundo Gilson, seria complicado sem a colaboração do jogador.

  “Ele sempre deixou bem claro para mim, que por eu ter sido uma pessoa que o ajudou na formação do caráter e claro, da oportunidade que teve aqui comigo no futebol, ele sempre vai estar à disposição para ajudar no que estiver ao seu alcance. Meu contato com ele tranquilo e de muita amizade”, contou o técnico.

A final contra o América-MG

Alisson, ao lado do treinador Gilson, sempre decidiu campeonatos para o América

  Entre os vários títulos conquistados pela equipe, Gilson destacou um quadrangular na categoria sub-15, realizado na cidade de Tabuleiro, interior de Minas Gerais, em 2008. Entre os participantes, além do América de Rio Pomba, estavam Itamarati de Minas, Operário (Cataguases) e o América-MG. Na grande final do torneio, os Américas se encontraram.

  “O jogo estava 2 a 1 para o América-MG e era um jogo muito difícil. Faltando poucos minutos para acabar, o Alisson carregou uma bola entrando pela diagonal, entrou na área e sofreu pênalti. Me lembro que ele sentiu uma dor e tivemos que entrar para fazer atendimento médico. Nesse caso, ele teria que sair de campo, mas ele era o batedor oficial. Lembro que gritei para o árbitro para ele voltar e o árbitro autorizou. O técnico do América era o Gilberto, que foi goleiro do próprio América na década de 90, e ele não gostou da situação. Alisson fez o gol do empate e a decisão foi para os pênaltis. Chegamos bem e ganhamos”, relatou o treinador.

Outra cria  

Breno (terceiro da direita para a esquerda, agachado) é atleta do Fênix, líder do Campeonato Uruguaio

  Além de Alisson, outro destaque que passou pelas categorias de base do América foi o também atacante Breno Caetano. Hoje no Uruguai, ele é lembrado por Gilson com muito carinho. “Temos a felicidade de poder dizer que, embora não seja um grande clube, mas pra mim é motivo de muito orgulho, ter meu atleta Breno Caetano de Souza, jogando hoje em um time de Primeira Divisão do Campeonato Uruguaio, que é o Centro Atlético Fênix. Garoto muito bom de bola, atacante, 22 anos e muita habilidade nos pés. Sem contar que é de uma humildade sem tamanho”.

Texto: Toque de Bola

Fotos: Arquivo Pessoal – Gilson Paula de Paiva e Arquivo Toque de Bola